Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Guerra jurídica nas finais do Campeonato Baiano


Do Diário do Grande ABC

12/06/1999 | 13:05


O Campeonato Baiano começou a ser decidido no Tapetao, na noite de sexta-feira, antes do jogo Bahia x Vitória, que será disputado neste domingo. Até a manha de deste sábado o torcedor nao sabia onde o jogo seria realizado. A partida foi transferida do Estádio Manoel Barradas, mando de campo do Vitória, para a Fonte Nova, por determinaçao do juiz Clésio Rosa, da 17ª Vara Civil de Salvador. Uma outra liminar, obtida também na Justiça comum, liberou para o jogo, Bebeto Campos e Isaías, do Bahia, suspensos por doping. Finalmente, o Vitória entrou com pedido de anulaçao da primeira partida da decisao, vencida pelo Bahia por 2 a 0. Com tudo isso, o local do jogo só deve ser conhecido neste domingo.

Há muito tempo que o campeonato estadual nao era tao disputado. O Vitória nao está medindo esforços para ganhar o título pois é o ano do seu centenário. Além do mais, nao aceita perder tendo um elenco melhor que seu rival. Ocorre que o técnico Joel Santana arrumou o Bahia e acabou indo para a final com a vantagem de poder perder por uma diferença de um gol para ser campeao.

Apesar da vantagem, a direçao do clube decidiu dar uma "forcinha" fora de campo para garantir o título, buscando tirar a decisao do Barradao, onde o Vitória sempre se deu bem. Na final do segundo turno, foi no Barradao que o Vitória bateu o rival por 2 a 1. No dia do jogo, diretores do Bahia tiveram o acesso barrado à tribuna de honra, por determinaçao explicita do presidente do Vitória, Paulo Carneiro. Ele inclusive teria declarado às emissoras de rádio que no Barradao tinha mais autoridade que o governo do Estado.

Foi baseado nessas declaraçoes que a direçao do Bahia bolou um plano para tirar o jogo do Barradao. Um "laranja", torcedor do clube, foi estimulado a recorrer à Justiça Comum (para o Bahia nao ser punido). Roberto Passos, presidente do Clube de Regatas Itapagipe (que disputa competiçoes de remo) entrou na 17ª Vara com pedido de liminar para transferir a partida para a Fonte Nova. Alegou que o maior estádio da cidade é que deveria ser o palco da decisao. O juiz Rosa aceitou a argumentaçao e concedeu a liminar.

Ao tomar conhecimento, a Federaçao Baiana de Futebol (FBF) deu entrada num pedido de cassaçao da liminar no Tribunal de Justiça para cumprir o regulamento do campeonato. O desembargador Rogério Braga ficou de decidir neste domingo se cassa ou nao a liminar.

Numa outra frente de batalha, o departamento jurídico do Bahia obteve liminar na 8ª Vara Civil, garantindo condiçoes de jogo para Bebeto Campos e Isaías, punidos por 29 dias de suspensao por doping. A argumentaçao usada foi um verdadeiro achado: a Constituiçao garante o direito ao trabalho dos jogadores.

Já o Vitória contra-atacou no Tribunal de Justiça Desportiva da FBF: pediu a anulaçao do jogo Bahia 2 x 0 Vitória. Alegou que o Bahia nao poderia jogar com Bebeto Campos e Isaías, embora, na data, ainda nao houvesse sido realizado a contraprova do exame antidoping. A FBF disse que vai cumprir o que a justiça decidir.

Manfredo Lessa, assessor jurídico da federaçao observou, contudo que a FBF terá dificuldades para organizar a decisao na Fonte Nova, pois tudo havia sido esquematizado para o Barradao. Sobre a liminar que liberou os dois jogadores do Bahia, Lessa acentuou que o clube vai assumir um grande risco se colocar em campo Bebeto Campos e Isaías.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guerra jurídica nas finais do Campeonato Baiano

Do Diário do Grande ABC

12/06/1999 | 13:05


O Campeonato Baiano começou a ser decidido no Tapetao, na noite de sexta-feira, antes do jogo Bahia x Vitória, que será disputado neste domingo. Até a manha de deste sábado o torcedor nao sabia onde o jogo seria realizado. A partida foi transferida do Estádio Manoel Barradas, mando de campo do Vitória, para a Fonte Nova, por determinaçao do juiz Clésio Rosa, da 17ª Vara Civil de Salvador. Uma outra liminar, obtida também na Justiça comum, liberou para o jogo, Bebeto Campos e Isaías, do Bahia, suspensos por doping. Finalmente, o Vitória entrou com pedido de anulaçao da primeira partida da decisao, vencida pelo Bahia por 2 a 0. Com tudo isso, o local do jogo só deve ser conhecido neste domingo.

Há muito tempo que o campeonato estadual nao era tao disputado. O Vitória nao está medindo esforços para ganhar o título pois é o ano do seu centenário. Além do mais, nao aceita perder tendo um elenco melhor que seu rival. Ocorre que o técnico Joel Santana arrumou o Bahia e acabou indo para a final com a vantagem de poder perder por uma diferença de um gol para ser campeao.

Apesar da vantagem, a direçao do clube decidiu dar uma "forcinha" fora de campo para garantir o título, buscando tirar a decisao do Barradao, onde o Vitória sempre se deu bem. Na final do segundo turno, foi no Barradao que o Vitória bateu o rival por 2 a 1. No dia do jogo, diretores do Bahia tiveram o acesso barrado à tribuna de honra, por determinaçao explicita do presidente do Vitória, Paulo Carneiro. Ele inclusive teria declarado às emissoras de rádio que no Barradao tinha mais autoridade que o governo do Estado.

Foi baseado nessas declaraçoes que a direçao do Bahia bolou um plano para tirar o jogo do Barradao. Um "laranja", torcedor do clube, foi estimulado a recorrer à Justiça Comum (para o Bahia nao ser punido). Roberto Passos, presidente do Clube de Regatas Itapagipe (que disputa competiçoes de remo) entrou na 17ª Vara com pedido de liminar para transferir a partida para a Fonte Nova. Alegou que o maior estádio da cidade é que deveria ser o palco da decisao. O juiz Rosa aceitou a argumentaçao e concedeu a liminar.

Ao tomar conhecimento, a Federaçao Baiana de Futebol (FBF) deu entrada num pedido de cassaçao da liminar no Tribunal de Justiça para cumprir o regulamento do campeonato. O desembargador Rogério Braga ficou de decidir neste domingo se cassa ou nao a liminar.

Numa outra frente de batalha, o departamento jurídico do Bahia obteve liminar na 8ª Vara Civil, garantindo condiçoes de jogo para Bebeto Campos e Isaías, punidos por 29 dias de suspensao por doping. A argumentaçao usada foi um verdadeiro achado: a Constituiçao garante o direito ao trabalho dos jogadores.

Já o Vitória contra-atacou no Tribunal de Justiça Desportiva da FBF: pediu a anulaçao do jogo Bahia 2 x 0 Vitória. Alegou que o Bahia nao poderia jogar com Bebeto Campos e Isaías, embora, na data, ainda nao houvesse sido realizado a contraprova do exame antidoping. A FBF disse que vai cumprir o que a justiça decidir.

Manfredo Lessa, assessor jurídico da federaçao observou, contudo que a FBF terá dificuldades para organizar a decisao na Fonte Nova, pois tudo havia sido esquematizado para o Barradao. Sobre a liminar que liberou os dois jogadores do Bahia, Lessa acentuou que o clube vai assumir um grande risco se colocar em campo Bebeto Campos e Isaías.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;