Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

E toca a vuvuzela

E pensar que há tão pouco tempo este colunista nunca tinha ouvido falar em vuvuzela! Mas vamos evitar o "eu era feliz e não sabia".


Carlos Brickmann

23/06/2010 | 00:00


E pensar que há tão pouco tempo este colunista nunca tinha ouvido falar em vuvuzela! Mas vamos evitar o "eu era feliz e não sabia". Pois há coisas piores:
1 - Ouvir o Roberto Jefferson cantando. Quando ele assassina Nervos de Aço, do grande Lupicínio Rodrigues, é mais horrendo ainda. Até o armário caiu nele.
2 - Eduardo Suplicy. Não, não é o seu discurso, que é quase tão ruim quanto a vuvuzela; nem ouvi-lo na inacreditável interpretação de Blowing in the Wind. Pior que a vuvuzela é quando encontra alguém e dana a falar de renda mínima.
3 - As discussões sobre o comportamento do técnico Dunga, sua cara de bravo, seja o que quer que tenha acontecido. Dizem que a diferença entre Dunga e Deus é que Deus nunca pensou que fosse Dunga.
4 - As eleições presidenciais. Os dois principais candidatos são mais chatos que qualquer vuvuzela. Trocaram o Picolé de Chuchu por Cozido de Jiló.
5 - Moral e bons costumes na política brasileira. Enquanto a gente comemora o Ficha Limpa, Serra vai com Roriz em Brasília. E Dilma lança a candidatura vuvuzela de Geddel. Será que ela viu o famoso vídeo Geddel vai às compras?
6 - Os estádios da Copa. Os estádios em si, tudo bem: deve ser tudo como de costume, dinheiro público à vontade para cumprir os compromissos do País com a Fifa. Mas pior que a vuvuzela é aquela conversa de que todos os bilhões dos estádios, sem exceção de um único centavo, sairão da iniciativa privada.
Isso é verdade. O dinheiro sai da esfera pública para cair na privada.

VUVUZELINHA
Esta iguaria é exclusiva para paulistas: anúncios de TV que apresentam o socialite-socialista Paulo Skaf como candidato ao governo. Este colunista viu e garante que, por incrível que pareça, é verdade. Ele diz quem é - "Sou Paulo Skaf. Ou simplesmente Skaf" - e em seguida pergunta às vítimas do anúncio: "Mas quem é você? Quem é você? Quem são vocês?" Como ele não fornece endereço para resposta, os caros leitores podem mandá-las para esta coluna.

VUVUZELONA
O PSDB acaba de perder o título de ‘Partido do Muro'. O autor da proeza de ocupar o ninho dos tucanos é o candidato do PMDB ao governo gaúcho, José Fogaça, indeciso entre Dilma e Serra. Sua frase histórica: "Uma imparcialidade ativa não é uma posição em cima do muro. É uma posição altamente proativa, efetiva, em favor da nossa eleição aqui no Rio Grande do Sul. Uma posição extremamente corajosa, inclusive". Pura verdade: é preciso ter muita coragem para dizer certas coisas.

VUVUZELAS. NÓS PAGAMOS
Engana-se quem pensa que o Brasil mandou à África do Sul os 23 jogadores da Seleção mais a comissão técnica, mais os cartolas (esses, pelo menos, têm despesas pagas pela CBF, uma entidade privada). O Brasil, com dinheiro público, mandou mais 63 funcionários à África do Sul. Só a TV Lula, para atender à sua grande audiência, mandou 11 pessoas. Muita gente foi ‘compor' a ‘Equipe de Observadores da Copa do Mundo Fifa 2010'. Chegaram dia 12, devem voltar dia 26 (ah, sim: além das despesas, dos salários, há as diárias de viagem). Há quem tenha ido "para participar das ações de promoção durante a Copa do Mundo na África do Sul". Veja nome por nome no portal Contas Abertas http://contasabertas.uol.com.br/WebSite/Noticias/DetalheNoticias.aspx?Id=171

VUVUZELA NO CLIENTE
O advogado Fernando Lottenberg, assíduo leitor desta coluna, faz um acréscimo à informação sobre a TV Time Machine, da LG, que dá defeito sempre na mesma peça (caríssima) e mesmo assim não merece um recall. Diz Lottenberg: "Em celulares a LG também é campeã. A tela do aparelho do meu filho vazou depois de dez dias da compra. A garantia da loja Vivo termina em sete dias, eles se recusaram a trocar, disseram que era ‘mau uso', mas não entraram em detalhes. Fui ao Procon e me devolveram o dinheiro". Mas só devolveram obrigados - e porque o cliente, advogado, conhecia os caminhos legais para forçá-los a cumprir a lei.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

E toca a vuvuzela

E pensar que há tão pouco tempo este colunista nunca tinha ouvido falar em vuvuzela! Mas vamos evitar o "eu era feliz e não sabia".

