Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sem Ronaldo, Timão tenta se impor diante do Vasco



27/05/2009 | 07:00


A torcida já se acostumou com os gols decisivos de Ronaldo, mas o Corinthians enfrenta o Vasco hoje, às 21h50, no Maracanã, no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil, disposto a mostrar que não é dependente de seu principal astro. O Fenômeno ainda se recupera de dores musculares na panturrilha direita e foi vetado.

"Com certeza vamos perder em qualidade, mas vamos aprender a conviver sem ele e resolver nossos problemas sem ele", afirmou o técnico Mano Menezes, ao comentar o único desfalque para a partida.

Desde que chegou ao Corinthians, no final do ano passado, Ronaldo atuou em 16 partidas e foi determinante em oito delas, quando marcou 10 gols.

Com o camisa 9 em campo, o time disputou e avançou em quatro confrontos eliminatórios nesta temporada: dois pela Copa do Brasil (Atlético-PR e Fluminense) e dois pelo Paulistão (São Paulo e Santos).

O volante Elias e o lateral Alessandro avaliam que será difícil suprir a ausência do atacante, porque mesmo quando não joga bem. Ronaldo é capaz de decidir em um lance isolado.

Mano Menezes mais uma vez minimizou a "dependência" de sua equipe do Fenômeno. "Se eles consideram o Ronaldo tão importante, vou fazer um pedido a eles: que façam seu papel e tragam a decisão para São Paulo, porque o Ronaldo estará em campo." O jogo de volta será no dia 3 de junho, no Pacaembu.

Mano Menezes não revelou o substituto de Ronaldo. São duas as opções: apostar no atacante Souza, o que manteria o esquema, ou entrar com o meia Morais, provocando mudança tática.

"Sem o Ronaldo, tentaremos ganhar em outros aspectos, como na força e na movimentação", explicou o treinador, que pelo segundo ano seguido tenta conquistar a Copa do Brasil.

Para reforçar sua tese de que o Corinthians não depende exclusivamente de Ronaldo, Mano citou a única derrota do time titular na temporada (3 a 2 para o Atlético-PR, em Curitiba, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil). "Com o Ronaldo em campo, perdíamos por 2 a 0. No segundo tempo, reagimos e fizemos dois sem ele",

Ontem, o STJD suspendeu Ronaldo com um jogo por puxar o cabelo do volante Fahel na partida contra o Botafogo. Mas a punição não altera a rotina do Corinthians. É que, por conta da lesão na panturrilha, Ronaldo já estava mesmo fora da próxima rodada, diante do Santos, no domingo.

Meta corintiana é usar o regulamento e fazer gols fora

Marcar gols, nem que seja apenas um, diante dos cariocas. Esse foi o pedido de Mano Menezes aos jogadores antes da viagem ao Rio.

Ontem, o técnico comandou um treino de definição e de bolas paradas. Chicão, artilheiro do time na temporada, com 11 gols, e Douglas eram os encarregados das cobranças.

"Marcar gols será importante para dar mais tranquilidade no jogo de volta", afirmou o volante Elias.

"Acho a regra do gol fora de casa um pouco ingrata, poderíamos trabalhar com saldo simples de gols", afirmou Mano. "Ela foi criada para que as equipes tentassem marcar mais gols fora, mas estamos vendo que agora é quem joga em casa que prefere não sofrer gols", completou o treinador.

Mano Menezes classifica como perigosos os jogos como mandante, agora. "Tinham de encontrar outra fórmula para valorizar os gols. Diante do Fluminense, pensamos muito em como íamos buscar o segundo gol sem correr risco e acabou que o 1 a 0 foi decisivo", enfatizou.

Desde 2008 o Timão vem sendo um visitante incômodo na Copa do Brasil. O único jogo no qual deixou a desejar perdeu o título para o Sport, com derrota por 2 a 0 na Ilha do Retiro.

Vasco quer transformar Maraca em caldeirão

Sem poder contar com seu principal jogador, o meia Carlos Alberto, que está suspenso, o Vasco tem um trunfo para tentar vencer o Corinthians no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil: a própria torcida, que promete lotar o Maracanã e transformá-lo num caldeirão parecido com o que costuma fazer em São Januário. Até o fim da tarde de ontem mais de 57 mil ingressos já tinha sido vendidos.

A diretoria do Vasco foi criticada por ter optado por levar o jogo com o Corinthians para o Maracanã, onde conseguirá maior renda. Afinal, na teoria, o Vasco teria maiores chances de vitória em São Januário, onde cabem apenas 18 mil torcedores e a pressão sobre os adversários costuma ser sufocante.

