Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Mundial: Grupo de associações contesta expulsão de Zidane


Da AFP

07/12/2006 | 14:10


Um grupo de associações contestou nesta quinta-feira na justiça a expulsão de Zinedine Zidane na final da Copa do Mundo de 2006, uma ação considerada puramente "publicitária" pela Fifa e pela FFF (Federação Francesa de Futebol).

O "Coletivo nacional para a verdade sobre a final" e associação 'Justiça Mundial-2006' estão seguros de que a expulsão do ídolo francês no 110º minuto da final do dia 9 de julho em Berlim "mudou a cara do jogo", vencido pela Itália nos pênaltis, explicou nesta quinta-feira um de seus representantes, Karim-Hervé Benkamla.

Este coletivo de "cidadãos torcedores da seleção francesa" tem mais uma convicção: a cabeçada de Zidane no italiano Marco Materazzi "não é contestável", mas o cartão vermelho foi aplicado após um recurso ao vídeo pelo quarto árbitro, o espanhol Medina Cantalejo, o que não é autorizado.

Um advogado, Mehana Mouhou, recorreu então à justiça, em nome do coletivo, para pedir uma investigação.

Ele intentou uma ação judicial contra a Fifa e a FFF com um único objetivo: "estabelecer a verdade" sobre a atuação da arbitragem naquela noite.

O juiz deve se pronunciar sobre a pergunta: Houve ou não recurso ao vídeo? O magistrado estabelecerá em 15 de dezembro se ação é cabível e se é possível uma investigação.

Para Mouhou, "o quarto árbitro não podia ver o gesto do Zidane, pois estava escondido por jogadores". O tempo que se passou entre a falta (107º minuto) e a expulsão (110º minuto) evidencia, segundo ele, o recurso ao vídeo.

O advogado pediu que sejam ouvidos jogadores e o técnico francês Raymond Domenech, a reconstituição "digital" da ação da falta e a apreensão de todos os vídeos gravados na noite da final. "Havia 28 câmeras em volta do campo", lembrou Mouhou, que afirma ter uma única obsessão: "a prova dos fatos".

Fatos completamente claros para a Fifa e a FFF: para o advogado da Federação Francesa, Benjamin Peyrelevade, esta ação em justiça não passa de um golpe "publicitário", pois "nada melhor que uma Copa do Mundo para se auto-promover".

Em nome da Federação Internacional de Futebol, François Viterbo lembrou que a Fifa "já investigou o incidente" entre Zidane e Materazzi através de seu comitê de disciplina, que sancionou os dois jogadores. Não houve recurso ao vídeo, já que o árbitro argentino Horácio Elizondo foi "imediatamente informado" da cabeçada.

O advogado da Fifa também considerou que "não cabe a um oficial de justiça se intrometer num jogo de futebol".


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;