Fechar
Publicidade

Domingo, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Suprema Corte decide que Biden deve retomar política de imigração de Trump

Flickr Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


25/08/2021 | 12:30


A Suprema Corte dos EUA negou nesta terça-feira (24) o apelo do presidente Joe Biden para dissolver uma política de imigração implementada por seu antecessor, Donald Trump, que forçou milhares de requerentes de asilo a permanecer no México à espera de audiências nos EUA.

O tribunal rejeitou, por 6 a 3, o esforço do governo Biden para bloquear a decisão de um juiz do Texas que exige que Washington retome a política de "fique no México" de Trump, formalmente conhecida como o programa de Protocolos de Proteção ao Migrante (MPP). A maioria conservadora da Suprema Corte inclui três juízes nomeados por Trump.

A ordem da Suprema Corte disse que o governo Biden parecia "agir arbitrária e caprichosamente" ao rescindir o programa. A decisão do tribunal usou como base sua decisão de 2020 que frustrou a tentativa de Trump de encerrar um programa introduzido pelo ex-presidente Barack Obama que protege da deportação centenas de milhares de imigrantes que entraram ilegalmente nos EUA quando crianças - os "dreamers".

Em ambos os casos, a Suprema Corte levou em consideração se o governo seguiu o processo legal correto ao desfazer a política de um governo anterior.

O programa, conhecido comumente como "Permanecer no México" e formalmente como Protocolos de Proteção ao Migrante, se aplica a pessoas que deixaram um terceiro país e viajaram pelo México para chegar à fronteira com os EUA.

Depois que a política foi implementada no início de 2019, dezenas de milhares de pessoas esperaram por audiências de imigração em acampamentos e tendas, expostos ao frio e à chuva. Houve relatos generalizados de agressão sexual, sequestro e tortura. O presidente Biden suspendeu e, em seguida, encerrou o programa.

Biden, que desde que assumiu o cargo em janeiro passado, buscou reverter muitas das políticas linha-dura de imigração de Trump, suspendeu o programa MPP. Mas os Estados do Texas e Missouri, liderados por republicanos, desafiaram a decisão do presidente democrata. Ambos os Estados entraram com um processo, dizendo que foram afetados pela rescisão por terem de fornecer serviços governamentais, como carteiras de motorista, para imigrantes autorizados a entrar nos Estados Unidos de acordo com o programa.

Washington recorreu à Suprema Corte depois de que foi decidido que a política Trump deveria ser reintegrada e o Tribunal de Apelações do 5º Circuito dos EUA, com sede em Nova Orleans, negou em 19 de agosto o pedido do governo de um adiamento. A decisão do 5º Circuito disse que o governo Biden deve implementar o programa do MPP de "boa fé", o que deixa ao governo alguma margem de manobra sobre como seguir em frente.

Democratas e defensores da imigração criticaram o MPP, dizendo que a política submetia os migrantes, principalmente da América Central, a condições perigosas nas cidades da fronteira mexicana.

As prisões de imigrantes cruzando a fronteira sul dos EUA atingiram um pico de 20 anos nos últimos meses, e os republicanos atribuem esse aumento à reversão de Biden do MPP e de outras políticas de imigração de Trump.

Este mês, a Casa Branca voltou atrás e decidiu manter em vigor uma controversa medida de saúde pública herdada de Trump, que permitiu ao país expulsar sumariamente centenas de milhares de imigrantes nos últimos meses em meio à pandemia. (Com agências internacionais).



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;