Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Ele animava São Bernardo e o bairro Assunção


Ademir Medici

25/07/2017 | 07:00


 ROMEU BONICIO

(São Bernardo, 2-1-1944 – São Paulo, 21-7-2017)

De formação ligada à área comercial e administrativa, Romeu Bonicio foi um grande esportista. Um são-bernardense, daqueles que se postavam num campo de futebol ou quadra esportiva e gritava pelas cores da sua cidade. Um apaixonado por São Bernardo. Forte, também fisicamente, era o terror dos adversários. Perder em casa para os visitantes? Nem pensar. Como Romeu torcia e vibrava com a sua São Bernardo, terra dos pais, avós e bisavós imigrantes italianos!

Quando a velha casa dos Breda, no alto do bairro Assunção (Praça Giovani Breda), foi demolida, Romeu preocupou-se em guardar dois daqueles tijolões antigos – um para si e outro para esta página Memória, que preservamos e divulgamos com muito carinho. E sempre que encontrava uma foto antiga da cidade, trazia para publicação.

Os ancestrais de Romeu Bonicio foram fundadores, no século 19, da Linha Jurubatuba, do Núcleo Colonial de São Bernardo, hoje localizada entre os bairros Assunção e dos Casa. Estudava as raízes familiares e, a cada descoberta, Romeu vibrava, como vibrava com um gol ou uma cesta são-bernardense.

Romeu Bonicio era filho de Luiz Bonicio e Antonia Marçon Bonicio. Parte aos 73 anos. Deixa a esposa, Vera Lucia Battistini, e três filhas, Alessandra, Claudia e Fulvia. Está sepultado no Cemitério-Museu de Vila Euclides.

Uma quadra para o Cacique

Texto: José Quaglio Netto, jornalista

Faleceu Romeu Bonicio, de família tradicional de São Bernardo, cidadão ligado à comunidade do bairro Assunção. Ali residia. Foi um dos fundadores, diretor e jogador do Triângulo EC. E desde pequeno torcia pelo Vinte de Setembro, o mais antigo clube da Linha Jurubatuba. Os menos favorecidos batiam à sua porta em busca de benefícios, e todos eram atendidos.

Romeu foi diretor por várias vezes do Grêmio Litero Recreativo Brasília do Colégio Cacique Tibiriçá. Tempo em que o velho “Cacique” brilhava nas olimpíadas colegiais. Sempre fomos os primeiros no basquete masculino e feminino, atletismo, xadrez, tênis de mesa etc. E o Romeu era o nosso comandante, com o auxílio de colegas como Antônio Carlos Ruz e Carlos Roberto Brocardo.

Naquela época, Romeu foi buscar Tulio Violini, campeão olímpico municipal em arremesso de dardo e o revelou na região, época que lideramos as olimpíadas de São Bernardo.

Romeu foi diretor de esportes do nosso grêmio, com todo apoio do saudoso professor e diretor Diógenes Gasparini, e ajudou a construir uma quadra esportiva dentro do colégio, sem falar na fanfarra dirigida pelo saudoso Tito Ercolin. Romeu não só participou da fanfarra como conseguiu com o prefeito Aldino Pinotti a doação para a escola de instrumentos na ampliação da banda.

O são-bernardense venceu os seus projetos, conquistou a todos e como um batateiro de nossa terra fez amigos e deixa um imenso vazio.

Caminhões

Gostaria de corrigir a afirmação de que a Chrysler americana enviava para o Brasil os caminhões Plymouth (Memória, 18-7-2017). Esta linha em caminhões nunca foi fabricada nos USA. A linha de caminhões era formada pelos Dodge, Fargo e De Soto.

Na linha de autos, sim, existiam os Plymouth (linha de entrada), De Soto (intermediária), Dodge (intermediária de luxo), Chrysler (luxo) e os Chrysler Imperial (super luxo), que concorriam com os Cadillac da GM e Lincoln da Ford.

Os caminhões Dodge, Fargo e De Soto eram praticamente iguais. A diferenciação dos nomes provinha do local de três fábricas distintas nos Estados americanos.

Valério Valente, de Santo André

Verdade. Confundi. O caminhão era De Soto e o carro Plymouth.

Nevino Antonio Rocco, de São Bernardo

Diário há 30 anos

Sábado, 25 de julho de 1987 – ano 30, edição 6503

MANCHETE – Sarney (presidente da República) anuncia inflação de 2,8%; diferença de 160 milhões de cruzados no ICM de Santo André.

GRANDE ABC – Rodoviárias em péssimo estado. Três terminais estão em condições precárias: Santo André, São Bernardo e Mauá; e um quarto, o Nicolau Delic,

em São Caetano, encontra-se ocioso.

SÃO CAETANO – Pé de couve alcança quase três

metros de altura na casa de Rosa e Arthur Fernandes,

na Vila Gerty, conforme foto de Celso Luiz.

