Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Quadro eleitoral está indefinido em Rio Grande


Do Diário do Grande ABC

19/06/2004 | 18:40


Em Rio Grande da Serra, os partidos estão a meio caminho de concretizar as chapas para disputarem as eleições deste ano. Com exceção de Gilvan Mendonça (PPS), todos os pré-candidatos a prefeito já definiram seus vices. Entretanto, a formação das chapas de postulantes à Câmara Municipal continua indefinida.

Os partidos já estão praticamente com todas as alianças encaminhadas, mas ainda não sabem como será composta a chapa de vereadores. A explicação é a mesma entre todos os partidos: o fato de não saber se valerá a PEC (Proposta de Emenda Constitucional), parada no Senado, ou a resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), atrapalha a conclusão das chapas de vereadores.

Com isso, as convenções foram, em grande parte, deixadas para os dois últimos finais de semana do mês. O PT marcou a convenção para o dia 25, na rua Agostinho Cardoso, onde provavelmente será o cômite de campanha. Diferentemente da maioria dos grupos, que preferiram fazer as convenções na mesma data, cada aliado petista – PMDB, PL, PMN, PC do B e PP – fará em dias diferentes.

O grupo encabeçado pelo PSDB – formado por PTB, PV, PRP, PTN, Prona e PSB – fará a convenção em conjunto, no dia 27, na Câmara.

O PPS, que provavelmente realizará sua convenção com o PT do B, deixou para o dia 26, também na Câmara, enquanto o PFL não decidiu a data. O partido está em dúvida entre os dias 26 e 27. O PSTU também entrará na disputa eleitoral. O partido já tem definido o nome do pré-candidato – Antonio Ângelo dos Santos –, mas ainda não sabe quem será o vice. Eles só têm uma certeza: não vão se coligar.

O programa de governo dos candidatos está bem definido no campo das idéias, mas ainda nada concreto foi concebido. O PT apenas sabe que seus aliados terão três alicerces para governar a cidade, caso sejam eleitos: investir na saúde, na formação dos jovens e na aproximação com a população.

Colaborou Fernando Cassaro



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Quadro eleitoral está indefinido em Rio Grande

Do Diário do Grande ABC

19/06/2004 | 18:40


Em Rio Grande da Serra, os partidos estão a meio caminho de concretizar as chapas para disputarem as eleições deste ano. Com exceção de Gilvan Mendonça (PPS), todos os pré-candidatos a prefeito já definiram seus vices. Entretanto, a formação das chapas de postulantes à Câmara Municipal continua indefinida.

Os partidos já estão praticamente com todas as alianças encaminhadas, mas ainda não sabem como será composta a chapa de vereadores. A explicação é a mesma entre todos os partidos: o fato de não saber se valerá a PEC (Proposta de Emenda Constitucional), parada no Senado, ou a resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), atrapalha a conclusão das chapas de vereadores.

Com isso, as convenções foram, em grande parte, deixadas para os dois últimos finais de semana do mês. O PT marcou a convenção para o dia 25, na rua Agostinho Cardoso, onde provavelmente será o cômite de campanha. Diferentemente da maioria dos grupos, que preferiram fazer as convenções na mesma data, cada aliado petista – PMDB, PL, PMN, PC do B e PP – fará em dias diferentes.

O grupo encabeçado pelo PSDB – formado por PTB, PV, PRP, PTN, Prona e PSB – fará a convenção em conjunto, no dia 27, na Câmara.

O PPS, que provavelmente realizará sua convenção com o PT do B, deixou para o dia 26, também na Câmara, enquanto o PFL não decidiu a data. O partido está em dúvida entre os dias 26 e 27. O PSTU também entrará na disputa eleitoral. O partido já tem definido o nome do pré-candidato – Antonio Ângelo dos Santos –, mas ainda não sabe quem será o vice. Eles só têm uma certeza: não vão se coligar.

O programa de governo dos candidatos está bem definido no campo das idéias, mas ainda nada concreto foi concebido. O PT apenas sabe que seus aliados terão três alicerces para governar a cidade, caso sejam eleitos: investir na saúde, na formação dos jovens e na aproximação com a população.

Colaborou Fernando Cassaro

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;