Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Governo Alckmin é aprovado por 32% da população da região

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Índice é maior do que janeiro, quando tucano foi elogiado por 29,4%; números de rejeição caem 3,8 pontos percentuais em seis meses


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

05/08/2015 | 07:00


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), viu melhorar os índices à sua gestão entre os moradores do Grande ABC, na sexta rodada de análise de administração feita pelo DGABC Pesquisas, a pedido do Diário. O tucano, que em janeiro iniciou seu quarto mandato à frente do Palácio dos Bandeirantes, tem governo elogiado por 32% da população das sete cidades, percentual 2,6 pontos maior do que o dado de janeiro.

A fatia de aprovação é dividida entre 3,9% de entrevistados que consideram o mandato ótimo e 28,1% de observam o trabalho bom. Antes, 3,6% dos moradores da região viam o governo como ótimo e outros 25,8% como bom. Os números de regularidade permaneceram quase estável: 29,6% em janeiro e 29,8% agora.

O Grande ABC também reduziu o índice de rejeição ao governador. Em janeiro, 37,8% desaprovavam a gestão tucana (com 15% de ruim e 22,8% de péssimo), agora são 34% (15,3% de ruim e 18,7% de péssimo) – queda de 3,8 pontos percentuais.

Nos últimos seis meses, Alckmin intensificou agenda de entrega de obras no Grande ABC. Houve dois destaques: a inauguração do Trecho Leste do Rodoanel – envolvendo até alça de acesso para Ribeirão Pires – e a entrega da unidade do Poupatempo em Santo André.

O Trecho Leste do Rodoanel foi oficialmente aberto em junho, com investimento total de R$ 3,6 bilhões. A terceira das quatro etapas do viário beneficiará diretamente a região e conectará as rodovias Anchieta e Imigrantes às rodovias Ayrton Senna e Dutra, prometendo válvula de escape à chegada ao aeroporto de Guarulhos em horários de trânsito intenso.

Já o Poupatempo de Santo André entrou em funcionamento em maio, no Atrium Shopping, no bairro Homero Thon. Em um mês, foram realizados 24 mil atendimentos, demonstrando aceitação ao equipamento. A unidade de Mauá tem previsão de entrega para maio e a de Diadema está aberta desde novembro.

Também contribuíram para aceitação de Alckmin obras para reduzir os impactos da crise hídrica no Grande ABC. Nos últimos seis meses, o governador colocou em funcionamento um reservatório em São Bernardo e duas estações elevatórias em Diadema, no Jardim Inamar, como forma de diminuir a dependência do Sistema Cantareira, mais atingido com a falta de chuvas dos últimos dois anos.

Outro fator a jogar para baixo a taxa de rejeição foi a redução dos índices de violência na região. Dados mais recentes da SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Estado registram queda de 31,89% no número de roubos e de 33,68% no de furto de veículos.

SÉRIE HISTÓRICA
Os números de julho recuperam os dados de Alckmin em outubro de 2014, período eleitoral – o tucano foi reeleito no primeiro turno, vencendo em todas as cidades do Grande ABC.

À ocasião, Alckmin registrou 6,4% de índice ótimo e 28,9% de bom, somando, assim, 35,3% de aprovação à sua gestão entre os eleitores da sete cidades. A rejeição da época era de 24,3% (14% de péssimo e 10,3% de ruim).

O melhor desempenho de Alckmin foi apontado em levantamento de julho do ano passado, quando houve 36,4% de análise positiva (4% de ótimo e 32,4% de bom). Nesse levantamento, a desaprovação foi de 25,2% (13,6% de péssimo e 11,6% de ruim).

A aceitação se refletiu nas urnas. Em outubro, Alckmin recebeu 635.129 votos nas sete cidades – quase o dobro do segundo colocado Alexandre Padilha (PT) – e triunfou na primeira fase do pleito. O melhor percentual foi obtido em São Caetano – 60,33% – e o menor em Diadema – 38,44%. Em todo o Estado, o governador só perdeu em Hortolândia, no Interior.

