Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Na Avenida das Nações, em Santo André, obra atrasa por falta de cimento

Ricardo Trida/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Comerciantes têm queda no faturamento devido à demora na conclusão do serviço


Yago Delbuoni
Especial para o Diário

28/02/2015 | 07:00


Os cavaletes podem até ser do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), mas a obra que causa transtornos na Avenida das Nações, no Parque Capuava, em Santo André, é da Prefeitura. E era para ser uma intervenção rápida, mas foi paralisada por falta de cimento.

A obra, que prevê a implantação de travessias elevadas (lombofaixas) e reforma de sarjeta, impossibilita que o motorista acesse a Rua Lombarda, além de impedir o estacionamento de veículos ao longo da avenida.

A demora em concluir as intervenções é motivo de preocupação para o proprietário de uma padaria que fica exatamente na esquina entre a avenida e a rua. Felipe Mascena, 29 anos, disse que a obra começou a ser feita antes do Carnaval. “Na quinta-feira, os funcionários vieram e quebraram a minha calçada. Logo pensei: ‘Eles darão continuidade, virão sexta e sábado e acabarão com o serviço’, mas não foi o que aconteceu. Passaram os dias e ainda não temos uma solução.”

Mascena lamenta que após o início da intervenção promovida pela Prefeitura, o faturamento de seu comércio caiu, em média, 30%. “Perdi a oportunidade de faturar no feriado de Carnaval, no qual muita gente não viajou. Teve bastante movimento aqui no bairro, só que a clientela não tem como parar aqui.”

Mascena contou que conversou com um dos trabalhadores da obra e o funcionário disse que a demora se deve ao fato de que não há cimento. “Como é que a Prefeitura faz obra sem cimento? Só pode ser falta de planejamento”, disse o comerciante.

Um dos clientes do estabelecimento é o representante comercial José Dimas Meneguim, 63. Ele frequenta semanalmente o local e afirmou que, para chegar à padaria, foi obrigado a estacionar a 100 metros. “Isso causa grande transtorno. Antes conseguia parar aqui em frente. Deveria ter sido melhor planejado.”

Por meio de nota, a Prefeitura informou que houve uma troca de fornecedor de concreto, o que causou o atraso. A administração prometeu para quarta-feira a desobstrução das vias. Sobre os cavaletes do Semasa, o Executivo esclareceu que há parceria entre a autarquia e a Prefeitura, porém, pode ter ocorrido troca de equipamento por parte dos funcionários, que será averiguada. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;