Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Caminhoneiros uruguaios iniciam greve de 72 horas


Das Agências

06/02/2002 | 00:22


Os caminhoneiros uruguaios iniciam nesta quarta-feira uma greve de 72 horas pedindo melhores condições de trabalho. Os veículos ficarão parados nos acostamentos das estradas, informou nesta terça-feira o presidente da Intergremial del Transporte de Carga, Ernesto Toledo.

Depois de uma assembléia de trabalhadores do transporte de carga realizada na tarde desta terça-feira em Montevidéu, Toledo anunciou que a greve começará às 6h locais (7h00 de Brasília), e que os caminhoneiros voltarão a se reunir na sexta-feira para decidir se continuam com o protesto.

Os serviços de carga afetados serão os que transportam combustíveis, madeira, frutas e verduras, cereais, contêineres e toda mercadoria que transita pelas estradas, embora Toledo adiantou que em alguns casos haverá "serviços essenciais", que não detalhou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caminhoneiros uruguaios iniciam greve de 72 horas

Das Agências

06/02/2002 | 00:22


Os caminhoneiros uruguaios iniciam nesta quarta-feira uma greve de 72 horas pedindo melhores condições de trabalho. Os veículos ficarão parados nos acostamentos das estradas, informou nesta terça-feira o presidente da Intergremial del Transporte de Carga, Ernesto Toledo.

Depois de uma assembléia de trabalhadores do transporte de carga realizada na tarde desta terça-feira em Montevidéu, Toledo anunciou que a greve começará às 6h locais (7h00 de Brasília), e que os caminhoneiros voltarão a se reunir na sexta-feira para decidir se continuam com o protesto.

Os serviços de carga afetados serão os que transportam combustíveis, madeira, frutas e verduras, cereais, contêineres e toda mercadoria que transita pelas estradas, embora Toledo adiantou que em alguns casos haverá "serviços essenciais", que não detalhou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;