MÚSICA – César Camargo Mariano com o show “Contrastes”, no Teatro Cacilda Becker, em

São Bernardo; Alcione canta no ADC Cerâmica,

em São Caetano.

1917 – Professora Maria Iracema Munhoz é nomeada para a segunda escola da Vila de São Bernardo. Leciona durante dois anos e meio no Município. Nasceu em Santos. Formou-se em 1916. Foi aluna da Escola Normal da Praça da República, depois Instituto de Educação Caetano de Campos. Hoje é nome da mais antiga escola pública de São Bernardo, na Praça Lauro Gomes.

Greve geral aumenta no Rio de Janeiro.

A guerra. Do noticiário do Estadão: a criação do primeiro exército norte-americano.

1972 – O prefeito Newton Brandão, de Santo André, legaliza a doação de área à Fundação Universitária do ABC, no local onde está a Faculdade de Medicina,

antigo Sítio Tangará.

A Faculdade de Medicina nasceu de convênio entre os municípios de Santo André, de São Bernardo e de São Caetano, na época dos prefeitos Fioravante Zampol, Hygino de Lima e Walter Braido.

Hoje

Dia do Motorista

Dia do Taxista

Dia do Escritor

Dia do Trabalhador Rural

Santos do Dia

Cristóvão, que significa “Aquele que carrega Cristo” ou “porta-Cristo”. É o Padroeiro dos Motoristas e, por extensão, dos Viajantes. Viveu provavelmente na Síria e sofreu o martírio no século III. Seu culto remonta

ao século V.

Tiago Maior

Valentina, defensora da mulher cristã

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 25 de julho:

Em Santa Catarina, Abelardo Luz, Agrolândia, Água Doce e Jaguará do Sul

No Paraná, Adrianópolis, Alto Piquiri, Barbosa Ferraz, Catanduvas, Cidade Gaúcha, Fênix, Flórida, Icaraíma, Iretama, Itambé, Mandirituba, Marechal Cândido Rondon, Maria Helena, Mariópolis, Marumbi, Matelândia, Medianeira, Moreira Sales, Nova América da Colina, Ourizona, Palotina, Salto do Itararé, Santo Antonio do Paraíso, São João,

São Tomé e Xambrê

Em São Paulo, Águas de São Pedro

No Maranhão, Davinópolis

Em Goiás, Goiás

No Piauí, Pimenteiras

No Rio Grande do Sul, São Leopoldo

Fonte: IBGE



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ele animava São Bernardo e o bairro Assunção

Ademir Medici

25/07/2017 | 07:00


 ROMEU BONICIO

(São Bernardo, 2-1-1944 – São Paulo, 21-7-2017)

De formação ligada à área comercial e administrativa, Romeu Bonicio foi um grande esportista. Um são-bernardense, daqueles que se postavam num campo de futebol ou quadra esportiva e gritava pelas cores da sua cidade. Um apaixonado por São Bernardo. Forte, também fisicamente, era o terror dos adversários. Perder em casa para os visitantes? Nem pensar. Como Romeu torcia e vibrava com a sua São Bernardo, terra dos pais, avós e bisavós imigrantes italianos!

Quando a velha casa dos Breda, no alto do bairro Assunção (Praça Giovani Breda), foi demolida, Romeu preocupou-se em guardar dois daqueles tijolões antigos – um para si e outro para esta página Memória, que preservamos e divulgamos com muito carinho. E sempre que encontrava uma foto antiga da cidade, trazia para publicação.

Os ancestrais de Romeu Bonicio foram fundadores, no século 19, da Linha Jurubatuba, do Núcleo Colonial de São Bernardo, hoje localizada entre os bairros Assunção e dos Casa. Estudava as raízes familiares e, a cada descoberta, Romeu vibrava, como vibrava com um gol ou uma cesta são-bernardense.

Romeu Bonicio era filho de Luiz Bonicio e Antonia Marçon Bonicio. Parte aos 73 anos. Deixa a esposa, Vera Lucia Battistini, e três filhas, Alessandra, Claudia e Fulvia. Está sepultado no Cemitério-Museu de Vila Euclides.

Uma quadra para o Cacique

Texto: José Quaglio Netto, jornalista

Faleceu Romeu Bonicio, de família tradicional de São Bernardo, cidadão ligado à comunidade do bairro Assunção. Ali residia. Foi um dos fundadores, diretor e jogador do Triângulo EC. E desde pequeno torcia pelo Vinte de Setembro, o mais antigo clube da Linha Jurubatuba. Os menos favorecidos batiam à sua porta em busca de benefícios, e todos eram atendidos.

Romeu foi diretor por várias vezes do Grêmio Litero Recreativo Brasília do Colégio Cacique Tibiriçá. Tempo em que o velho “Cacique” brilhava nas olimpíadas colegiais. Sempre fomos os primeiros no basquete masculino e feminino, atletismo, xadrez, tênis de mesa etc. E o Romeu era o nosso comandante, com o auxílio de colegas como Antônio Carlos Ruz e Carlos Roberto Brocardo.

