Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Prefeitura lança ação para colocar mais GCMs nas ruas

Ricardo Trida/PSA Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em Sto.André, agentes atuarão em plantões de 12 horas escalonados em regime de hora extra, por locais analisados nas estatísticas criminais


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

27/05/2017 | 07:00


 Iniciativa lançada oficialmente ontem pela Prefeitura de Santo André colocará GCMs (Guardas-Civis Municipais) nas ruas após o horário de trabalho, atuando em pontos estrategicamente analisados nas estatísticas criminais e também em solicitações recebidas pelos munícipes – a ação foi batizada de Operação Delegada Municipal. O anúncio foi feito pelo prefeito Paulo Serra (PSDB) no Jardim Las Vegas.

Os GCMs estarão nas ruas em plantões de 12 horas escalonados em regime de hora extra, resultando em mais 20 homens em atuação em pontos estratégicos da cidade, com o apoio de duas bases móveis, um ônibus, oito motos e duas viaturas. Ao todo, a GCM conta com 598 agentes.

Segundo o chefe do Executivo, as horas extras terão teto de pagamento estabelecido pela Prefeitura, com, no máximo, 150 horas diárias distribuídas entre os agentes de Segurança. Paulo Serra frisa que o programa trará economia aos cofres públicos à medida em que se racionalizará o gasto com horas extras.

Dados da administração municipal apontam que, em 2016, a GCM chegou a ultrapassar o número de 36 mil horas extras mensais, com gastos que superaram a margem de R$ 1 milhão. Agora, ficam estabelecidas 7.200 horas mensais com valor máximo de pagamento de R$ 150 mil.

“A gente vai tentar um revezamento para que toda tropa seja envolvida e tenha acesso a essa hora extra, que é um complemento na renda do GCM”, falou o prefeito.

Operações envolvendo os agentes, por bairros variados – como Centreville, Jardim e Camilópolis – já vinham ocorrendo como forma de teste. “A gente conseguiu adequar o custo e vendo a efetividade (da ação) transformamos neste programa”, disse Paulo Serra.

O secretário de Segurança Cidadã, Edson Sardano, afirmou que a meta é contratar mais GCMs, pois “o objetivo não é trabalhar em cima de hora extra”. “Tem concurso em andamento, que está sub judice e, enquanto a gente aguarda, não podemos ficar inertes com a população precisando de Segurança”, salientou.

Deste concurso, a Prefeitura pretende chamar 30 guardas. “Até o fim do governo, a meta é chegar a 200, 250 GCMs”, projetou o prefeito.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeitura lança ação para colocar mais GCMs nas ruas

Em Sto.André, agentes atuarão em plantões de 12 horas escalonados em regime de hora extra, por locais analisados nas estatísticas criminais

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

27/05/2017 | 07:00


 Iniciativa lançada oficialmente ontem pela Prefeitura de Santo André colocará GCMs (Guardas-Civis Municipais) nas ruas após o horário de trabalho, atuando em pontos estrategicamente analisados nas estatísticas criminais e também em solicitações recebidas pelos munícipes – a ação foi batizada de Operação Delegada Municipal. O anúncio foi feito pelo prefeito Paulo Serra (PSDB) no Jardim Las Vegas.

Os GCMs estarão nas ruas em plantões de 12 horas escalonados em regime de hora extra, resultando em mais 20 homens em atuação em pontos estratégicos da cidade, com o apoio de duas bases móveis, um ônibus, oito motos e duas viaturas. Ao todo, a GCM conta com 598 agentes.

Segundo o chefe do Executivo, as horas extras terão teto de pagamento estabelecido pela Prefeitura, com, no máximo, 150 horas diárias distribuídas entre os agentes de Segurança. Paulo Serra frisa que o programa trará economia aos cofres públicos à medida em que se racionalizará o gasto com horas extras.

Dados da administração municipal apontam que, em 2016, a GCM chegou a ultrapassar o número de 36 mil horas extras mensais, com gastos que superaram a margem de R$ 1 milhão. Agora, ficam estabelecidas 7.200 horas mensais com valor máximo de pagamento de R$ 150 mil.

“A gente vai tentar um revezamento para que toda tropa seja envolvida e tenha acesso a essa hora extra, que é um complemento na renda do GCM”, falou o prefeito.

Operações envolvendo os agentes, por bairros variados – como Centreville, Jardim e Camilópolis – já vinham ocorrendo como forma de teste. “A gente conseguiu adequar o custo e vendo a efetividade (da ação) transformamos neste programa”, disse Paulo Serra.

O secretário de Segurança Cidadã, Edson Sardano, afirmou que a meta é contratar mais GCMs, pois “o objetivo não é trabalhar em cima de hora extra”. “Tem concurso em andamento, que está sub judice e, enquanto a gente aguarda, não podemos ficar inertes com a população precisando de Segurança”, salientou.

Deste concurso, a Prefeitura pretende chamar 30 guardas. “Até o fim do governo, a meta é chegar a 200, 250 GCMs”, projetou o prefeito.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;