Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

TRT faz reunião para evitar greve de metroviários em SP


Do Diário OnLine

29/05/2004 | 12:23


O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de São Paulo marcou para segunda-feira uma reunião de conciliação para tentar evitar a greve dos metroviários. Na quinta, em assembléia, a categoria resolveu entrar em greve por período indeterminado a partir da 0h do dia 1º de junho.

O presidente do Metrô, Luiz Carlos David, acredita que da reunião de conciliação pode sair um acordo. Na quinta, a entidade propôs um reajuste salarial de 4,18% aos metroviários, que recusaram o valor.

A categoria pede reposição salarial de 4,36%; um salário de abono para cobrir a diferença do parcelamento do reajuste salarial em 2003; 7,5% de produtividade; pagamento do anuênio para todos os metroviários; plano de Carreira para todos os metroviários; pagamento dos passivos trabalhistas; manutençao da creche (CCI - Centro de Convivência Infantil); manutenção do pagamento do adicional risco de vida para os agentes de segurança e de estação; contratação de mais funcionários e destinação dos subsídios do governo do Estado para a operação e manutenção do Metrô como uma empresa pública, de qualidade, e com tarifas acessíveis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

TRT faz reunião para evitar greve de metroviários em SP

Do Diário OnLine

29/05/2004 | 12:23


O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de São Paulo marcou para segunda-feira uma reunião de conciliação para tentar evitar a greve dos metroviários. Na quinta, em assembléia, a categoria resolveu entrar em greve por período indeterminado a partir da 0h do dia 1º de junho.

O presidente do Metrô, Luiz Carlos David, acredita que da reunião de conciliação pode sair um acordo. Na quinta, a entidade propôs um reajuste salarial de 4,18% aos metroviários, que recusaram o valor.

A categoria pede reposição salarial de 4,36%; um salário de abono para cobrir a diferença do parcelamento do reajuste salarial em 2003; 7,5% de produtividade; pagamento do anuênio para todos os metroviários; plano de Carreira para todos os metroviários; pagamento dos passivos trabalhistas; manutençao da creche (CCI - Centro de Convivência Infantil); manutenção do pagamento do adicional risco de vida para os agentes de segurança e de estação; contratação de mais funcionários e destinação dos subsídios do governo do Estado para a operação e manutenção do Metrô como uma empresa pública, de qualidade, e com tarifas acessíveis.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;