Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Inflação da Alemanha sobe em fevereiro



12/03/2013 | 04:31


A inflação de preços ao consumidor na Alemanha, maior economia da zona do euro, manteve-se bem abaixo da zona de conforto do Banco Central Europeu - de até 2% - em fevereiro, caindo para a menor leitura anual desde dezembro de 2010, de acordo com os dados finais do escritório federal de estatísticas Destatis.

Inflação anual da Alemanha desacelerou para 1,5% em fevereiro, de 1,7% em janeiro, com os preços de energia e alimentos mostrando um aumento mais moderado do que no primeiro mês do ano, afirmou o Destatis, confirmando os dados preliminares que foram publicados em 28 de fevereiro. A taxa anual do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) é a mais baixa desde dezembro de 2010, quando foi de 1,3%, afirmou o Destatis.

Os preços da energia e dos alimentos aumentaram 3,9% e 3,1%, respectivamente, em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2012, segundo os dados.

Excluindo os preços de energia e alimentos, a leitura do CPI anual teria sido de 1,1%, disse o Destatis.

O índice de preços ao consumidor subiu 0,6% em fevereiro ante janeiro, depois de cair 0,5% em janeiro na mesma comparação, afirmou o órgão confirmando também a sua leitura preliminar.

Na comparação mensal, os preços da energia subiram 1,2% em fevereiro ante janeiro, enquanto os preços dos alimentos caíram 0,1% na mesma comparação.

As autoridades do Banco Central Europeu fizeram apenas um pequeno ajuste de suas projeções de CPI, deixando a estimativa central deste ano inalterada em 1,6% e cortando a do próximo ano para 1,3%, de 1,4%.

Em termos europeus harmonizados, os preços ao consumidor alemão avançaram 0,8% em fevereiro ante janeiro e 1,8% em relação ao mesmo mês de 2012, disse o Destatis, confirmando também a sua leitura preliminar. As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inflação da Alemanha sobe em fevereiro


12/03/2013 | 04:31


A inflação de preços ao consumidor na Alemanha, maior economia da zona do euro, manteve-se bem abaixo da zona de conforto do Banco Central Europeu - de até 2% - em fevereiro, caindo para a menor leitura anual desde dezembro de 2010, de acordo com os dados finais do escritório federal de estatísticas Destatis.

Inflação anual da Alemanha desacelerou para 1,5% em fevereiro, de 1,7% em janeiro, com os preços de energia e alimentos mostrando um aumento mais moderado do que no primeiro mês do ano, afirmou o Destatis, confirmando os dados preliminares que foram publicados em 28 de fevereiro. A taxa anual do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) é a mais baixa desde dezembro de 2010, quando foi de 1,3%, afirmou o Destatis.

Os preços da energia e dos alimentos aumentaram 3,9% e 3,1%, respectivamente, em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2012, segundo os dados.

Excluindo os preços de energia e alimentos, a leitura do CPI anual teria sido de 1,1%, disse o Destatis.

O índice de preços ao consumidor subiu 0,6% em fevereiro ante janeiro, depois de cair 0,5% em janeiro na mesma comparação, afirmou o órgão confirmando também a sua leitura preliminar.

Na comparação mensal, os preços da energia subiram 1,2% em fevereiro ante janeiro, enquanto os preços dos alimentos caíram 0,1% na mesma comparação.

As autoridades do Banco Central Europeu fizeram apenas um pequeno ajuste de suas projeções de CPI, deixando a estimativa central deste ano inalterada em 1,6% e cortando a do próximo ano para 1,3%, de 1,4%.

Em termos europeus harmonizados, os preços ao consumidor alemão avançaram 0,8% em fevereiro ante janeiro e 1,8% em relação ao mesmo mês de 2012, disse o Destatis, confirmando também a sua leitura preliminar. As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;