Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

TV degrada moral da família, diz CNBB


Do Diário do Grande ABC

25/11/2000 | 00:07


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil afirmou na sexta que a televisao está patrocinando a degradaçao moral da família brasileira com sua programaçao. Em nota oficial, a CNBB diz que as emissoras de televisao estao levando aos lares brasileiros "o sexo explícito, o linguajar abusivo, a degradaçao de convivência familiar e social, a violência e o preconceito".

Ao referir-se ao encontro de anteontem do presidente Fernando Henrique Cardoso com atores da novela Laços de Família, da Rede Globo - proibida pela 1ª Vara da Infância e da Juventude do Rio de exibir imagens de crianças - , o presidente da CNBB, d. Jayme Chemello, usou uma citaçao bíblica para criticá-lo. "Só espero que o presidente nao se deixe vender por um prato de comida", disse o bispo, desaprovando o encontro.

D.Jayme Chemello afirmou que as imagens e temas exibidos ultimamente pelos programas televisivos sao um incentivo à violência, à erotizaçao da infância e à discriminaçao de culturas, como a indígena, numa referência indireta à novela Uga, Uga . O enredo da trama aborda os costumes e tradiçoes indígenas.

"Explorar tais imagens e conteúdos nao é exercício da liberdade democrática, mas a manifestaçao do autoritarismo dos meios de comunicaçao", disse o bispo, ao defender a imediata mudança de abordagem dos programas televisivos. Para o bispo, a sociedade exige programas "sadios e de conteúdo mais éticos".

Esta semana bispos de todo o país, reunidos em Brasília durante o Conselho Permanente da CNBB, defenderam a imediata regulamentaçao e instalaçao do Conselho Nacional de Comunicaçao Social, previsto no artigo 224 da Constituiçao. A igreja quer integrar o conselho. A CNBB entende que o conselho "é uma passo para se avançar no processo de democratizaçao dos meios de comunicaçao e torná-lo cada vez mais servidores do bem comum".

Censura - Mesmo defendendo mudanças de conteúdo na programaçao das emissoras de TV, d. Jayme Chemello condenou qualquer tipo de censura prévia aos meios de comunicaçao. Ele lembrou, entretanto, que "a liberdade na comunicaçao social pressupoe respeito aos padroes e valores éticos que regulam as relaçoes sociais". Ainda, segundo o bispo, os pais têm hoje grande dificuldade na orientaçao de seus filhos por causa das "constantes deformaçoes veiculadas nos programas televisivos".

Segundo a CNBB, a populaçao brasileira está ávida por programas de melhor nível artístico e cultural. Chemello afirmou que, em vez de programas de apelo erótico e preconceituosos, as emissoras de televisao deveriam se preocupar mais com a veiculaçao de conteúdos educativos e culturais. "Dizer que o povo nao aceita e nao gosta de programas de melhor nível, é uma mentira", disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;