Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Médico acusado de esquartejar ex-namorada continuará preso


Do Diário OnLine

10/07/2006 | 14:06


A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Ellen Gracie, negou o pedido de revogação da prisão preventiva do cirurgião plástico Farah Jorge Farah, acusado de esquartejar a ex-namorada.

A defesa alegava excesso de prazo e, por esse motivo, queria a revogação da prisão preventiva do réu, acusado de homicídio triplamente qualificado, destruição, ocultação e vilipêndio a cadáver, além de fraude processual.

Farah foi denunciado pelo Ministério Público por matar e esquartejar a paciente e ex- namorada Maria do Carmo Alves, em 24 de janeiro de 2003. O corpo foi esquartejado, colocado em sacos de lixo e escondido no porta-malas do carro do médico. O cirurgião plástico está detido desde 2003.

O mesmo pedido de liberdade provisória já havia sido negado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Médico acusado de esquartejar ex-namorada continuará preso

Do Diário OnLine

10/07/2006 | 14:06


A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Ellen Gracie, negou o pedido de revogação da prisão preventiva do cirurgião plástico Farah Jorge Farah, acusado de esquartejar a ex-namorada.

A defesa alegava excesso de prazo e, por esse motivo, queria a revogação da prisão preventiva do réu, acusado de homicídio triplamente qualificado, destruição, ocultação e vilipêndio a cadáver, além de fraude processual.

Farah foi denunciado pelo Ministério Público por matar e esquartejar a paciente e ex- namorada Maria do Carmo Alves, em 24 de janeiro de 2003. O corpo foi esquartejado, colocado em sacos de lixo e escondido no porta-malas do carro do médico. O cirurgião plástico está detido desde 2003.

O mesmo pedido de liberdade provisória já havia sido negado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;