Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

São Bernardo vai fazer
mapeamento das árvores


Bruna Gonçalves
Do Diário do Grande ABC

13/08/2011 | 07:30


A Prefeitura de São Bernardo deve iniciar em 2012 levantamento das árvores da cidade. O objetivo é fazer avaliação das condições das espécies para traçar projeto de arborização´.

Segundo o diretor do Departamento de Parques e Jardins, Ricardo Kondratovich, o trabalho também será usado para fazer a contagem das árvores nas vias públicas, parques e praças. "Queremos saber quantas espécies temos, quantas estão comprometidas, quantas estão inadequadas nas áreas, para que possamos fazer a substituição a longo prazo."

Segundo ele, a estimativa é de que existam entre 90 mil e 100 mil árvores no município. "Também queremos ver os bairros mais arborizados e aqueles que precisam de mais verde. Sabemos que os mais antigos, como Baeta Neves e Nova Petrópolis, têm mais do que os recentes, como Vila São Pedro e Silvina."

O levantamento será em parceria com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas, que apresentou proposta e aguarda o retorno da administração. O investimento da Prefeitura será de R$ 155 mil.

O instituto oferecerá capacitação para cerca de 17 funcionários que trabalharão no levantamento, que deve durar cerca de seis meses. "O instituto estabelece um contrato de 12 meses, período necessário para essa identificação e elaboração do projeto." 

ESPÉCIES
Um viveiro criado no Riacho Grande vai ajudar no plano de arborização. "Compramos uma estufa e começamos o plantio. Isso é importante para que possamos eleger as espécies que queremos ter na cidade, quais as mais adequadas para cada espaço. Também queremos investir nas frutíferas e nas que dão flores."

Uma das ações da Prefeitura, desde 2010, é o plantio de árvores - já são 17 mil. Pelo menos 90% são espécies nativas. Duas mil, por exemplo, foram plantadas no parque da Chácara Silvestre, previsto para ser inaugurado no dia 27. 

MAUÁ
A cidade terá um Plano Diretor de Arborização Urbana, desenvolvido pelo IPT e pela administração pública. A primeira etapa do plano será um inventário, ou seja, o levantamento e o cadastro de 3.000 árvores. A administração informou que o projeto foi aprovado e aguarda liberação do recurso pelo governo estadual.

Com essa pesquisa, será possível identificar espécie, porte e condições de saúde das árvores, além do grau de arborização dos bairros. 

RIBEIRÃO PIRES
A Prefeitura informou que faz novo levantamento para mapear as ruas e especificar espécies existentes, estado em que se encontram e idade aproximada. Após o trabalho será possível criar sistema integrado de manejo e preservação das unidades arbóreas.

No ano passado, a Prefeitura investiu R$ 150 mil em ações de arborização, o que equivale a cerca de 15 mil árvores.

 

São Caetano já fez o levantamento 

A Prefeitura de São Caetano fez levantamento inédito no ano passado que apontou 27.866 mil árvores e arbustos plantados na cidade. Destas, 22.217 estão nas vias públicas, sendo que 8.799 em conflito, ou seja, em contato com fiação elétrica, muros e telhados, ou suas raízes estão afetando calçadas, muros ou casas, e precisarão ser trocadas.

A Prefeitura explicou que, com esse censo, foi possível localizar novos pontos para plantio e fiscalizar árvores inadequadas e com problemas. Neste primeiro semestre foram substituídas e compensadas cerca de 150 árvores.

O objetivo do mapeamento foi conhecer as condições de arborização, que tipo de planta existe, como são plantadas, quais são esses locais. O município possui 178 espécies, sendo 125 exóticas. Outro dado foi que o levantamento apontou 9.757 locais disponíveis e aptos para o plantio de árvores e também dos bairros com mais arborização e aqueles que precisam de novos plantios.

Em Santo André, a Prefeitura possui programa de vistoria das árvores, que somam aproximadamente 65 mil entre passeios, praças e parques, sem contar a área de mananciais. Entre as principais espécies presentes na cidade estão ipê-amarelo, roxo, a quaresmeira, o manacá-da-serra, a pitanga, entre outras. Desde o início da gestão, foram plantadas cerca de 12 mil mudas.

A Prefeitura de Diadema informou que não há registro do número nem de quantas espécies de árvores existem no município. Não há previsão para se fazer o levantamento da quantidade de árvores. A administração informou que as árvores mais comuns são nativas da Mata Atlântica.

Rio Grande da Serra não respondeu até o fechamento desta edição.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;