Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 9 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Caminhoneiros conseguem 33% no reajuste dos fretes


Do Diário do Grande ABC

29/09/1999 | 17:58


Os caminhoneiros do Estado de Sao Paulo obtiveram reajuste de 33,15% nos valores dos fretes. Acordo firmado pelo Sindicam-SP prevê que os reajustes sejam automáticos no caso de novos aumentos de combustíveis, e que os pedágios sejam pagos separadamente. Esse resultado foi obtido após a paralisaçao, com duraçao de 26 horas, dos cerca de mil caminhoneiros que transportam substâncias tóxicas no Estado. O transporte de cargas tóxicas voltou ao normal desde às duas horas de terça-feira.

De acordo com avaliaçao do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de Sao Paulo, o movimento da categoria afetou principalmente as indústrias e armazéns gerais localizados na Baixada Santista, como a Dow Química, a Carbocloro, a Ultrafertil, a Uniao de Terminais e a Dibal.

O acordo é a segunda conquista do Sindicam/SP nos últimos dois meses. No final de agosto, o sindicato firmou acordo com a Federaçao das Empresas de Transportes da Amazônia que beneficiou 2.500 caminhoneiros que fazem o transporte de produtos eletroeletrônicos para a Zona Franca de Manaus. Nesse acordo a categoria obteve 31% de reajuste no frete, além do pagamento em separado do pedágio e o reajuste automático do valor do frete, em caso de aumentos do diesel.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caminhoneiros conseguem 33% no reajuste dos fretes

Do Diário do Grande ABC

29/09/1999 | 17:58


Os caminhoneiros do Estado de Sao Paulo obtiveram reajuste de 33,15% nos valores dos fretes. Acordo firmado pelo Sindicam-SP prevê que os reajustes sejam automáticos no caso de novos aumentos de combustíveis, e que os pedágios sejam pagos separadamente. Esse resultado foi obtido após a paralisaçao, com duraçao de 26 horas, dos cerca de mil caminhoneiros que transportam substâncias tóxicas no Estado. O transporte de cargas tóxicas voltou ao normal desde às duas horas de terça-feira.

De acordo com avaliaçao do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de Sao Paulo, o movimento da categoria afetou principalmente as indústrias e armazéns gerais localizados na Baixada Santista, como a Dow Química, a Carbocloro, a Ultrafertil, a Uniao de Terminais e a Dibal.

O acordo é a segunda conquista do Sindicam/SP nos últimos dois meses. No final de agosto, o sindicato firmou acordo com a Federaçao das Empresas de Transportes da Amazônia que beneficiou 2.500 caminhoneiros que fazem o transporte de produtos eletroeletrônicos para a Zona Franca de Manaus. Nesse acordo a categoria obteve 31% de reajuste no frete, além do pagamento em separado do pedágio e o reajuste automático do valor do frete, em caso de aumentos do diesel.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;