Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Número reduzido de santistas não evita brigas


Carlos Tadeu
Especial para o Diário do Grande A

23/03/2009 | 07:01


 

Por medidas de segurança, o Corinthians destinou apenas 6% dos ingressos do clássico de ontem para a torcida santistas. Mas não adiantou.

Depois do jogo, ocorreram brigas em pelo menos três setores do Estádio do Pacaembu: tobogã, arquibancada do portão 22 (torcida visitante) e numeradas cobertas.

Diretores do clube da Baixada Santista arremessaram objetos na direção das cadeiras onde estavam torcedores corintianos no Setor Vip do Pacaembu, abaixo dos camarotes. O motivo teria sido a irritação com a arbitragem na vitória do rival e a alegação de terem sido agredidos. "Jogaram coisas lá de baixo, quebraram vidros nossos e depois nós nos defendemos", argumentou Norberto dos Santos, vice-presidente do Santos.

Depois, o presidente Marcelo Teixeira e demais integrantes da diretoria foram para o vestiário pelo meio da torcida do Peixe e ouviram cobranças por terem aceito apenas 6% dos ingressos para o clássico - dos mais de 33 mil pagantes, dois mil eram torcedores do time da Vila Belmiro.

Além da confusão com a Polícia Militar no setor da arquibancada destinado ao santistas, corintianos que estavam no tobogã entraram em conflito com policiais.

No gramado do Pacaembu, o promotor do Ministério Público Estadual, Paulo Castilho, defendeu o projeto de criação de um sistema de identificação dos torcedores, que deve entrar em vigor a partir de 2010, para evitar novos conflitos. "Devemos tirar do anonimato esses torcedores. Precisamos identificar todos eles, no mesmo sistema adotado na Copa do Mundo do Japão", declarou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Número reduzido de santistas não evita brigas

Carlos Tadeu
Especial para o Diário do Grande A

23/03/2009 | 07:01


 

Por medidas de segurança, o Corinthians destinou apenas 6% dos ingressos do clássico de ontem para a torcida santistas. Mas não adiantou.

Depois do jogo, ocorreram brigas em pelo menos três setores do Estádio do Pacaembu: tobogã, arquibancada do portão 22 (torcida visitante) e numeradas cobertas.

Diretores do clube da Baixada Santista arremessaram objetos na direção das cadeiras onde estavam torcedores corintianos no Setor Vip do Pacaembu, abaixo dos camarotes. O motivo teria sido a irritação com a arbitragem na vitória do rival e a alegação de terem sido agredidos. "Jogaram coisas lá de baixo, quebraram vidros nossos e depois nós nos defendemos", argumentou Norberto dos Santos, vice-presidente do Santos.

Depois, o presidente Marcelo Teixeira e demais integrantes da diretoria foram para o vestiário pelo meio da torcida do Peixe e ouviram cobranças por terem aceito apenas 6% dos ingressos para o clássico - dos mais de 33 mil pagantes, dois mil eram torcedores do time da Vila Belmiro.

Além da confusão com a Polícia Militar no setor da arquibancada destinado ao santistas, corintianos que estavam no tobogã entraram em conflito com policiais.

No gramado do Pacaembu, o promotor do Ministério Público Estadual, Paulo Castilho, defendeu o projeto de criação de um sistema de identificação dos torcedores, que deve entrar em vigor a partir de 2010, para evitar novos conflitos. "Devemos tirar do anonimato esses torcedores. Precisamos identificar todos eles, no mesmo sistema adotado na Copa do Mundo do Japão", declarou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;