Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Bandas levam MTV Rockgol 'a sério'


Do Diário do Grande ABC

27/05/2000 | 14:14


O MTV Rockgol, já tradicional campeonato organizado pela MTV, teve sua 6ª ediçao na semana passada e pela primeira vez foi disputado no Rio - no campo do Flamengo, na Gávea. Os jogos vao ao ar a partir do dia 5 de junho. O campeonato tem de tudo - ou quase. Os times usam uniforme impecável, os juízes também. Há placar eletrônico e torcida organizada e animada. Tem até transmissao de TV, com direito a locutor, comentarista e reportagens de campo feita por trepidantes. A bola é oficial, da Nike, patrocinadora da Seleçao Brasileira. Antes do jogo final, as duas equipes entraram em campo lado a lado, ficaram perfiladas para a execuçao do Hino Nacional e se aqueceram ao som de uma queima fogos. Falta só um pouco de futebol.

Mas o esforço dos músicos de 58 bandas diferentes para conseguir matar uma bola no peito, dar um chute certeiro ou acertar uma cabeçada com direçao vale a pena. Pelo menos lá e por quatro dias eles deixam de ser profissionais da música e se sentem boleiros de verdade.

Bom exemplo é o vocalista do Skank, Samuel Rosa, notório fanático por futebol, que na empolgaçao de comemorar um gol saiu correndo feito um louco desvairado, pulou as placas de publicidade, tropeçou, levantou e se equilibrou na grade, balançando a camisa para a torcida.

''Cara, você viu aquilo? Eu me empolgo muito. Acho que se fosse jogador de verdade, caía no fosso.`` Nao é só ele que se sente um verdadeiro profissional da pelota. Enquanto um jogo acontecia, dava para ouvir claramente os integrantes da banda de reggae Natiruts analisando seu próximo adversário. ''Estava vendo o 3 deles? Entao. É ali que você tem que cair. Você é rápido. Parte para cima e chuta.`` Estrategistas natos.

É a onda do Rockgol, que em suas ediçoes anteriores já viu gente partir para a briga e tudo.

''Desde a primeira ediçao tem uns times que jogam sempre. Nós, o Sepultura, o Skank... Isso acaba criando uma certa tradiçao. Sao times que estao sempre querendo ganhar``, diz Canisso, baixista dos Raimundos.

Para ele, agora a coisa ficou mais séria, os time levam mais a sério a preparaçao. ''Até porque futebol é a segunda maior paixao do brasileiro.``Segunda? ''Claro. A primeira é mulher.``

Tudo bem, tem gente levando o campeonato a sério. Mas outros, nem tanto. Teve time que foi eliminado de primeira e dedicou o resto de seu tempo à cerveja. Os atletas do Miami Rock Stars (formado por Funk Fuckers, Comunidade Nin-Jitsu e De Falla), por exemplos, mostraram que sao bem melhores levantando copo que chutando bola.

Mas o campeonato está sério mesmo. Este ano teve até tapetao. Tudo porque descobriram que o goleiro do Claudinho & Buchecha/Os Morenos estava irregular. Pelas normas, só pode jogar quem tem clipe na MTV - o que nao era o caso dele.

''Isso é um absurdo, eles sabiam da regra desde o começo. Para mim, o time devia ser eliminado. Da próxima vez vou botar uns caras do Gama para tocar tamborim no nosso clipe e colocar todo mundo para jogar``, revoltava-se Canisso.

A parada é séria dentro de campo, nos bastidores e até na arquibancada. A torcida tinha uma clara divisao entre fas de rock e a galera do pagode. Com direito a gritos de guerra, batuque, charanga e xingamentos, claro, que ninguém é de ferro. Era só sair um gol de um time como o Claudinho & Buchecha/Os Morenos para parte da arquibancada gritar a plenos pulmoes.

