Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grupo planta palmeiras para resgatar vegetação

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

03/09/2021 | 05:07


Com intenção de trazer de volta árvores nativas de Rio Grande da Serra, moradores da cidade se uniram para plantar mudas de palmeira juçara em diversos lugares da Mata Atlântica no município. Com a iniciativa, aproximadamente 3.000 mudas já foram plantadas.

Liderados por Luiz Carlos Ramos, 61 anos, aposentado do setor de metalurgia, os moradores caminham pela Estrada Deputado Adib Chammas, que liga Rio Grande da Serra à Vila de Paranapiacaba, para encontrar trilhas, adentrar à mata e plantar as pequenas mudas de palmeira.

A iniciativa teve início há mais ou menos três anos e começou de forma esporádica. Ramos, que vive na cidade desde que nasceu, está acostumado a fazer caminhadas com amigos pela margem da estrada e teve a ideia de começar a levar mudas da palmeira para plantar durante os passeios. A ideia acabou se espalhando e hoje há diversos grupos que acabam se encontrando para realizar o plantio da vegetação, mas sempre sob a liderança de Ramos.


Luiz Carlos Ramos iniciou ação há cerca de três anos e conta com ajuda
de amigos/ Foto: André Henriques/ DGABC

“Creio que a ideia é bacana, pois tem a intenção de resgatar a mata nativa que existia aqui na região. Estamos fazendo nossa parte, ajudando a natureza. Antes, por aqui, havia muitas palmeiras desse tipo e queremos resgatar isso”, declarou o homem, que conversou com a equipe do Diário enquanto plantava mudas da árvores em uma área na divisa de Rio Grande da Serra e Santo André.

Apesar de ter perdido a conta de quantas mudas já plantou ao longo destes três anos, Ramos acredita que conseguiu colocar na terra mais de 1.500 palmeiras e que algumas já passam de um metro de comprimento. “Demora um pouco para que (as plantas) consigam vingar. Em aproximadamente cinco anos elas acabam se tornando árvore. O mais bacana é que, assim que as árvores crescerem, as aves, como tucanos, podem ajudar a espalhar a semeadura da vegetação”, explicou Ramos.

Ontem, seis pessoas participaram da atividade de plantio. Um deles era Wagner do Nascimento, 43, também morador de Rio Grande da Serra. Para o assessor parlamentar, a importância da iniciativa só poderá ser avaliada, de fato, no futuro. “Temos que pensar na frente. Esta região está sob constante ataque de empresas e de corporações que querem explorar a área sem se importar com a vegetação. Já estamos pensado também em aumentar os tipo de vegetação e plantar cambuci por exemplo”, declarou. A árvore do cambuci também é nativa da região.

Para a professora , pesquisadora da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) e bióloga Marta Marcondes a atividade é salutar. “Palmito juçara é realmente uma vegetação da Mata Atlântica. Só é importante o acompanhamento das mudas para avaliar seu desenvolvimento”, declarou. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;