"Eu preferia que a partida fosse em São Januário, onde estamos habituados a atuar e temos melhores pontos de referência do campo", admitiu o técnico Dorival Júnior, que acredita num total de quase 80 mil pessoas presentes no Maracanã.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem Ronaldo, Timão tenta se impor diante do Vasco


27/05/2009 | 07:00


A torcida já se acostumou com os gols decisivos de Ronaldo, mas o Corinthians enfrenta o Vasco hoje, às 21h50, no Maracanã, no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil, disposto a mostrar que não é dependente de seu principal astro. O Fenômeno ainda se recupera de dores musculares na panturrilha direita e foi vetado.

"Com certeza vamos perder em qualidade, mas vamos aprender a conviver sem ele e resolver nossos problemas sem ele", afirmou o técnico Mano Menezes, ao comentar o único desfalque para a partida.

Desde que chegou ao Corinthians, no final do ano passado, Ronaldo atuou em 16 partidas e foi determinante em oito delas, quando marcou 10 gols.

Com o camisa 9 em campo, o time disputou e avançou em quatro confrontos eliminatórios nesta temporada: dois pela Copa do Brasil (Atlético-PR e Fluminense) e dois pelo Paulistão (São Paulo e Santos).

O volante Elias e o lateral Alessandro avaliam que será difícil suprir a ausência do atacante, porque mesmo quando não joga bem. Ronaldo é capaz de decidir em um lance isolado.

Mano Menezes mais uma vez minimizou a "dependência" de sua equipe do Fenômeno. "Se eles consideram o Ronaldo tão importante, vou fazer um pedido a eles: que façam seu papel e tragam a decisão para São Paulo, porque o Ronaldo estará em campo." O jogo de volta será no dia 3 de junho, no Pacaembu.

Mano Menezes não revelou o substituto de Ronaldo. São duas as opções: apostar no atacante Souza, o que manteria o esquema, ou entrar com o meia Morais, provocando mudança tática.

"Sem o Ronaldo, tentaremos ganhar em outros aspectos, como na força e na movimentação", explicou o treinador, que pelo segundo ano seguido tenta conquistar a Copa do Brasil.

Para reforçar sua tese de que o Corinthians não depende exclusivamente de Ronaldo, Mano citou a única derrota do time titular na temporada (3 a 2 para o Atlético-PR, em Curitiba, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil). "Com o Ronaldo em campo, perdíamos por 2 a 0. No segundo tempo, reagimos e fizemos dois sem ele",

Ontem, o STJD suspendeu Ronaldo com um jogo por puxar o cabelo do volante Fahel na partida contra o Botafogo. Mas a punição não altera a rotina do Corinthians. É que, por conta da lesão na panturrilha, Ronaldo já estava mesmo fora da próxima rodada, diante do Santos, no domingo.

Meta corintiana é usar o regulamento e fazer gols fora

Marcar gols, nem que seja apenas um, diante dos cariocas. Esse foi o pedido de Mano Menezes aos jogadores antes da viagem ao Rio.

Ontem, o técnico comandou um treino de definição e de bolas paradas. Chicão, artilheiro do time na temporada, com 11 gols, e Douglas eram os encarregados das cobranças.

"Marcar gols será importante para dar mais tranquilidade no jogo de volta", afirmou o volante Elias.

"Acho a regra do gol fora de casa um pouco ingrata, poderíamos trabalhar com saldo simples de gols", afirmou Mano. "Ela foi criada para que as equipes tentassem marcar mais gols fora, mas estamos vendo que agora é quem joga em casa que prefere não sofrer gols", completou o treinador.

Mano Menezes classifica como perigosos os jogos como mandante, agora. "Tinham de encontrar outra fórmula para valorizar os gols. Diante do Fluminense, pensamos muito em como íamos buscar o segundo gol sem correr risco e acabou que o 1 a 0 foi decisivo", enfatizou.

Desde 2008 o Timão vem sendo um visitante incômodo na Copa do Brasil. O único jogo no qual deixou a desejar perdeu o título para o Sport, com derrota por 2 a 0 na Ilha do Retiro.

Vasco quer transformar Maraca em caldeirão

Sem poder contar com seu principal jogador, o meia Carlos Alberto, que está suspenso, o Vasco tem um trunfo para tentar vencer o Corinthians no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil: a própria torcida, que promete lotar o Maracanã e transformá-lo num caldeirão parecido com o que costuma fazer em São Januário. Até o fim da tarde de ontem mais de 57 mil ingressos já tinha sido vendidos.

A diretoria do Vasco foi criticada por ter optado por levar o jogo com o Corinthians para o Maracanã, onde conseguirá maior renda. Afinal, na teoria, o Vasco teria maiores chances de vitória em São Januário, onde cabem apenas 18 mil torcedores e a pressão sobre os adversários costuma ser sufocante.

"Eu preferia que a partida fosse em São Januário, onde estamos habituados a atuar e temos melhores pontos de referência do campo", admitiu o técnico Dorival Júnior, que acredita num total de quase 80 mil pessoas presentes no Maracanã.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;