Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Região tem ações por medula e tireóide


William Cardoso
Do Diário do Grande ABC

31/05/2009 | 07:06


A doação de medula óssea e a conscientização sobre a tireóide foram temas de eventos realizados ontem em São Bernardo e Santo André.

A AMEO (Associação da Medula Óssea) realizou um mutirão de cadastramento de possíveis doadores no Ginásio Poliesportivo, em São Bernardo. É a terceira vez que a entidade promove o evento no município, onde mora o garoto Breno, 3 anos, portador da síndrome de Shwachman Diamond e símbolo da campanha.

Durante todo o dia, passaram pelo ginásio 2.267 pessoas interessadas em fazer parte do banco de dados da entidade, que conta com aproximadamente um milhão de cadastrados. Em 2002, eram apenas 12 mil.

O procedimento para quem desejou se cadastrar foi simples e durou cerca de 20 minutos. O interessado ouviu uma palestra sobre a importância da doação, preencheu um cadastro e teve 10 mililitros de sangue colhidos na hora. Caso seja chamado, pode optar por ceder parte da medula óssea por uma intervenção simples e de risco quase nulo.

O transplante pode salvar a vida de quem tem leucemia e aplasia, além de crianças com doenças genéticas. É feito pela coleta direta do material, retirado da região da bacia, ou pela veia do doador.

Quem estiver interessado em fazer parte do banco de doadores deve se dirigir à Santa Casa de São Paulo, com RG e CPF, de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h, ou aos sábados, das 7h às 15h. O endereço é Rua Marquês de Itu, 579, na Vila Buarque.

TIREÓIDE - Em Santo André, o Shopping ABC foi palco de campanha internacional sobre o tireodismo. Quem passou por lá teve a oportunidade de realizar um exame rápido de detecção de possíveis anormalidades. Risco de ataques cardíacos e derrames estão entre os malefícios decorrentes de problemas nas glândulas.

Cerca de 280 passaram pelo local entre 11h e 16h. Dessas, 95 foram encaminhadas para análises mais detalhadas, como exame de sangue e ultrassom.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Região tem ações por medula e tireóide

William Cardoso
Do Diário do Grande ABC

31/05/2009 | 07:06


A doação de medula óssea e a conscientização sobre a tireóide foram temas de eventos realizados ontem em São Bernardo e Santo André.

A AMEO (Associação da Medula Óssea) realizou um mutirão de cadastramento de possíveis doadores no Ginásio Poliesportivo, em São Bernardo. É a terceira vez que a entidade promove o evento no município, onde mora o garoto Breno, 3 anos, portador da síndrome de Shwachman Diamond e símbolo da campanha.

Durante todo o dia, passaram pelo ginásio 2.267 pessoas interessadas em fazer parte do banco de dados da entidade, que conta com aproximadamente um milhão de cadastrados. Em 2002, eram apenas 12 mil.

O procedimento para quem desejou se cadastrar foi simples e durou cerca de 20 minutos. O interessado ouviu uma palestra sobre a importância da doação, preencheu um cadastro e teve 10 mililitros de sangue colhidos na hora. Caso seja chamado, pode optar por ceder parte da medula óssea por uma intervenção simples e de risco quase nulo.

O transplante pode salvar a vida de quem tem leucemia e aplasia, além de crianças com doenças genéticas. É feito pela coleta direta do material, retirado da região da bacia, ou pela veia do doador.

Quem estiver interessado em fazer parte do banco de doadores deve se dirigir à Santa Casa de São Paulo, com RG e CPF, de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h, ou aos sábados, das 7h às 15h. O endereço é Rua Marquês de Itu, 579, na Vila Buarque.

TIREÓIDE - Em Santo André, o Shopping ABC foi palco de campanha internacional sobre o tireodismo. Quem passou por lá teve a oportunidade de realizar um exame rápido de detecção de possíveis anormalidades. Risco de ataques cardíacos e derrames estão entre os malefícios decorrentes de problemas nas glândulas.

Cerca de 280 passaram pelo local entre 11h e 16h. Dessas, 95 foram encaminhadas para análises mais detalhadas, como exame de sangue e ultrassom.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;