Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ana Flávia e Carina confessam ter planejado assalto

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pertences de Flaviana encontradas ontem a noite com uma adolescente


Vanessa Soares
Do Diário do Grande ABC

06/02/2020 | 00:01


Ana Flávia Gonçalves, 24 anos, e Carina Ramos, 31, confessaram durante novo depoimento dado à Polícia Civil, ontem, que planejaram o assalto na casa da família Gonçalves, no Jardim Ciprestes, em Santo André. Romuyuki, 43, Flaviana, 40, e Juan Victor, 15, são pais e irmão de Ana Flávia e foram encontrados carbonizados no porta-malas do carro, na Estrada do Montanhão, em São Bernardo, no dia 28 de janeiro. 

 Peret

A confissão foi confirmada por Sebastião Siqueira, um dos advogados de defesa das duas. “Elas confessaram participação no roubo, mas com relação as mortes já extrapolou”, disse. Ele também informou que Carina nega ter sido a mentora intelectual do assassinato, assim como foi apontado por seu primo, Juliano de Oliveira Ramos Júnior, 22, preso na noite de segunda-feira, à polícia.

As suspeitas resolveram prestar novo depoimento após a prisão de Júnior, que colocou as duas na cena do crime. Ele contou em detalhes como tudo aconteceu e afirmou que a ação foi planejada em encontro dois dias antes do crime. 

Além dos três, Guilherme Ramos da Silva e Michael dos Anjos, ambos detidos na terça-feira, também são suspeitos de participação no assassinato.

A polícia ainda tenta identificar e prender um sexto integrante do grupo. De acordo com as investigações, seria um homem e sua participação se resumiria a ter ido buscar o grupo na estrada onde o carro da família foi incendiado. 

A motivação do crime é outro ponto que a polícia ainda está averiguando. Segundo Júnior afirmou em depoimento, eles estavam a procura do dinheiro que a família teria herdado do pai de Flaviana – cerca de R$ 80 mil – que estaria guardado em cofre dentro da residência. Ele disse que Carina e Ana Flávia facilitaram o acesso dos suspeitos na casa dos Gonçalves no carro de Ana Flávia. No fim do dia, os três homens simularam assalto e fizeram a família refém.

 

OBJETOS ENCONTRADOS 

Na noite de ontem, equipes do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia) também apreenderam, no Jardim Santo André, em Santo André, uma adolescente após encontrarem em sua posse pertences de Flaviana, como bijuterias e relógios. 

De acordo com informações do capitão Fernando Carvalho Ricardo, eles chegaram até a casa após denúncia realizada pelo 190. Além disso, durante a ação, os policiais militares encontraram, no entorno do imóvel da jovem, um automóvel semelhante ao que aparece nas imagens das câmeras de segurança do condomínio no dia do crime. “Não temos como precisar se é o mesmo veículo, mas foi apreendido para apuração”, explicou. O carro estava em posse de um rapaz, que não teve a identidade revelada, e foi detido para prestar esclarecimentos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ana Flávia e Carina confessam ter planejado assalto

Pertences de Flaviana encontradas ontem a noite com uma adolescente

Vanessa Soares
Do Diário do Grande ABC

06/02/2020 | 00:01


Ana Flávia Gonçalves, 24 anos, e Carina Ramos, 31, confessaram durante novo depoimento dado à Polícia Civil, ontem, que planejaram o assalto na casa da família Gonçalves, no Jardim Ciprestes, em Santo André. Romuyuki, 43, Flaviana, 40, e Juan Victor, 15, são pais e irmão de Ana Flávia e foram encontrados carbonizados no porta-malas do carro, na Estrada do Montanhão, em São Bernardo, no dia 28 de janeiro. 

 Peret

A confissão foi confirmada por Sebastião Siqueira, um dos advogados de defesa das duas. “Elas confessaram participação no roubo, mas com relação as mortes já extrapolou”, disse. Ele também informou que Carina nega ter sido a mentora intelectual do assassinato, assim como foi apontado por seu primo, Juliano de Oliveira Ramos Júnior, 22, preso na noite de segunda-feira, à polícia.

As suspeitas resolveram prestar novo depoimento após a prisão de Júnior, que colocou as duas na cena do crime. Ele contou em detalhes como tudo aconteceu e afirmou que a ação foi planejada em encontro dois dias antes do crime. 

Além dos três, Guilherme Ramos da Silva e Michael dos Anjos, ambos detidos na terça-feira, também são suspeitos de participação no assassinato.

A polícia ainda tenta identificar e prender um sexto integrante do grupo. De acordo com as investigações, seria um homem e sua participação se resumiria a ter ido buscar o grupo na estrada onde o carro da família foi incendiado. 

A motivação do crime é outro ponto que a polícia ainda está averiguando. Segundo Júnior afirmou em depoimento, eles estavam a procura do dinheiro que a família teria herdado do pai de Flaviana – cerca de R$ 80 mil – que estaria guardado em cofre dentro da residência. Ele disse que Carina e Ana Flávia facilitaram o acesso dos suspeitos na casa dos Gonçalves no carro de Ana Flávia. No fim do dia, os três homens simularam assalto e fizeram a família refém.

 

OBJETOS ENCONTRADOS 

Na noite de ontem, equipes do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia) também apreenderam, no Jardim Santo André, em Santo André, uma adolescente após encontrarem em sua posse pertences de Flaviana, como bijuterias e relógios. 

De acordo com informações do capitão Fernando Carvalho Ricardo, eles chegaram até a casa após denúncia realizada pelo 190. Além disso, durante a ação, os policiais militares encontraram, no entorno do imóvel da jovem, um automóvel semelhante ao que aparece nas imagens das câmeras de segurança do condomínio no dia do crime. “Não temos como precisar se é o mesmo veículo, mas foi apreendido para apuração”, explicou. O carro estava em posse de um rapaz, que não teve a identidade revelada, e foi detido para prestar esclarecimentos. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;