Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 2 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Chuva sempre representa


Wagner Oliveira
Do Diário do Grande ABC

26/01/2011 | 07:17


Se a chuva sempre representa ameaça para quem dirige, na estação marcada pelas tempestades o perigo dobra. Além de provocar os temidos alagamentos, as intempéries, mesmo as menos violentas, também podem criar condições que causam deslizamentos ou aquaplanagem dos veículos.

"Grande parte dos motoristas desconhece o risco da direção sob chuva, mesmo as de pequena intensidade", afirmou Dirceu Rodrigues Alves, diretor da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego). "Esse desconhecimento ajuda a aumentar as tristes estatísticas sobre mortos e feridos em acidentes automobilísticos em todo o País."

Segundo dados da Abramet, a chuva é responsável por boa parte dos acidentes que deixam 38 mil mortos, 400 mil feridos - 110 mil com sequelas graves - anualmente no Brasil.

Com o aquecimento global, que intensifica os efeitos climáticos, o risco de as estatísticas ficarem ainda mais cruéis aumenta no Brasil, onde a maioria dos motoristas não sabe dirigir sob condições atípicas.

A isso se soma o fato de a indústria automobilística não ter desenvolvido tecnologias para proteger os ocupantes de veículos em situações críticas. "Não existe tecnologia no mundo que evite riscos em nevascas, furacões, cheias ou tempestades", disse Paulo Roberto Garbossa, consultor da ADK.

Por isso, a recomendação dos especialistas é prudência diante das forças da natureza. "Em tempos de mudanças climáticas, as pessoas devem estar mais atentas", recomenda o médico Rodrigues Alves.

No Brasil, cujas chuvas passaram de tropicais para verdadeiras tempestades, levando ao transbordamento de rios e constante alagamento de vias, os riscos aumentam.

Para não se ver nessa situação, a Abramet recomenda que, ao primeiro sinal de chuva, o motorista não saia de onde estiver. Se já estiver na rua, a opção deve ser trafegar por vias de regiões mais altas, menos sujeitas a enchentes. Se perceber o alagamento, deve sair, fechar o veículo e se proteger.

O condutor nunca deve avançar se a água passar do nível do meio da roda. "Em áreas alagadas, o risco é o do desconhecido", revelou o vice-presidente de autos da Mapfre Seguros, Jabis Alexandre. "Você nunca sabe quais os perigos escondidos. Buracos, paus e pedras podem complicar ainda mais a situação."

Se o motor estiver ligado, o condutor deve sempre optar pela marcha à ré - nunca avançar. Se o carro apagou, a partida não deve ser tentada, pois o propulsor pode aspirar água por meio do escapamento, causando o que os técnicos chamam de calço hidráulico.

Em situações que a água subiu à altura da porta, a Abramet recomenda que se gesticule, balance os braços e solicite socorro, que deve ser prestado por bombeiros, Defesa Civil ou Polícia Militar.

"Há ainda carros que, em razão da arquitetura ou da massa corporal do indivíduo, a saída pela janela é dificultada", lembra Rodrigues Alves. "Como água faz pressão e impede abertura das portas, o socorro fica muito mais difícil. Só suba no teto se o interior for totalmente inundado"

Segundo a Abramet, além das perdas financeiras, vítimas de alagamentos sofrem traumas superados somente com terapia. "Nas mulheres, há incrível alteração do estado psíquico", disse Rodrigues Alves.

Na tentativa de ajudar na conscientização, a associação faz campanhas recomendando o máximo de atenção durante os dias de chuvas, não só nas estradas como na cidade.

As dicas mais comuns são atenção redobrada para condições de rodovias, onde é possível a ocorrência de deslizamentos e quedas de barreiras.

Também recomenda a redução da velocidade para um limite seguro. Limpadores de para-brisa devem estar o tempo todo ligados. Freadas fortes devem ser evitadas. O fumo não é recomendado, pois causa embaçamento do vidro.

Se o carro aquaplanar (deslizar sobre lâmina d'água), o condutor não deve frear nem pisar na embreagem. A dica é soltar o acelerador e deixar até que haja contato com o piso.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;