Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Enfim, o ano começou

Após os engarrafamentos-monstros de Carnaval o ano começa de fato e os novos governos municipais enfrentam os desafios da crise da mobilidade urbana


Cristina Baddini

27/02/2009 | 00:00


Após os engarrafamentos-monstros de Carnaval o ano começa de fato e os novos governos municipais enfrentam os desafios da crise da mobilidade urbana. A dura realidade do dia a dia nas ruas e avenidas das cidades de São Paulo e do Grande ABC ainda não suscitou sequer o início dos debates dos prefeitos eleitos a fim de garantir a qualidade de vida urbana. Estamos no aguardo!

Curso

Considerando os tais desafios atuais inerentes à matriz de transportes nos grandes centros urbanos brasileiros, a FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) em parceria com a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) estruturou um curso de pós-graduação com base em gestão pública voltado ao debate sobre o tema.

Os cursos têm a duração de um ano e meio e têm o objetivo de formar profissionais preparados para gerenciar de forma inovadora empresas de transportes e trânsito urbano. As inscrições podem ser feitas pelo site www.fespsp.org.br ou pelo telefone 0800-777-7800. Bom curso! Aproveite a oportunidade.

 

Encosto de cabeça

Você sabia que o correto posicionamento do encosto de cabeça ajuda na prevenção de danos ao pescoço e à coluna, em caso de acidente? Confira alguns dados:

4 mais de 20% dos acidentes com impacto traseiro resultam em danos ao pescoço;

4 somente 14% dos motoristas conhecem o posicionamento ideal do encosto de cabeça;

4 18% dos motoristas acham que seus veículos foram vendidos com os encostos de cabeça já corretamente posicionados.

A posição ideal do encosto é de, aproximadamente, 6,5 centímetros de distância da cabeça. O topo do encosto deve estar no máximo na mesma altura da cabeça do ocupante sentado e no mínimo 6,5 centímetros abaixo do topo da cabeça. O ideal é que se tenham encostos de cabeça não só nos bancos dianteiros como também nos bancos traseiros.

Não se esqueça de checar e corrigir a posição dos encostos de seu carro.

O que fazer em um acidente com vítima

Num acidente de carro com vítimas, a prioridade é o socorro aos feridos. Quando ligar para a polícia, peça uma ambulância ou chame diretamente o Corpo de Bombeiros.

Evite mover a vítima até que chegue o socorro e não tire os veículos envolvidos do lugar. Esses procedimentos visam facilitar o trabalho dos peritos.

Sinalize a área com lenços, galhos... Não se restrinja só ao pisca-alerta e ao triângulo. Essas medidas são extremamente necessárias para evitar que outros motoristas envolvam-se no acidente.

De quem é a culpa?

Busque testemunhas que possam prestar depoimento à polícia e fique em contato com elas. Os policiais farão o Brat (Boletim de Registro de Acidente de Trânsito) e todos os envolvidos serão conduzidos à delegacia para fazer a ocorrência.

No caso de acidente com vítimas, será aberto um inquérito criminal. Havendo vítima fatal, o causador do acidente poderá ser indiciado por homicídio doloso e, no caso de feridos, o indiciamento será por lesão corporal.

Processos legais

O motorista deve contratar um advogado, sendo ele o culpado ou a vítima. Caso seja a vítima ou tenha perdido algum parente numa situação dessas, pode processar o causador do acidente pelos danos causados (materiais e morais) e ainda utilizar os recursos do DPVAT, seguro-obrigatório pago anualmente em conjunto com o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Enfim, o ano começou

Após os engarrafamentos-monstros de Carnaval o ano começa de fato e os novos governos municipais enfrentam os desafios da crise da mobilidade urbana

Cristina Baddini

27/02/2009 | 00:00


Após os engarrafamentos-monstros de Carnaval o ano começa de fato e os novos governos municipais enfrentam os desafios da crise da mobilidade urbana. A dura realidade do dia a dia nas ruas e avenidas das cidades de São Paulo e do Grande ABC ainda não suscitou sequer o início dos debates dos prefeitos eleitos a fim de garantir a qualidade de vida urbana. Estamos no aguardo!

Curso

Considerando os tais desafios atuais inerentes à matriz de transportes nos grandes centros urbanos brasileiros, a FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) em parceria com a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) estruturou um curso de pós-graduação com base em gestão pública voltado ao debate sobre o tema.

Os cursos têm a duração de um ano e meio e têm o objetivo de formar profissionais preparados para gerenciar de forma inovadora empresas de transportes e trânsito urbano. As inscrições podem ser feitas pelo site www.fespsp.org.br ou pelo telefone 0800-777-7800. Bom curso! Aproveite a oportunidade.

 

Encosto de cabeça

Você sabia que o correto posicionamento do encosto de cabeça ajuda na prevenção de danos ao pescoço e à coluna, em caso de acidente? Confira alguns dados:

4 mais de 20% dos acidentes com impacto traseiro resultam em danos ao pescoço;

4 somente 14% dos motoristas conhecem o posicionamento ideal do encosto de cabeça;

4 18% dos motoristas acham que seus veículos foram vendidos com os encostos de cabeça já corretamente posicionados.

A posição ideal do encosto é de, aproximadamente, 6,5 centímetros de distância da cabeça. O topo do encosto deve estar no máximo na mesma altura da cabeça do ocupante sentado e no mínimo 6,5 centímetros abaixo do topo da cabeça. O ideal é que se tenham encostos de cabeça não só nos bancos dianteiros como também nos bancos traseiros.

Não se esqueça de checar e corrigir a posição dos encostos de seu carro.

O que fazer em um acidente com vítima

Num acidente de carro com vítimas, a prioridade é o socorro aos feridos. Quando ligar para a polícia, peça uma ambulância ou chame diretamente o Corpo de Bombeiros.

Evite mover a vítima até que chegue o socorro e não tire os veículos envolvidos do lugar. Esses procedimentos visam facilitar o trabalho dos peritos.

Sinalize a área com lenços, galhos... Não se restrinja só ao pisca-alerta e ao triângulo. Essas medidas são extremamente necessárias para evitar que outros motoristas envolvam-se no acidente.

De quem é a culpa?

Busque testemunhas que possam prestar depoimento à polícia e fique em contato com elas. Os policiais farão o Brat (Boletim de Registro de Acidente de Trânsito) e todos os envolvidos serão conduzidos à delegacia para fazer a ocorrência.

No caso de acidente com vítimas, será aberto um inquérito criminal. Havendo vítima fatal, o causador do acidente poderá ser indiciado por homicídio doloso e, no caso de feridos, o indiciamento será por lesão corporal.

Processos legais

O motorista deve contratar um advogado, sendo ele o culpado ou a vítima. Caso seja a vítima ou tenha perdido algum parente numa situação dessas, pode processar o causador do acidente pelos danos causados (materiais e morais) e ainda utilizar os recursos do DPVAT, seguro-obrigatório pago anualmente em conjunto com o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;