Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Indianos levam mensagem de paz ao mundo de bicicletas


Do Diário do Grande ABC

15/05/2000 | 11:20


Uma família indiana percorre 90 km por dia com suas bicicletas como intuito de dar a volta ao mundo levando a mensagem de paz à todos os povos. Há 17 meses saíram de suas casas e contam com o apoio dos moradores das icdades por onde passam.

Sentados calmamente em um parque parisiense, Rajpal Singh e sua esposa Hamsavahini vigiam sorridentes sua filha de nove anos e seus modestos pertences: as bicicletas com as quais pretendem percorrer o mundo para transmitir uma mensagem de paz e nao-violência.

Rajpal Singh e sua família devem ainda percorrer toda a Europa e a Asia para realizar seu sonho, contando apenas com a ajuda e hospitalidade das pessoas e algumas centenas de dólares.

``Existem duas coisas importantes das quais queremos falar: a nao-violência e a necessidade de diálogo entre os seres humanos e as naçoes'', explica Rajpal Singh, 42 anos.

Rajpal Singh, funcionário público de profissao, deixou Jaipur, ``a cidade rosa'' do estado indiano do Rajastan, no norte do país, em janeiro de 1999. Seu objetivo de atravessar o mundo para recordar os ensinamentos de ``Mahatma Gandhi'' e de outros profetas da paz foi uma decisao puramente pessoal.

``Em 1985 disse para minha mulher que era preciso levar uma mensagem de paz ao mundo inteiro'', explicou Rajpal. ``Muita gente nos chamou de loucos'', disse, por sua vez, Hamsavahini Singh, sempre sonrrindo.

Rajpal Singh cruzou a India em 33 dias. Em Cingapura, reuniu-se com sua esposa e sua filha e, seguida, graças ao apoio da Indian Airlines, voaram até a Malásia, Japao e Estados Unidos. Em seis meses e meio cruzaram o país americano de costa a costa.

Ao longo destes 17 meses de fascinante aventura, a família Singh tem recebido o auxílio das pessoas que cruzam seu caminho. Quando nao acham ninguém, recorrem à ajuda de igrejas ou simplesmente esperam que alguém os acolha.

``Temos tido muita sorte. Jamais ficamos abandonados'', diz Rajpal Singh, que nos intervalos livres envia matérias para o jornal de sua cidade, o Rajastan Patrika.

A menina Aditya comemorou há poucos dias seus nove anos na cidade francesa de Tolouse. A escola deu uma permissao especial para que pudesse viajar com seus pais e, apesar de sentir falta dos amiguinhos, ela adora ``conhecer gente nova''.

Na próxima quarta-feira a família Singh parte de Paris rumo ao Oriente. A cada dia percorrem 90 km. Na primavera de 2001 esperam chegar ao Paquistao, país que está a mais de 50 anos em guerra com a India.

No entanto, um indiano nao tem direito de cruzar o Paquistao. Mas Rajpal confia em sua sorte e na força de sua mensagem.

``Temos que entender que é em nosso próprio interesse. É no interesse de nossos países que haja tolerância, que haja diálogo'', afirma, com veemência.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indianos levam mensagem de paz ao mundo de bicicletas

Do Diário do Grande ABC

15/05/2000 | 11:20


Uma família indiana percorre 90 km por dia com suas bicicletas como intuito de dar a volta ao mundo levando a mensagem de paz à todos os povos. Há 17 meses saíram de suas casas e contam com o apoio dos moradores das icdades por onde passam.

Sentados calmamente em um parque parisiense, Rajpal Singh e sua esposa Hamsavahini vigiam sorridentes sua filha de nove anos e seus modestos pertences: as bicicletas com as quais pretendem percorrer o mundo para transmitir uma mensagem de paz e nao-violência.

Rajpal Singh e sua família devem ainda percorrer toda a Europa e a Asia para realizar seu sonho, contando apenas com a ajuda e hospitalidade das pessoas e algumas centenas de dólares.

``Existem duas coisas importantes das quais queremos falar: a nao-violência e a necessidade de diálogo entre os seres humanos e as naçoes'', explica Rajpal Singh, 42 anos.

Rajpal Singh, funcionário público de profissao, deixou Jaipur, ``a cidade rosa'' do estado indiano do Rajastan, no norte do país, em janeiro de 1999. Seu objetivo de atravessar o mundo para recordar os ensinamentos de ``Mahatma Gandhi'' e de outros profetas da paz foi uma decisao puramente pessoal.

``Em 1985 disse para minha mulher que era preciso levar uma mensagem de paz ao mundo inteiro'', explicou Rajpal. ``Muita gente nos chamou de loucos'', disse, por sua vez, Hamsavahini Singh, sempre sonrrindo.

Rajpal Singh cruzou a India em 33 dias. Em Cingapura, reuniu-se com sua esposa e sua filha e, seguida, graças ao apoio da Indian Airlines, voaram até a Malásia, Japao e Estados Unidos. Em seis meses e meio cruzaram o país americano de costa a costa.

Ao longo destes 17 meses de fascinante aventura, a família Singh tem recebido o auxílio das pessoas que cruzam seu caminho. Quando nao acham ninguém, recorrem à ajuda de igrejas ou simplesmente esperam que alguém os acolha.

``Temos tido muita sorte. Jamais ficamos abandonados'', diz Rajpal Singh, que nos intervalos livres envia matérias para o jornal de sua cidade, o Rajastan Patrika.

A menina Aditya comemorou há poucos dias seus nove anos na cidade francesa de Tolouse. A escola deu uma permissao especial para que pudesse viajar com seus pais e, apesar de sentir falta dos amiguinhos, ela adora ``conhecer gente nova''.

Na próxima quarta-feira a família Singh parte de Paris rumo ao Oriente. A cada dia percorrem 90 km. Na primavera de 2001 esperam chegar ao Paquistao, país que está a mais de 50 anos em guerra com a India.

No entanto, um indiano nao tem direito de cruzar o Paquistao. Mas Rajpal confia em sua sorte e na força de sua mensagem.

``Temos que entender que é em nosso próprio interesse. É no interesse de nossos países que haja tolerância, que haja diálogo'', afirma, com veemência.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;