Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Emprego pode ter crescimento zero em 2009


Da Agência Brasil

31/05/2009 | 07:07


O crescimento do emprego poderá cair para zero em 2009, segundo informações da OIT (Organização Internacional do Trabalho).

O crescimento mundial do emprego diminuiu para 1,4% em 2008, e a expectativa para este ano é de que o índice fique entre 1% e 0%, de acordo com as novas projeções da OIT divulgadas na sede da organização em Genebra, na Suíça.

A organização estima ainda que o desemprego poderá aumentar em 2009, assim como o número de trabalhadores pobres e de pessoas com subempregos. As novas projeções da organização afirmam que haverá entre 210 e 239 milhões de desempregados no mundo em 2009 ou seja, uma taxa entre 6,5% e 7,4%. Além disso, a crise está sendo mais dura com os jovens, aponta a OIT.

A expectativa é que a taxa de desemprego aumente de 12,2% em 2008 para entre 14,1% a 15,1% em 2009. Apesar dos índices ruins, a OIT estima que sejam criados cerca de 300 milhões de empregos entre 2009 e 2015 para absorver o crescimento da força de trabalho nesse período.

De acordo com a Organização, nas economias desenvolvidas e na União Européia a previsão é de uma contração no emprego entre 1,3% a 2,7%. Essa região deverá representar entre 35 e 40 por cento do aumento total do desemprego no mundo, mas deve-se levar em contra que a região tem menos de 16% do total da força de trabalho no mundo.

Já a Europa Central, cujos países que não fazem parte da União Européia, o número de desempregados poderá aumentar em até 35% em 2009. Espera-se que o total do emprego seja reduzido entre 1% e 2,8%. Na Ásia e no Pacífico, prevê-se um aumento pequeno no nível de desemprego, apesar de os trabalhadores e das empresas orientadas para a exportação terem sido muito afetados.

Na Ásia Meridional, o desemprego se aproxima de 5% por cento, embora haja cerca de 15 vezes mais trabalhadores em empregos vulneráveis. A previsão é de que o número de trabalhadores que vivem com menos de dois dólares por dia aumente até 58 milhões entre 2007 e 2009. Na América Latina, a expectativa é de que a taxa de desemprego aumente de 7,1% em 2007 para entre 8,4% e 9 2% por cento em 2009.

A organização não cita os dados específicos relativos ao desemprego no Brasil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Emprego pode ter crescimento zero em 2009

Da Agência Brasil

31/05/2009 | 07:07


O crescimento do emprego poderá cair para zero em 2009, segundo informações da OIT (Organização Internacional do Trabalho).

O crescimento mundial do emprego diminuiu para 1,4% em 2008, e a expectativa para este ano é de que o índice fique entre 1% e 0%, de acordo com as novas projeções da OIT divulgadas na sede da organização em Genebra, na Suíça.

A organização estima ainda que o desemprego poderá aumentar em 2009, assim como o número de trabalhadores pobres e de pessoas com subempregos. As novas projeções da organização afirmam que haverá entre 210 e 239 milhões de desempregados no mundo em 2009 ou seja, uma taxa entre 6,5% e 7,4%. Além disso, a crise está sendo mais dura com os jovens, aponta a OIT.

A expectativa é que a taxa de desemprego aumente de 12,2% em 2008 para entre 14,1% a 15,1% em 2009. Apesar dos índices ruins, a OIT estima que sejam criados cerca de 300 milhões de empregos entre 2009 e 2015 para absorver o crescimento da força de trabalho nesse período.

De acordo com a Organização, nas economias desenvolvidas e na União Européia a previsão é de uma contração no emprego entre 1,3% a 2,7%. Essa região deverá representar entre 35 e 40 por cento do aumento total do desemprego no mundo, mas deve-se levar em contra que a região tem menos de 16% do total da força de trabalho no mundo.

Já a Europa Central, cujos países que não fazem parte da União Européia, o número de desempregados poderá aumentar em até 35% em 2009. Espera-se que o total do emprego seja reduzido entre 1% e 2,8%. Na Ásia e no Pacífico, prevê-se um aumento pequeno no nível de desemprego, apesar de os trabalhadores e das empresas orientadas para a exportação terem sido muito afetados.

Na Ásia Meridional, o desemprego se aproxima de 5% por cento, embora haja cerca de 15 vezes mais trabalhadores em empregos vulneráveis. A previsão é de que o número de trabalhadores que vivem com menos de dois dólares por dia aumente até 58 milhões entre 2007 e 2009. Na América Latina, a expectativa é de que a taxa de desemprego aumente de 7,1% em 2007 para entre 8,4% e 9 2% por cento em 2009.

A organização não cita os dados específicos relativos ao desemprego no Brasil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;