Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sydney: técnicos aguardam nadadores para decidir tática


Do Diário do Grande ABC

27/08/2000 | 17:13


Com a participaçao de Fernando Scherer confirmada no revezamento 4x100m livre dos Jogos Olímpicos, só resta saber a ordem de entrada dos nadadores brasileiros na prova que abre a corrida pelas medalhas olímpicas em Sydney, no dia 16 de setembro. A princípio, a tática seria Scherer abrir e Gustavo Borges fechar, como foi na conquista do ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em 1999. Mas com a incerteza sobre as condiçoes físicas de Xuxa, os treinadores que já estao em Canberra preferiram aguardar a chegada dos nadadores para definir a estratégia da prova.

Além de Xuxa e Borges, o revezamento brasileiro é formado por Carlos Jayme e Edvaldo Valério, o único que já está treinando na capital australiana. Scherer embarca para Sydney este domingo, acompanhado do fisiatra Cláudio Cardone. Gustavo Borges se juntará à equipe brasileira segunda-feira. Ainda no Brasil, Scherer disse estar à disposiçao da equipe para abrir o revezamento, como de costume. ``Mesmo que meu tempo nao seja tao bom, minha presença poderá dar confiança para os que nadarem depois'', disse o nadador. Mas para o coordenador técnico da equipe de nataçao brasileira, Ricardo de Moura, ainda é cedo para se definir a ordem da equipe. ``Temos que esperar a chegada dos três nadadores que faltam para podermos estudar melhor o caso'', disse Ricardo.

Para o treinador Sérgio Silva, o ideal seria utilizar uma postura mais audaciosa na prova que pode render a primeira medalha do Brasil nos Jogos Olímpicos de Sydney. Para ele, que treina o baiano Edvaldo Valério, os experientes Xuxa e Borges deveriam entrar primeiro na água, deixando o final para os mais jovens. ``Sou favorável a nadarmos colados aos americanos e australianos desde o começo. Quem ficar para trás no começo nao vai conseguir alcançar os favoritos'', disse o treinador. Mas a decisao final será tomada em conjunto.

Na noite de sexta-feira, a comissao técnica analisou as formaçoes de todos os adversários do Brasil no revezamento. A equipe americana, que foi derrotada pelos brasileiros no Pan de Winnipeg, foi a que mais evoluiu. Para Ricardo de Moura, Estados Unidos, Austrália, Holanda, Rússia, Alemanha, Inglaterra, Suécia e Brasil serao os finalistas. ``Quem pode surpreender é a Africa do Sul, que deve brigar com a Inglaterra pela vaga na final''.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sydney: técnicos aguardam nadadores para decidir tática

Do Diário do Grande ABC

27/08/2000 | 17:13


Com a participaçao de Fernando Scherer confirmada no revezamento 4x100m livre dos Jogos Olímpicos, só resta saber a ordem de entrada dos nadadores brasileiros na prova que abre a corrida pelas medalhas olímpicas em Sydney, no dia 16 de setembro. A princípio, a tática seria Scherer abrir e Gustavo Borges fechar, como foi na conquista do ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em 1999. Mas com a incerteza sobre as condiçoes físicas de Xuxa, os treinadores que já estao em Canberra preferiram aguardar a chegada dos nadadores para definir a estratégia da prova.

Além de Xuxa e Borges, o revezamento brasileiro é formado por Carlos Jayme e Edvaldo Valério, o único que já está treinando na capital australiana. Scherer embarca para Sydney este domingo, acompanhado do fisiatra Cláudio Cardone. Gustavo Borges se juntará à equipe brasileira segunda-feira. Ainda no Brasil, Scherer disse estar à disposiçao da equipe para abrir o revezamento, como de costume. ``Mesmo que meu tempo nao seja tao bom, minha presença poderá dar confiança para os que nadarem depois'', disse o nadador. Mas para o coordenador técnico da equipe de nataçao brasileira, Ricardo de Moura, ainda é cedo para se definir a ordem da equipe. ``Temos que esperar a chegada dos três nadadores que faltam para podermos estudar melhor o caso'', disse Ricardo.

Para o treinador Sérgio Silva, o ideal seria utilizar uma postura mais audaciosa na prova que pode render a primeira medalha do Brasil nos Jogos Olímpicos de Sydney. Para ele, que treina o baiano Edvaldo Valério, os experientes Xuxa e Borges deveriam entrar primeiro na água, deixando o final para os mais jovens. ``Sou favorável a nadarmos colados aos americanos e australianos desde o começo. Quem ficar para trás no começo nao vai conseguir alcançar os favoritos'', disse o treinador. Mas a decisao final será tomada em conjunto.

Na noite de sexta-feira, a comissao técnica analisou as formaçoes de todos os adversários do Brasil no revezamento. A equipe americana, que foi derrotada pelos brasileiros no Pan de Winnipeg, foi a que mais evoluiu. Para Ricardo de Moura, Estados Unidos, Austrália, Holanda, Rússia, Alemanha, Inglaterra, Suécia e Brasil serao os finalistas. ``Quem pode surpreender é a Africa do Sul, que deve brigar com a Inglaterra pela vaga na final''.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;