Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Câncer mata 300 mil russos por ano


Das Agências

30/06/2001 | 14:19


Cerca de 300 mil russos morrem todos os anos de câncer, de acordo com autoridades da saúde, relata neste sábado a agência RIA-Novosti. Quase a metade dos casos é causada por problemas no pulmão(30%) e no estômago (15%).

De acordo com responsáveis da Academia de Ciências russa, a maior parte das mortes é causada por negligência. A Academia acrescenta que muitos casos de câncer são provocados pelo tabaco, pelas doenças contagiosas, pela radiação e pela má alimentação.

Os hospitais russos especializados em oncologia dispõem de poucos recursos para dedicarem-se à prevenção da doença, já que 98% dos fundos são destinados aos tratamentos e à investigação científica, afirmou David Zaridze, diretor adjunto do Centro Científico Oncológico russo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câncer mata 300 mil russos por ano

Das Agências

30/06/2001 | 14:19


Cerca de 300 mil russos morrem todos os anos de câncer, de acordo com autoridades da saúde, relata neste sábado a agência RIA-Novosti. Quase a metade dos casos é causada por problemas no pulmão(30%) e no estômago (15%).

De acordo com responsáveis da Academia de Ciências russa, a maior parte das mortes é causada por negligência. A Academia acrescenta que muitos casos de câncer são provocados pelo tabaco, pelas doenças contagiosas, pela radiação e pela má alimentação.

Os hospitais russos especializados em oncologia dispõem de poucos recursos para dedicarem-se à prevenção da doença, já que 98% dos fundos são destinados aos tratamentos e à investigação científica, afirmou David Zaridze, diretor adjunto do Centro Científico Oncológico russo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;