Fechar
Publicidade

Sábado, 30 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Central telefônica é descoberta em SP


Do Diário OnLine

13/04/2002 | 14:11


Uma central telefônica foi descoberta durante uma blitz realizada por agentes do DHPP e do Denarc na Cidade Tiradentes, zona Leste de São Paulo. A central era comanda por uma presidiária do Dacar IV.

A detenta Maria Elisa Reginaldo dos Santos, 42 anos, com um aparelho celular, cobrava R$ 5 para que outras presas fizessem ligações. A central funcionava em sua casa.

Sua filha adolescente usava um sistema improvisado e completava a ligação sem pagar à Telefônica.

No local, a polícia encontrou dois aparelhos telefônicos e vários fios que possibilitavam as ligações clandestinas. A residência possuía cinco linhas telefônicas em nome de Edmilson dos Santos, que não foi encontrado.

No Dacar, a polícia encontrou um celular com a detenta. Ela disse que não tem relação com qualquer facção criminosa e afirmou que sua única finalidade era ganhar dinheiro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Central telefônica é descoberta em SP

Do Diário OnLine

13/04/2002 | 14:11


Uma central telefônica foi descoberta durante uma blitz realizada por agentes do DHPP e do Denarc na Cidade Tiradentes, zona Leste de São Paulo. A central era comanda por uma presidiária do Dacar IV.

A detenta Maria Elisa Reginaldo dos Santos, 42 anos, com um aparelho celular, cobrava R$ 5 para que outras presas fizessem ligações. A central funcionava em sua casa.

Sua filha adolescente usava um sistema improvisado e completava a ligação sem pagar à Telefônica.

No local, a polícia encontrou dois aparelhos telefônicos e vários fios que possibilitavam as ligações clandestinas. A residência possuía cinco linhas telefônicas em nome de Edmilson dos Santos, que não foi encontrado.

No Dacar, a polícia encontrou um celular com a detenta. Ela disse que não tem relação com qualquer facção criminosa e afirmou que sua única finalidade era ganhar dinheiro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;