Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Andrade Gutierrez faz acerto para ter direito a 33% da Cemig



25/01/2010 | 07:01


O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) está confiante na aprovação pela Justiça do acordo fechado entre a Andrade Gutierrez Concessões, do mesmo grupo da construtora, e a SEB (Southern Electric Brasil), controlada pelo grupo americano AES, para tirar do balanço um de seus maiores calotes.

Pelo acordo, fechado em dezembro de 2009 com o aval do BNDES, a AG vai assumir a dívida de R$ 2,115 bilhões da SEB com a instituição, contraída em 1997 para a compra de fatia de 32,96% das ações ordinárias da Cemig. Em troca, a AG ficará com as ações, ingressando na estatal mineira.

Segundo fonte envolvida na negociação, o acordo é diferente da saída tentada em 2007, quando a SEB ofereceu US$ 1,2 bilhão para eliminar o imbróglio, que se arrastou na Justiça depois que o BNDES protestou judicialmente a empresa inadimplente desde 2001.

O acordo previa anistia do valor de juros e encargos. Para minimizar o prejuízo, o banco estava disposto a aceitar o montante, que era menor do que a dívida e o valor nominal das ações da Cemig, garantia do empréstimo. Porém, o Ministério Público acusou prejuízo para a instituição e recomendou o veto da Justiça à solução.

O acordo costurado em dezembro não tem o desconto dos juros, apenas o das custas judiciais, estimadas em R$ 300 milhões. Esse desconto não havia sido alvo da oposição do MP na outra tentativa do acordo. A AG e a AES não quiseram comentar a operação. O BNDES informou que só fariam comentários após a homologação do acordo pela Justiça.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;