Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Casos suspeitos de dengue têm alta de 6,8% em relação a 2015


Da Redação

25/03/2016 | 07:00


O número de casos suspeitos de dengue aumentou 6,8% no Grande ABC de janeiro até 5 de março em comparação com o mesmo período de 2015. Balanço divulgado ontem pelo Consórcio Intermunicipal do Grande ABC aponta a existência de 4.040 ocorrências suspeitas ante 3.780 no ano passado. Os dados foram coletados junto aos sete municípios e repassados ao Grupo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Estado.

A alta mais significativa foi observada em Mauá, onde os casos suspeitos passaram de 266 para 620 no período. A cidade é seguida por São Bernardo (1.579 para 2.003), Santo André (567 para 660) e Ribeirão Pires (89 para 98). Já em Diadema houve movimento inverso: as suspeitas caíram de 1.019 para 426. O mesmo acontece em São Caetano (236 para 212) e Rio Grande da Serra (24 para 21).

O levantamento mostra que são 29 os casos suspeitos de zika vírus, sendo 21 em São Bernardo, sete em Mauá e um em Santo André. Já a febre chikungunya contabiliza 104 suspeitas, sendo 64 em São Bernardo, 23 em Mauá, 14 em Santo André e três em São Caetano.

 

AUTÓCTONES

Conforme os municípios, são 108 casos autóctones de dengue entre as sete cidades. O número é 725% menor do que o de 2015, quando a doença acometeu 891 pessoas.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Casos suspeitos de dengue têm alta de 6,8% em relação a 2015

Da Redação

25/03/2016 | 07:00


O número de casos suspeitos de dengue aumentou 6,8% no Grande ABC de janeiro até 5 de março em comparação com o mesmo período de 2015. Balanço divulgado ontem pelo Consórcio Intermunicipal do Grande ABC aponta a existência de 4.040 ocorrências suspeitas ante 3.780 no ano passado. Os dados foram coletados junto aos sete municípios e repassados ao Grupo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Estado.

A alta mais significativa foi observada em Mauá, onde os casos suspeitos passaram de 266 para 620 no período. A cidade é seguida por São Bernardo (1.579 para 2.003), Santo André (567 para 660) e Ribeirão Pires (89 para 98). Já em Diadema houve movimento inverso: as suspeitas caíram de 1.019 para 426. O mesmo acontece em São Caetano (236 para 212) e Rio Grande da Serra (24 para 21).

O levantamento mostra que são 29 os casos suspeitos de zika vírus, sendo 21 em São Bernardo, sete em Mauá e um em Santo André. Já a febre chikungunya contabiliza 104 suspeitas, sendo 64 em São Bernardo, 23 em Mauá, 14 em Santo André e três em São Caetano.

 

AUTÓCTONES

Conforme os municípios, são 108 casos autóctones de dengue entre as sete cidades. O número é 725% menor do que o de 2015, quando a doença acometeu 891 pessoas.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;