Carlos Brickmann

23/06/2010 | 00:00


E pensar que há tão pouco tempo este colunista nunca tinha ouvido falar em vuvuzela! Mas vamos evitar o "eu era feliz e não sabia". Pois há coisas piores:
1 - Ouvir o Roberto Jefferson cantando. Quando ele assassina Nervos de Aço, do grande Lupicínio Rodrigues, é mais horrendo ainda. Até o armário caiu nele.
2 - Eduardo Suplicy. Não, não é o seu discurso, que é quase tão ruim quanto a vuvuzela; nem ouvi-lo na inacreditável interpretação de Blowing in the Wind. Pior que a vuvuzela é quando encontra alguém e dana a falar de renda mínima.
3 - As discussões sobre o comportamento do técnico Dunga, sua cara de bravo, seja o que quer que tenha acontecido. Dizem que a diferença entre Dunga e Deus é que Deus nunca pensou que fosse Dunga.
4 - As eleições presidenciais. Os dois principais candidatos são mais chatos que qualquer vuvuzela. Trocaram o Picolé de Chuchu por Cozido de Jiló.
5 - Moral e bons costumes na política brasileira. Enquanto a gente comemora o Ficha Limpa, Serra vai com Roriz em Brasília. E Dilma lança a candidatura vuvuzela de Geddel. Será que ela viu o famoso vídeo Geddel vai às compras?
6 - Os estádios da Copa. Os estádios em si, tudo bem: deve ser tudo como de costume, dinheiro público à vontade para cumprir os compromissos do País com a Fifa. Mas pior que a vuvuzela é aquela conversa de que todos os bilhões dos estádios, sem exceção de um único centavo, sairão da iniciativa privada.
Isso é verdade. O dinheiro sai da esfera pública para cair na privada.

VUVUZELINHA
Esta iguaria é exclusiva para paulistas: anúncios de TV que apresentam o socialite-socialista Paulo Skaf como candidato ao governo. Este colunista viu e garante que, por incrível que pareça, é verdade. Ele diz quem é - "Sou Paulo Skaf. Ou simplesmente Skaf" - e em seguida pergunta às vítimas do anúncio: "Mas quem é você? Quem é você? Quem são vocês?" Como ele não fornece endereço para resposta, os caros leitores podem mandá-las para esta coluna.

VUVUZELONA
O PSDB acaba de perder o título de ‘Partido do Muro'. O autor da proeza de ocupar o ninho dos tucanos é o candidato do PMDB ao governo gaúcho, José Fogaça, indeciso entre Dilma e Serra. Sua frase histórica: "Uma imparcialidade ativa não é uma posição em cima do muro. É uma posição altamente proativa, efetiva, em favor da nossa eleição aqui no Rio Grande do Sul. Uma posição extremamente corajosa, inclusive". Pura verdade: é preciso ter muita coragem para dizer certas coisas.

VUVUZELAS. NÓS PAGAMOS
Engana-se quem pensa que o Brasil mandou à África do Sul os 23 jogadores da Seleção mais a comissão técnica, mais os cartolas (esses, pelo menos, têm despesas pagas pela CBF, uma entidade privada). O Brasil, com dinheiro público, mandou mais 63 funcionários à África do Sul. Só a TV Lula, para atender à sua grande audiência, mandou 11 pessoas. Muita gente foi ‘compor' a ‘Equipe de Observadores da Copa do Mundo Fifa 2010'. Chegaram dia 12, devem voltar dia 26 (ah, sim: além das despesas, dos salários, há as diárias de viagem). Há quem tenha ido "para participar das ações de promoção durante a Copa do Mundo na África do Sul". Veja nome por nome no portal Contas Abertas http://contasabertas.uol.com.br/WebSite/Noticias/DetalheNoticias.aspx?Id=171

VUVUZELA NO CLIENTE
O advogado Fernando Lottenberg, assíduo leitor desta coluna, faz um acréscimo à informação sobre a TV Time Machine, da LG, que dá defeito sempre na mesma peça (caríssima) e mesmo assim não merece um recall. Diz Lottenberg: "Em celulares a LG também é campeã. A tela do aparelho do meu filho vazou depois de dez dias da compra. A garantia da loja Vivo termina em sete dias, eles se recusaram a trocar, disseram que era ‘mau uso', mas não entraram em detalhes. Fui ao Procon e me devolveram o dinheiro". Mas só devolveram obrigados - e porque o cliente, advogado, conhecia os caminhos legais para forçá-los a cumprir a lei.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;