Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Palmeiras é finalista na Libertadores


Do Diário do Grande ABC

27/05/1999 | 00:13


Com dois gols do meia Alex, o Palmeiras venceu o River Plate, da Argentina, por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, no Palestra Itália, em Sao Paulo, e chegou à sua primeira final de Taça Libertadores da América em 31 anos.

O time paulista entrou em campo precisando vencer por dois gols de diferença, já que havia perdido por 1 a 0, na partida de ida, em Buenos Aires, há uma semana. E nao precisou de muito tempo para anular a vantagem do time argentino. Antes dos 20 minutos de jogo já vencia por 2 a 0 - Alex marcou aos 17 e Roque Junior, aos 19 minutos. No segundo tempo, o time administrou a vantagem e, aos 43 minutos, Alex marca outra vez e consolidada a classificaçao.

Em nove Libertadores disputadas, o Palmeiras chegou outras duas vezes em uma final - em 61 e 68 - mas nao venceu nenhuma. Desta vez, vai enfrentar o Deportivo Cali, da Colômbia, que perdeu por 3 a 2 para o Cerro Porteño, em Assunçao, mas garantiu a vaga na final pelo saldo de gols. No jogo de ida, em Cali, havia vencido por 4 a 0. A primeira partida da final será na quarta-feira, em Cali. A segunda, na quarta seguinte, em Sao Paulo.

Os torcedores do Palmeiras tinham certeza da vitória. Tanto, que já na segunda-feira, esgotaram os 32 mil ingressos colocados á venda. Empurrado pela torcida e cheio confiança o time alviverde foi à frente. O trabalho foi facilitado também pela postura claramente defensiva adotada pelo River, que jogava com apenas um homem de ataque. Desta forma, o Palmeiras dominou amplamente a partida desde o início.

Depois de chegar com perigo duas vezes, o torcedor quase comemorou o gol, aos 9 minutos, quando o centroavante Oseas, de cabeça, manda a bola na trave. Oito minutos depois, Zinho lança Alex. O meia domina, se livra de um zagueiro e, da entrada da grande área, chuta no ângulo direito do goleiro Bonano para fazer 1 a 0.

Os torcedores ainda comemoravam o gol de Alex e o Palmeiras ampliou. Oseas, aberto pela esquerda, cruza alto para área. Roque Junior se antecipa à zaga e desvia para o canto esquerdo do goleiro: Palmeiras 2 a 0.

Depois do gol, o ímpeto do Palmeiras diminuiu. Com isso, o River cresceu, mas nao ao ponto de ameaçar a meta do goleiro Marcos. Mesmo assim, o primeiro tempo termina equilibrado. "Temos que fazer mais um para só entao ter um pouco de sossego. Depois que fizemos o segundo, deixamos o River crescer. Isso nao pode", disse o técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari.

O River Plate veio diferente para o segundo tempo. Abandonou o sistema de três zagueiros - passou a atuar com apenas dois - e colocou mais um homem no ataque. Com isso, conseguiu equilibrar o jogo e passou a ameaçar. Precisando de pelo menos um gol para levar a decisao para os pênaltis, o River criou coragem e passou a atacar. Até os 25 minutos, a equipe argentina dominou. O Palmeiras se retraiu e a torcida começou a ficar preocupada.

Precavido, Scolari mudou o time. Tirou Roque Junior e colocou Thiago para melhorar a marcaçao na intermediária. Logo em seguida, substituiu Oseas por Euller. O objetivo era buscar maior rapidez nos contra-ataques. De quebra, o técnico tirou Rogério e colocou Galeano. O time, de novo, estava protegido na defesa e a partir daí passou a usar com freqüência o contra-ataque.

Foi assim que chegou várias vezes ao gol de Bonano com muito perigo. Aos 43, Alex recebe de Paulo Nunes na direita de ataque e, em diagonal, por cobertura, marca o terceiro. O gol da classificaçao. "Temos que comemorar pois estamos na final, mas tenho certeza que o Filipao vai nos cobrar muito porque erramos muitos gols", disse o jovem atacante, herói da classificaçao palmeirense.

Antes de decidir a Libertadores, no entanto, o time paulista tem duas outras decisoes pela frente. Na sexta-feira enfrenta o Botafogo na primeira partida das semifinais da Copa do Brasil e no domingo pega a Portuguesa, em busca da última vaga na semifinal do Campeonato Paulista.

FICHA TÉCNICA: Palmeiras 3 x 0 River Plate. Gols: Alex, aos 17 e Roque Junior, aos 19 do primeiro tempo. Alex, aos 43 do segundo tempo.

Palmeiras - Marcos; Arce, Roque Júnior (Thiago), Agnaldo e Rubens Júnior; César Sampaio, Rogério (Galeano), Zinho e Alex; Paulo Nunes e Oseas (Euller). Técnico - Luiz Felipe Scolari.

River Plate - Bonano, Lombardi, Sarabia, Berizzo, Placente (Cancedo) e Sorín; Pereyra (Pizzi), Netto (Aimar), Berti e Gallardo; Angel. Técnico - Ramon Diaz.