Naquela época, Romeu foi buscar Tulio Violini, campeão olímpico municipal em arremesso de dardo e o revelou na região, época que lideramos as olimpíadas de São Bernardo.

Romeu foi diretor de esportes do nosso grêmio, com todo apoio do saudoso professor e diretor Diógenes Gasparini, e ajudou a construir uma quadra esportiva dentro do colégio, sem falar na fanfarra dirigida pelo saudoso Tito Ercolin. Romeu não só participou da fanfarra como conseguiu com o prefeito Aldino Pinotti a doação para a escola de instrumentos na ampliação da banda.

O são-bernardense venceu os seus projetos, conquistou a todos e como um batateiro de nossa terra fez amigos e deixa um imenso vazio.

Caminhões

Gostaria de corrigir a afirmação de que a Chrysler americana enviava para o Brasil os caminhões Plymouth (Memória, 18-7-2017). Esta linha em caminhões nunca foi fabricada nos USA. A linha de caminhões era formada pelos Dodge, Fargo e De Soto.

Na linha de autos, sim, existiam os Plymouth (linha de entrada), De Soto (intermediária), Dodge (intermediária de luxo), Chrysler (luxo) e os Chrysler Imperial (super luxo), que concorriam com os Cadillac da GM e Lincoln da Ford.

Os caminhões Dodge, Fargo e De Soto eram praticamente iguais. A diferenciação dos nomes provinha do local de três fábricas distintas nos Estados americanos.

Valério Valente, de Santo André

Verdade. Confundi. O caminhão era De Soto e o carro Plymouth.

Nevino Antonio Rocco, de São Bernardo

Diário há 30 anos

Sábado, 25 de julho de 1987 – ano 30, edição 6503

MANCHETE – Sarney (presidente da República) anuncia inflação de 2,8%; diferença de 160 milhões de cruzados no ICM de Santo André.

GRANDE ABC – Rodoviárias em péssimo estado. Três terminais estão em condições precárias: Santo André, São Bernardo e Mauá; e um quarto, o Nicolau Delic,

em São Caetano, encontra-se ocioso.

SÃO CAETANO – Pé de couve alcança quase três

metros de altura na casa de Rosa e Arthur Fernandes,

na Vila Gerty, conforme foto de Celso Luiz.

MÚSICA – César Camargo Mariano com o show “Contrastes”, no Teatro Cacilda Becker, em

São Bernardo; Alcione canta no ADC Cerâmica,

em São Caetano.

1917 – Professora Maria Iracema Munhoz é nomeada para a segunda escola da Vila de São Bernardo. Leciona durante dois anos e meio no Município. Nasceu em Santos. Formou-se em 1916. Foi aluna da Escola Normal da Praça da República, depois Instituto de Educação Caetano de Campos. Hoje é nome da mais antiga escola pública de São Bernardo, na Praça Lauro Gomes.

Greve geral aumenta no Rio de Janeiro.

A guerra. Do noticiário do Estadão: a criação do primeiro exército norte-americano.

1972 – O prefeito Newton Brandão, de Santo André, legaliza a doação de área à Fundação Universitária do ABC, no local onde está a Faculdade de Medicina,

antigo Sítio Tangará.

A Faculdade de Medicina nasceu de convênio entre os municípios de Santo André, de São Bernardo e de São Caetano, na época dos prefeitos Fioravante Zampol, Hygino de Lima e Walter Braido.

Hoje

Dia do Motorista

Dia do Taxista

Dia do Escritor

Dia do Trabalhador Rural

Santos do Dia

Cristóvão, que significa “Aquele que carrega Cristo” ou “porta-Cristo”. É o Padroeiro dos Motoristas e, por extensão, dos Viajantes. Viveu provavelmente na Síria e sofreu o martírio no século III. Seu culto remonta

ao século V.

Tiago Maior

Valentina, defensora da mulher cristã

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 25 de julho:

Em Santa Catarina, Abelardo Luz, Agrolândia, Água Doce e Jaguará do Sul

No Paraná, Adrianópolis, Alto Piquiri, Barbosa Ferraz, Catanduvas, Cidade Gaúcha, Fênix, Flórida, Icaraíma, Iretama, Itambé, Mandirituba, Marechal Cândido Rondon, Maria Helena, Mariópolis, Marumbi, Matelândia, Medianeira, Moreira Sales, Nova América da Colina, Ourizona, Palotina, Salto do Itararé, Santo Antonio do Paraíso, São João,

São Tomé e Xambrê

Em São Paulo, Águas de São Pedro

No Maranhão, Davinópolis

Em Goiás, Goiás

No Piauí, Pimenteiras

No Rio Grande do Sul, São Leopoldo

Fonte: IBGE

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;