Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Radicais livres: quando o corpo humano se oxida



06/06/2011 | 00:00



Frituras, gorduras animais, gordura hidrogenada, creme de leite, excessos de carne bovina, embutidos e defumados, são alguns dos alimentos que aumentam a presença de radicais livres no organismo. O médico e nutrólogo João Curvo de Almeida, em seu livro, A Alquimia dos Sabores A culinária funcional explica como é a ação dos radicais livres nas células.

"Da mesma forma que canos de ferro enferrujam, o corpo humano se oxida", informa. Segundo Curvo, a nossa oxidação ocorre em reação a substâncias chamadas radicais livres, que são átomos, íons ou moléculas que possuem um elétron ímpar em sua órbita externa. Por conterem elétrons não emparelhados, os radicais livres são extremamente reativos e altamente instáveis, capazes de grandes alterações químicas num espaço de tempo muito pequeno.

"Quanto maior a formação de radicais livres, maior o chamado "estresse oxidativo" que ocorre em nosso corpo. Radicais livres em excesso provocam destruição celular, aceleram o envelhecimento e iniciam diversas patologias", observa o médico.

Por Solange Bagdadi



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Radicais livres: quando o corpo humano se oxida


06/06/2011 | 00:00



Frituras, gorduras animais, gordura hidrogenada, creme de leite, excessos de carne bovina, embutidos e defumados, são alguns dos alimentos que aumentam a presença de radicais livres no organismo. O médico e nutrólogo João Curvo de Almeida, em seu livro, A Alquimia dos Sabores A culinária funcional explica como é a ação dos radicais livres nas células.

"Da mesma forma que canos de ferro enferrujam, o corpo humano se oxida", informa. Segundo Curvo, a nossa oxidação ocorre em reação a substâncias chamadas radicais livres, que são átomos, íons ou moléculas que possuem um elétron ímpar em sua órbita externa. Por conterem elétrons não emparelhados, os radicais livres são extremamente reativos e altamente instáveis, capazes de grandes alterações químicas num espaço de tempo muito pequeno.

"Quanto maior a formação de radicais livres, maior o chamado "estresse oxidativo" que ocorre em nosso corpo. Radicais livres em excesso provocam destruição celular, aceleram o envelhecimento e iniciam diversas patologias", observa o médico.

Por Solange Bagdadi

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;