Juiz - Gustavo Méndez (URU)

Auxiliares - Daniel Bello (URU)

Rubén Menezes (URU)

Local: Parque Antártica, SP

Renda: Nao fornecida

Público: 32 mil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Palmeiras é finalista na Libertadores

Do Diário do Grande ABC

27/05/1999 | 00:13


Com dois gols do meia Alex, o Palmeiras venceu o River Plate, da Argentina, por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, no Palestra Itália, em Sao Paulo, e chegou à sua primeira final de Taça Libertadores da América em 31 anos.

O time paulista entrou em campo precisando vencer por dois gols de diferença, já que havia perdido por 1 a 0, na partida de ida, em Buenos Aires, há uma semana. E nao precisou de muito tempo para anular a vantagem do time argentino. Antes dos 20 minutos de jogo já vencia por 2 a 0 - Alex marcou aos 17 e Roque Junior, aos 19 minutos. No segundo tempo, o time administrou a vantagem e, aos 43 minutos, Alex marca outra vez e consolidada a classificaçao.

Em nove Libertadores disputadas, o Palmeiras chegou outras duas vezes em uma final - em 61 e 68 - mas nao venceu nenhuma. Desta vez, vai enfrentar o Deportivo Cali, da Colômbia, que perdeu por 3 a 2 para o Cerro Porteño, em Assunçao, mas garantiu a vaga na final pelo saldo de gols. No jogo de ida, em Cali, havia vencido por 4 a 0. A primeira partida da final será na quarta-feira, em Cali. A segunda, na quarta seguinte, em Sao Paulo.

Os torcedores do Palmeiras tinham certeza da vitória. Tanto, que já na segunda-feira, esgotaram os 32 mil ingressos colocados á venda. Empurrado pela torcida e cheio confiança o time alviverde foi à frente. O trabalho foi facilitado também pela postura claramente defensiva adotada pelo River, que jogava com apenas um homem de ataque. Desta forma, o Palmeiras dominou amplamente a partida desde o início.

Depois de chegar com perigo duas vezes, o torcedor quase comemorou o gol, aos 9 minutos, quando o centroavante Oseas, de cabeça, manda a bola na trave. Oito minutos depois, Zinho lança Alex. O meia domina, se livra de um zagueiro e, da entrada da grande área, chuta no ângulo direito do goleiro Bonano para fazer 1 a 0.

Os torcedores ainda comemoravam o gol de Alex e o Palmeiras ampliou. Oseas, aberto pela esquerda, cruza alto para área. Roque Junior se antecipa à zaga e desvia para o canto esquerdo do goleiro: Palmeiras 2 a 0.

Depois do gol, o ímpeto do Palmeiras diminuiu. Com isso, o River cresceu, mas nao ao ponto de ameaçar a meta do goleiro Marcos. Mesmo assim, o primeiro tempo termina equilibrado. "Temos que fazer mais um para só entao ter um pouco de sossego. Depois que fizemos o segundo, deixamos o River crescer. Isso nao pode", disse o técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari.

O River Plate veio diferente para o segundo tempo. Abandonou o sistema de três zagueiros - passou a atuar com apenas dois - e colocou mais um homem no ataque. Com isso, conseguiu equilibrar o jogo e passou a ameaçar. Precisando de pelo menos um gol para levar a decisao para os pênaltis, o River criou coragem e passou a atacar. Até os 25 minutos, a equipe argentina dominou. O Palmeiras se retraiu e a torcida começou a ficar preocupada.

Precavido, Scolari mudou o time. Tirou Roque Junior e colocou Thiago para melhorar a marcaçao na intermediária. Logo em seguida, substituiu Oseas por Euller. O objetivo era buscar maior rapidez nos contra-ataques. De quebra, o técnico tirou Rogério e colocou Galeano. O time, de novo, estava protegido na defesa e a partir daí passou a usar com freqüência o contra-ataque.

Foi assim que chegou várias vezes ao gol de Bonano com muito perigo. Aos 43, Alex recebe de Paulo Nunes na direita de ataque e, em diagonal, por cobertura, marca o terceiro. O gol da classificaçao. "Temos que comemorar pois estamos na final, mas tenho certeza que o Filipao vai nos cobrar muito porque erramos muitos gols", disse o jovem atacante, herói da classificaçao palmeirense.

Antes de decidir a Libertadores, no entanto, o time paulista tem duas outras decisoes pela frente. Na sexta-feira enfrenta o Botafogo na primeira partida das semifinais da Copa do Brasil e no domingo pega a Portuguesa, em busca da última vaga na semifinal do Campeonato Paulista.

FICHA TÉCNICA: Palmeiras 3 x 0 River Plate. Gols: Alex, aos 17 e Roque Junior, aos 19 do primeiro tempo. Alex, aos 43 do segundo tempo.

Palmeiras - Marcos; Arce, Roque Júnior (Thiago), Agnaldo e Rubens Júnior; César Sampaio, Rogério (Galeano), Zinho e Alex; Paulo Nunes e Oseas (Euller). Técnico - Luiz Felipe Scolari.

River Plate - Bonano, Lombardi, Sarabia, Berizzo, Placente (Cancedo) e Sorín; Pereyra (Pizzi), Netto (Aimar), Berti e Gallardo; Angel. Técnico - Ramon Diaz.

Juiz - Gustavo Méndez (URU)

Auxiliares - Daniel Bello (URU)

Rubén Menezes (URU)

Local: Parque Antártica, SP

Renda: Nao fornecida

Público: 32 mil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;