Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Sindicato negocia estender isenção de tarifas bancárias


Frederico Rebello Nehme
Do Diário do Grande ABC

02/03/2005 | 14:04


As negociações pela isenção de tarifas bancárias nas montadoras do Grande ABC poderão ser estendidas a unidades industriais de outras cidades do país. Na Volkswagen – que paga seus funcionários pelo Unibanco –, o processo de negociação será válido para Taubaté (SP) e Curitiba (PR), onde a montadora mantém unidades. Na Ford (Unibanco e Bradesco), a isenção obtida segunda-feira pode ser ampliada para Camaçari (BA), Taubaté e Tatuí (SP).

Além dos metalúrgicos do Grande ABC, mais de 16 mil trabalhadores das duas montadoras no país podem receber a isenção, num processo que já está sendo chamado de efeito dominó pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT), José Lopez Feijóo.

Se aprovada, a isenção na Volks irá elevar para 38 mil o número de trabalhadores isentos na região – atualmente 24 mil, distribuídos por 11 empresas da cadeia automotiva, entre elas Mercedes-Benz (Itaú), Scania (Itaú), Arteb (Bradesco), Federal Mogul (HSBC) e Mahle Metal Leve (Itaú).

Segundo levantamento da subseção do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos) do sindicato dos metalúrgicos, a economia dos trabalhadores das montadoras (33 mil), com a provável isenção na Volks, chegará a R$ 9,9 milhões anuais.

“Uma conquista leva à outra. Estamos conseguindo bons resultados nas negociações no Grande ABC, e não há razão para que esse benefício não seja ampliado para trabalhadores de outras regiões”, afirma Feijóo.

As negociações para a isenção acontecem entre sindicato, bancos e montadoras. Na Mercedes e na Scania, a isenção já havia sido obtida há seis anos, antes da campanha do sindicato, numa operação que resultou na mudança do banco pelo qual as empresas pagavam seus funcionários – do BCN para o Itaú.

A campanha pela tarifa zero teve início em agosto do ano passado e contempla apenas as contas correntes abertas obrigatoriamente pelos trabalhadores para recebimento de salários, e não as contas-salário, de movimentação restrita e que já possuem isenção.

Terça-feira, o sindicato realizou assembléia com os metalúrgicos da Ford para anunciar a tarifa zero, que representa, em média, R$ 280 anuais para seus funcionários. O pagamento de tarifas bancárias, no entanto, pode representar até R$ 323 anuais para cada metalúrgico, segundo o Dieese. Por mês, as tarifas cobradas podem corresponder a 2% do salário médio de cada trabalhador.

Terceirizados – A isenção negociada na Volks ainda pode ser estendida a todos os trabalhadores terceirizados da montadora no país – entre 2 mil e 3 mil, aproximadamente. O diretor do sindicato Francisco Buarque de Lima, o Alemão, funcionário da montadora, afirma que a isenção pode ser anunciada nesta quarta-feira, em reunião.

“Faltam poucos pontos a serem acertados, inclusive com relação aos trabalhadores terceirizados. Esperamos que a reunião de amanhã (nesta quarta-feira) confirme a isenção, até porque estamos negociando com o mesmo banco que já concedeu o benefício na Ford (Unibanco)”, afirma.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;