Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Boris Tadic assume a presidência da Sérvia


Da AFP

11/07/2004 | 18:08


O pró-europeu Boris Tadic assumiu neste domingo em Belgrado, capital da Iugoslávia, suas novas funções, tornando-se o primeiro presidente não comunista da Sérvia.

Tadic, 46 anos, sucede no cargo a Slobodan Milosevic (1990 a 1997), que dirigiu a Iugoslávia até outubro de 2000, e a Milan Milutinovic (1997 a 2002). Os dois são acusados de crimes de guerra pelo TPI (Tribunal Penal Internacional) e estão na prisão de jurisdição da ONU (Organização das Nações Unidas).

No primeiro discurso como presidente, Tadic estimou que a Sérvia deve, como os demais países dos Bálcãs, fazer "face aos crimes" cometidos durante as guerras da Croácia, da Bósnia e de Kosovo nos anos 90. Trata-se, segundo ele, “de uma condição prévia às relações de boa vizinhança e à edição de valores europeus nesta parte do continente”.

O novo presidente da Sérvia tem, entre outras prioridades políticas, "a integração dos europeus e as relações equilibradas com Washington (capital dos Estados Unidos), Moscou (capital da Rússia) e Bruxelas (capital da Bélgica)".

A cooperação com o TPI, segundo Tadic, "é indispensável para determinar as responsabilidades individuais dos crimes cometidos no território da extinta Iugoslávia".

Tadic prestou juramento no cargo ante os deputados reunidos em sessão solene, na presença do primeiro-ministro Vojislav Kostunica e dos demais membros do governo sérvio. "Estou convencido de que iremos cooperar em benefício de todas as instituições, de nossos cidadãos e da estabilidade de nosso Estado", declarou ele.

"Desejo ser o presidente de todos os cidadãos e quero ver superadas as divergências entre os partidos políticos. A estabilidade das instituições depende grandemente disso", disse também o novo chefe de Estado.

Assistiram à cerimônia delegações de cerca de 40 países, entre eles representantes dos Estados Unidos, Rússia, do Conselho da Europa e dos países vizinhos da Sérvia-Montenegro.

Ex-ministro da Saúde e, depois, da Defesa, Tadic liderava desde fevereiro deste ano o Partido Democrático, fundado no início dos anos 90 por Zoran Djindjic, o primeiro-ministro assassinado em 2003 em Belgrado.

A Sérvia é a principal República do Estado da Sérvia-Montenegro que sucedeu, em 2003, à Federação da Iugoslávia. Tadic foi eleito no dia último dia 27 em segundo turno à presidência Sérvia, derrotando o ultra-nacionalista Tomislav Nikolic.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Boris Tadic assume a presidência da Sérvia

Da AFP

11/07/2004 | 18:08


O pró-europeu Boris Tadic assumiu neste domingo em Belgrado, capital da Iugoslávia, suas novas funções, tornando-se o primeiro presidente não comunista da Sérvia.

Tadic, 46 anos, sucede no cargo a Slobodan Milosevic (1990 a 1997), que dirigiu a Iugoslávia até outubro de 2000, e a Milan Milutinovic (1997 a 2002). Os dois são acusados de crimes de guerra pelo TPI (Tribunal Penal Internacional) e estão na prisão de jurisdição da ONU (Organização das Nações Unidas).

No primeiro discurso como presidente, Tadic estimou que a Sérvia deve, como os demais países dos Bálcãs, fazer "face aos crimes" cometidos durante as guerras da Croácia, da Bósnia e de Kosovo nos anos 90. Trata-se, segundo ele, “de uma condição prévia às relações de boa vizinhança e à edição de valores europeus nesta parte do continente”.

O novo presidente da Sérvia tem, entre outras prioridades políticas, "a integração dos europeus e as relações equilibradas com Washington (capital dos Estados Unidos), Moscou (capital da Rússia) e Bruxelas (capital da Bélgica)".

A cooperação com o TPI, segundo Tadic, "é indispensável para determinar as responsabilidades individuais dos crimes cometidos no território da extinta Iugoslávia".

Tadic prestou juramento no cargo ante os deputados reunidos em sessão solene, na presença do primeiro-ministro Vojislav Kostunica e dos demais membros do governo sérvio. "Estou convencido de que iremos cooperar em benefício de todas as instituições, de nossos cidadãos e da estabilidade de nosso Estado", declarou ele.

"Desejo ser o presidente de todos os cidadãos e quero ver superadas as divergências entre os partidos políticos. A estabilidade das instituições depende grandemente disso", disse também o novo chefe de Estado.

Assistiram à cerimônia delegações de cerca de 40 países, entre eles representantes dos Estados Unidos, Rússia, do Conselho da Europa e dos países vizinhos da Sérvia-Montenegro.

Ex-ministro da Saúde e, depois, da Defesa, Tadic liderava desde fevereiro deste ano o Partido Democrático, fundado no início dos anos 90 por Zoran Djindjic, o primeiro-ministro assassinado em 2003 em Belgrado.

A Sérvia é a principal República do Estado da Sérvia-Montenegro que sucedeu, em 2003, à Federação da Iugoslávia. Tadic foi eleito no dia último dia 27 em segundo turno à presidência Sérvia, derrotando o ultra-nacionalista Tomislav Nikolic.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;