Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Vendas de carros novos caem 31,4%

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

02/10/2012 | 06:10


 

As vendas de veículos zero-quilômetro tiveram forte queda em setembro, de acordo com dados divulgados ontem pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Com a comercialização de 288.118 unidades (de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) no mês passado, a retração, de 31,4%, frente a agosto, já era esperada, segundo representantes do setor.

Isso porque havia a expectativa de que o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido para os carros fosse valer apenas até 31 de agosto - só a dois dias do fim do prazo, o governo estendeu a medida até fim de outubro. Com isso, muita gente correu às lojas para aproveitar os preços menores em consequência do incentivo tributário, assinala o presidente do Sincodiv-SP (Sindicato dos Concessionários e Distribuidoras de Veículos do Estado de São Paulo), Octávio Vallejo.

O dirigente cita que, em setembro, depois da antecipação de compras, por parte dos consumidores, o mercado naturalmente diminuiu. Ele avalia que, neste mês, deve haver retomada, em razão da nova data para o fim da validade do benefício fiscal.

Apesar da piora no mês, no acumulado do ano (janeiro a setembro), o setor segue com crescimento (de 3,9%) frente ao mesmo período de 2011, ao totalizar 2.789.199 unidades vendidas.

DIAS A MENOS - Além da antecipação de compras, outro fator que colaborou para a forte retração no mês, segundo os analistas, foi o menor número de dias úteis em setembro.

O mês passado teve apenas 19, ante os 23 de agosto. Dividindo o total comercializado no mês pelos dias, chega-se em setembro a 15.164 unidades vendidas (o que corresponde à média diária). Em agosto, foram 18.264. Por essa comparação, a queda é de 16,9%. E frente a setembro de 2011 - cujo volume comercializado foi 312.136 -, o total vendido caiu 7,7%, mas pela média diária, houve crescimento de 2%. Isso porque, aquele mês do ano passado teve 21 dias úteis.

CAMINHÕES - As concessionárias apontaram aquecimento na demanda de caminhões nos últimos dias. Essa melhora nos pedidos, como resultado da liberação da linha PSI-Finame, do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), ainda não aparece no volume comercializado (licenciamentos) em setembro - em que há retração de 25% frente a agosto nas vendas do segmento. A expectativa dos lojistas é de que haja crescimento expressivo neste mês.

 

Grupos obtêm liminar para abrir lojas aos domingos

No momento em que o Sincodiv-SP discute com sindicatos de empregados no comércio a renovação de acordo para fechar a maioria das concessionárias no Estado dois domingos por mês, há cerca de 50 ações na Justiça de redes de revenda contestando isso e, no Grande ABC, os grupos SHC (da JAC Motors), Caoa (Citroen e Hyundai) e Sinal (que tem lojas de bandeiras Ford, Fiat e Kia na região) obtiveram liminar para não fecharem aos domingos.

Para o presidente do Sincodiv-SP, Octávio Vallejo, manter a regra atual de fechamento dos estabelecimentos nesses dias duas vezes por mês significa respeitar compromisso assumido em assembleia por 60% de empresários do ramo presentes. "Além disso, temos que respeitar a vontade dos funcionários, que optaram por não trabalhar os quatro domingos", disse.

O Sindicato dos Comerciários do ABC entrou com mandado de segurança contra essas empresas e aguarda decisão judicial, que pode sair nos próximos dias. Jonas José dos Santos, um dos diretores da entidade, salienta, no entanto, que esses grupos estão respeitando a convenção coletiva, já que nas liminares, foi determinado que os empregados têm de trabalhar em esquema de rodízio, ou seja, o estabelecimento pode abrir todo o domingo, mas o funcionário precisa descansar dois por mês. Isso significa a necessidade de escala: enquanto uns trabalham outros folgam no fim de semana.

Ainda segundo Santos, a categoria está em campanha salarial (a data base é outubro) e o Sindicato dos Comerciários também está em negociação em relação à abertura aos domingos.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;