O DGABC Pesquisas ouviu 2.800 pessoas na região na semana passada.

Tucano tem melhor avaliação em Rio Grande da Serra

A única cidade administrada por um tucano foi a que mais bem avaliou o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo. Em Rio Grande da Serra, administrada pelo prefeito Gabriel Maranhão (PSDB), 38,3% dos moradores aprovam a gestão do tucano contra 32% de rejeição e 23,8% de regularidade.

O município sempre esteve no rol de investimentos estaduais, desde o governo de Adler Kiko Teixeira (PSC), contribuindo com recursos para pavimentação e construção de viário. Na eleição de outubro, Alckmin conquistou 52,7% dos votos válidos da cidade, com mais do que o dobro do segundo colocado no município, o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf (PMDB).

Na sequência está São Caetano. A cidade com natural rejeição ao petismo – e que nunca deixou um petista governá-la – concedeu 34,8% de aceitação à administração do PSDB no Estado (5,5% de ótimo e 29,3% de bom). No município hoje gerido por Paulo Pinheiro (PMDB), 33,3% dos moradores contestam o governo Alckmin (16,8% de ruim e 16,5% de péssimo).

Na terceira posição na lista de aprovação a Alckmin está Mauá, administrada pelo petista Donisete Braga. Em reduto mauaense, o governador tem aprovação de 34,6% (4,3% de ótimo e 30,3% de bom), 30% de regular e 30,8% de reprovação (12% de ruim e 18,8% de péssimo). Outros 4,6% não souberam responder.

O governo do Estado possui investimentos em curso na cidade, como a construção do Poupatempo – previsão de entrega para novembro –, além de auxílio financeiro para custeio do Hospital Doutor Radamés Nardini (o maior da cidade) e integração tarifária entre CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e o sistema municipal de Transporte.

Ribeirão Pires, do prefeito Saulo Benevides (PMDB), conferiu índice de 32,8% de aprovação a Alckmin (4% de ótimo e 28,8% de bom), 37% de regular e 26,8% de rejeição (10,3% de ruim e 16,5% de péssimo). Nos últimos meses, além da inauguração do Trecho Leste do Rodoanel com alça de acesso direto à cidade, o governo do Estado autorizou liberação de aporte de obras de turismo, como construção do teleférico e reforma na Vila do Doce.

Em apenas três cidades o governo Alckmin tem maior número de rejeição na comparação com a aprovação: Santo André, São Bernardo e Diadema.

Em Santo André, a diferença é quase nula. Foram 32,6% de andreenses a elogiarem o trabalho do tucano (com 5,3% de ótimo e 27,3% de bom) e 32,8% de críticas (16,5% de ruim e 16,3% de péssimo), além de 30,5% de regularidade.

Nos últimos dias, o governo estadual entrou em embate direto com o prefeito Carlos Grana (PT), que, ao comentar a possibilidade de haver candidato do PSDB na eleição do ano que vem, disse que o eventual prefeiturável teria de “carregar o fardo da falta de investimentos do Estado em Santo André”. O Palácio dos Bandeirantes, em resposta, listou série de obras capitaneadas pelo Estado, “apesar de dívida do município de R$ 2,5 bilhões com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).”

Cidade que ficou 30 anos sob administração de prefeitos petistas ou oriundos do petismo, Diadema apontou 31,8% de aprovação para Alckmin (1,5% de ótimo e 30,3% de bom), 31,8% de regular e 32,8% de rejeição (12,5% de ruim e 20,3% de péssimo). O município hoje governado por Lauro Michels (PV) – aliado do tucano – tem recebido investimento alto do Estado, como a construção do Poupatempo e de Fábrica de Cultura, ambos no Centro.

O menor índice de aprovação a Alckmin foi registrado em São Bernardo, onde 29,3% aceitaram a gestão tucana (3,3% de ótimo e 26% de bom) e 39% reprovaram (18% de ruim e 21% de péssimo). 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;