Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Brasil vai investir R$ 109 mi para reduzir a camada de ozônio


Do Diário do Grande ABC

26/07/1999 | 19:30


Para retirar do mercado 6,5 mil toneladas de gás e substâncias que destroem a camada de ozônio, as chamadas SDO, o País necessitará investir US$ 109 milhoes até 2005. Essa previsao, feita por consultores contratados pelo Ministério do Meio Ambiente, será apresentada quarta-feira à comissao interministerial que estuda a reduçao das SDO. Os consultores fizeram uma avaliaçao sobre o uso dessas substâncias por pequenas e médias empresas.

A diretora do Programa de Melhoria da Qualidade Ambiental do ministério, Isabela Teixeira, disse nesta segunda-feira que o investimento de US$ 109 milhoes será destinado a médias e pequenas empresas, incluindo os prestadores de serviços. Os recursos sao para converter a tecnologia empregada e substituir as SDO responsáveis pela rarefaçao da camada de ozônio. O governo tentará captar esse dinheiro sem custos no Fundo do Protocolo de Montreal, que dispoe de recursos para o cumprimento da meta de resolver o problema do ozônio até 2010. O Brasil concorre com todos os demais países pela aprovaçao de seus projetos.

Na última reuniao do Protocolo de Montreal (protocolo de intençoes para reduçao das SDO), em junho, o Brasil teve chancelados projetos que somam US$ 16,8 milhoes e atenderao a 144 mil agricultores que empregam o brometo de metila nas culturas de tabaco. Também serao beneficiadas outras 53 indústrias que usam CFC 11, CFC 12 e CFC13 (cloro-flúor-carbono). Os novos projetos concentram benefícios apra as regioes Sudeste e Sul, onde há maior produçao e consumo.

Buraco - Segundo a assessoria do Ministério do Meio Ambiente, o jornal da Organizaçao das Naçoes Unidas (ONU), de janeiro, publicou artigo informando que em setembro do ano passado, o buraco na camada de ozônio teria atingido o equivalente a 2,5 vezes o tamanho da Europa. Isabela Teixeira explica que as substâncias destruidoras do ozônio sao utilizadas basicamente nos setores de espuma (abrangendo o moveleiro), de refrigeraçao doméstica e industrial e de ar refrigerado. Ela avalia que a maioria das grandes empresas já nao utiliza substâncias prejudiciais à camada de ozônio. As pequenas e médias empresas sao as mais problemáticas.

"Para fabricaçao de uma cadeira de computador com assento e braços macios utiliza-se espuma", cita Isabela como exemplo do emprego generalizado de produtos que na sua fabricaçao levam SDO. "Queremos identificar quem distribui, quem comercializa e quem dá assistência", diz. Um dos projetos é treinar, entre outros, profissionais de serviço autorizado que fazem a manutençao de geladeiras. Pelo projeto, eles seriam preparados para reciclar o gás da geladeira que parasse de funcionar.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;