Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Fabiana Murer vence GP Brasil com melhor marca do ano


da Redação

27/05/2011 | 07:03


A saltadora Fabiana Murer, da BM&F/Bovespa São Caetano confirmou ontem a boa fase ao conquistar o ouro no GP Brasil de Atletismo, no Engenhão (Rio de Janeiro), com a melhor marca do salto com vara no ano. A brasileira cravou 4,65 m e superou os 4,61 m da eslovena Tina Sutej. Independentemente disso, Fabiana não se mostrou satisfeita com a conquista e pretende melhorar o feito.

Fiz a melhor marca do ano, passei superalto e vi que posso melhorar ainda mais minha marca. Tinha condições de saltar mais alto, mas estava cansada. Estou entrando agora em ritmo de competição. Comecei com 4,50 m, que é uma altura tranquila para mim. Aqui, no Rio, não poderia ser diferente. Agora, virão muitas competições. Semana que vem, estou na Argentina (no Sul-Americano), depois viagens para os Estados Unidos, a Europa", afirmou a atleta.

A prata na prova ficou com a cubana Yarisley Silva, que alcançou 4,60 m, enquanto a americana Kylie Hutson levou o bronze, com 4,40 m.

Outra que alcançou a melhor marca do ano foi a jamaicana Melaine Walker nos 400 m com barreiras. Campeã olímpica em Pequim-2008, fez 54s09, baixando em 11 segundos o tempo da compatriota Kaliese Spencer (54s20). "Vim de lesão, então tenho de estar feliz por esse resultado", disse Walker.

No lançamento do martelo feminino, a cubana Ypsi Moreno quebrou o recorde do GP Brasil, alcançando 74,26 m. A melhor marca persistia desde 2009, quando eslovaca Martina Danisová-Hrasnová lançou a 72,27 m na prova realizada em Belém, no Pará.

Enquanto isso, na etapa de Roma da Diamond League, na Itália, o jamaicano Usain Bolt devolveu a derrota ao compatriota Asafa Powell depois de nove meses. Mas a diferença foi mínima: apenas dois centésimos. Bolt cravou 9s91, enquanto o rival marcou 9s93. "De fato, foi uma corrida muito ruim. Só fico feliz porque venci", disse Bolt, que ainda está longe do recorde mundial, que é seu (9s58).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fabiana Murer vence GP Brasil com melhor marca do ano

da Redação

27/05/2011 | 07:03


A saltadora Fabiana Murer, da BM&F/Bovespa São Caetano confirmou ontem a boa fase ao conquistar o ouro no GP Brasil de Atletismo, no Engenhão (Rio de Janeiro), com a melhor marca do salto com vara no ano. A brasileira cravou 4,65 m e superou os 4,61 m da eslovena Tina Sutej. Independentemente disso, Fabiana não se mostrou satisfeita com a conquista e pretende melhorar o feito.

Fiz a melhor marca do ano, passei superalto e vi que posso melhorar ainda mais minha marca. Tinha condições de saltar mais alto, mas estava cansada. Estou entrando agora em ritmo de competição. Comecei com 4,50 m, que é uma altura tranquila para mim. Aqui, no Rio, não poderia ser diferente. Agora, virão muitas competições. Semana que vem, estou na Argentina (no Sul-Americano), depois viagens para os Estados Unidos, a Europa", afirmou a atleta.

A prata na prova ficou com a cubana Yarisley Silva, que alcançou 4,60 m, enquanto a americana Kylie Hutson levou o bronze, com 4,40 m.

Outra que alcançou a melhor marca do ano foi a jamaicana Melaine Walker nos 400 m com barreiras. Campeã olímpica em Pequim-2008, fez 54s09, baixando em 11 segundos o tempo da compatriota Kaliese Spencer (54s20). "Vim de lesão, então tenho de estar feliz por esse resultado", disse Walker.

No lançamento do martelo feminino, a cubana Ypsi Moreno quebrou o recorde do GP Brasil, alcançando 74,26 m. A melhor marca persistia desde 2009, quando eslovaca Martina Danisová-Hrasnová lançou a 72,27 m na prova realizada em Belém, no Pará.

Enquanto isso, na etapa de Roma da Diamond League, na Itália, o jamaicano Usain Bolt devolveu a derrota ao compatriota Asafa Powell depois de nove meses. Mas a diferença foi mínima: apenas dois centésimos. Bolt cravou 9s91, enquanto o rival marcou 9s93. "De fato, foi uma corrida muito ruim. Só fico feliz porque venci", disse Bolt, que ainda está longe do recorde mundial, que é seu (9s58).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;