''Eu, eu, eu, o roqueiro se f...``, no que era prontamente respondida pelo restante: ''ei, pagodeiro, vai tomar no c..`` Ah, o futebol. Nem com música no meio ele muda.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bandas levam MTV Rockgol 'a sério'

Do Diário do Grande ABC

27/05/2000 | 14:14


O MTV Rockgol, já tradicional campeonato organizado pela MTV, teve sua 6ª ediçao na semana passada e pela primeira vez foi disputado no Rio - no campo do Flamengo, na Gávea. Os jogos vao ao ar a partir do dia 5 de junho. O campeonato tem de tudo - ou quase. Os times usam uniforme impecável, os juízes também. Há placar eletrônico e torcida organizada e animada. Tem até transmissao de TV, com direito a locutor, comentarista e reportagens de campo feita por trepidantes. A bola é oficial, da Nike, patrocinadora da Seleçao Brasileira. Antes do jogo final, as duas equipes entraram em campo lado a lado, ficaram perfiladas para a execuçao do Hino Nacional e se aqueceram ao som de uma queima fogos. Falta só um pouco de futebol.

Mas o esforço dos músicos de 58 bandas diferentes para conseguir matar uma bola no peito, dar um chute certeiro ou acertar uma cabeçada com direçao vale a pena. Pelo menos lá e por quatro dias eles deixam de ser profissionais da música e se sentem boleiros de verdade.

Bom exemplo é o vocalista do Skank, Samuel Rosa, notório fanático por futebol, que na empolgaçao de comemorar um gol saiu correndo feito um louco desvairado, pulou as placas de publicidade, tropeçou, levantou e se equilibrou na grade, balançando a camisa para a torcida.

''Cara, você viu aquilo? Eu me empolgo muito. Acho que se fosse jogador de verdade, caía no fosso.`` Nao é só ele que se sente um verdadeiro profissional da pelota. Enquanto um jogo acontecia, dava para ouvir claramente os integrantes da banda de reggae Natiruts analisando seu próximo adversário. ''Estava vendo o 3 deles? Entao. É ali que você tem que cair. Você é rápido. Parte para cima e chuta.`` Estrategistas natos.

É a onda do Rockgol, que em suas ediçoes anteriores já viu gente partir para a briga e tudo.

''Desde a primeira ediçao tem uns times que jogam sempre. Nós, o Sepultura, o Skank... Isso acaba criando uma certa tradiçao. Sao times que estao sempre querendo ganhar``, diz Canisso, baixista dos Raimundos.

Para ele, agora a coisa ficou mais séria, os time levam mais a sério a preparaçao. ''Até porque futebol é a segunda maior paixao do brasileiro.``Segunda? ''Claro. A primeira é mulher.``

Tudo bem, tem gente levando o campeonato a sério. Mas outros, nem tanto. Teve time que foi eliminado de primeira e dedicou o resto de seu tempo à cerveja. Os atletas do Miami Rock Stars (formado por Funk Fuckers, Comunidade Nin-Jitsu e De Falla), por exemplos, mostraram que sao bem melhores levantando copo que chutando bola.

Mas o campeonato está sério mesmo. Este ano teve até tapetao. Tudo porque descobriram que o goleiro do Claudinho & Buchecha/Os Morenos estava irregular. Pelas normas, só pode jogar quem tem clipe na MTV - o que nao era o caso dele.

''Isso é um absurdo, eles sabiam da regra desde o começo. Para mim, o time devia ser eliminado. Da próxima vez vou botar uns caras do Gama para tocar tamborim no nosso clipe e colocar todo mundo para jogar``, revoltava-se Canisso.

A parada é séria dentro de campo, nos bastidores e até na arquibancada. A torcida tinha uma clara divisao entre fas de rock e a galera do pagode. Com direito a gritos de guerra, batuque, charanga e xingamentos, claro, que ninguém é de ferro. Era só sair um gol de um time como o Claudinho & Buchecha/Os Morenos para parte da arquibancada gritar a plenos pulmoes.

''Eu, eu, eu, o roqueiro se f...``, no que era prontamente respondida pelo restante: ''ei, pagodeiro, vai tomar no c..`` Ah, o futebol. Nem com música no meio ele muda.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;