Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Contaminaçao por catapora aumenta com a primavera


Adriana Lopes
Da Redaçao 

24/09/1999 | 22:21


A primavera começou oficialmente quinta no Brasil e trouxe com ela, além de temperaturas amenas e da beleza das flores, um alerta geral para toda a populaçao: o risco de contaminaçao por viroses.

Segundo médicos e especialistas da área de saúde, no período de transiçao entre o inverno e o verao - mais especificamente entre os meses de setembro e dezembro -, algumas doenças costumam ser freqüentes, principalmente a varicela, conhecida popularmente como catapora.  "É considerada uma das doenças mais contagiosas da atualidade, porque o tratamento preventivo ainda é pouco difundido no país", afirmou o infectologista Munir Akar Ayub, médico responsável pelo Centro de Vacinaçao do Hospital e Maternidade Brasil Pró-Imune, de Santo André.  

No Centro Pró-Imune, houve pelo menos 30 casos confirmados de varicela, segundo Ayub. O pediatra Walter Koga, da Clínica de Vacinaçao Neovacin-Imune, de Sao Bernardo, também já notificou mais de 30 casos nos últimos 30 dias. "Está acima do esperado. Todos os anos o número de casos aumenta, mas neste ano praticamente dobrou", disse Koga.  

A Vigilância Epidemiológica de Rio Grande da Serra confirmou dez casos de pessoas acometidas por catapora desde o começo deste mês, enquanto a de Santo André já foi notificada de 54 doentes. "Nao sabemos o número exato de ocorrências, mas nos últimos dez dias recebemos muitas ligaçoes de escolas e pais pedindo orientaçao sobre como tratar a doença", afirmou a chefe da Vigilância Epidemiológica de Sao Bernardo, Cândida Kirschbaum.

Apesar de ter grande incidência, principalmente entre crianças de 5 a 14 anos, a varicela costuma ser uma doença benigna, segundo o infectologista Humberto Barjud Onias, responsável pelo Ambulatório de Referência para Moléstias Infecciosas de Santo André. Ele afirma que raramente há complicaçoes, como infecçoes generalizadas da pele, infecçoes sistêmicas de órgaos internos, meningite e pneumonia. "A encefalite e a varicela hemorrágica sao conseqüências letais da catapora, mas ocorrem em pacientes que possuem outras doenças associadas, como problemas de coagulaçao do sangue."  

A transmissao da catapora se dá pelo ar (por meio da inalaçao de gotículas contaminadas que o doente exala quando tosse) ou pelo contato direto com o enfermo. Nao há remédios específicos para a doença, e o tratamento é sintomático: antitérmicos para cortar a febre e antialérgicos para o prurido. Para prevenir, existem hoje no mercado duas vacinas importadas, com preços na média de R$ 90 a dose. Crianças de até 12 anos precisam de apenas uma dose; acima dessa idade, é necessário tomar duas, com intervalo de quatro a oito semanas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Contaminaçao por catapora aumenta com a primavera

Adriana Lopes
Da Redaçao 

24/09/1999 | 22:21


A primavera começou oficialmente quinta no Brasil e trouxe com ela, além de temperaturas amenas e da beleza das flores, um alerta geral para toda a populaçao: o risco de contaminaçao por viroses.

Segundo médicos e especialistas da área de saúde, no período de transiçao entre o inverno e o verao - mais especificamente entre os meses de setembro e dezembro -, algumas doenças costumam ser freqüentes, principalmente a varicela, conhecida popularmente como catapora.  "É considerada uma das doenças mais contagiosas da atualidade, porque o tratamento preventivo ainda é pouco difundido no país", afirmou o infectologista Munir Akar Ayub, médico responsável pelo Centro de Vacinaçao do Hospital e Maternidade Brasil Pró-Imune, de Santo André.  

No Centro Pró-Imune, houve pelo menos 30 casos confirmados de varicela, segundo Ayub. O pediatra Walter Koga, da Clínica de Vacinaçao Neovacin-Imune, de Sao Bernardo, também já notificou mais de 30 casos nos últimos 30 dias. "Está acima do esperado. Todos os anos o número de casos aumenta, mas neste ano praticamente dobrou", disse Koga.  

A Vigilância Epidemiológica de Rio Grande da Serra confirmou dez casos de pessoas acometidas por catapora desde o começo deste mês, enquanto a de Santo André já foi notificada de 54 doentes. "Nao sabemos o número exato de ocorrências, mas nos últimos dez dias recebemos muitas ligaçoes de escolas e pais pedindo orientaçao sobre como tratar a doença", afirmou a chefe da Vigilância Epidemiológica de Sao Bernardo, Cândida Kirschbaum.

Apesar de ter grande incidência, principalmente entre crianças de 5 a 14 anos, a varicela costuma ser uma doença benigna, segundo o infectologista Humberto Barjud Onias, responsável pelo Ambulatório de Referência para Moléstias Infecciosas de Santo André. Ele afirma que raramente há complicaçoes, como infecçoes generalizadas da pele, infecçoes sistêmicas de órgaos internos, meningite e pneumonia. "A encefalite e a varicela hemorrágica sao conseqüências letais da catapora, mas ocorrem em pacientes que possuem outras doenças associadas, como problemas de coagulaçao do sangue."  

A transmissao da catapora se dá pelo ar (por meio da inalaçao de gotículas contaminadas que o doente exala quando tosse) ou pelo contato direto com o enfermo. Nao há remédios específicos para a doença, e o tratamento é sintomático: antitérmicos para cortar a febre e antialérgicos para o prurido. Para prevenir, existem hoje no mercado duas vacinas importadas, com preços na média de R$ 90 a dose. Crianças de até 12 anos precisam de apenas uma dose; acima dessa idade, é necessário tomar duas, com intervalo de quatro a oito semanas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;