Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Emae nao será privatizada e receberá R$ 74 mi


Do Diário do Grande ABC

02/04/1999 | 14:25


A Empresa Metropolitana de Aguas e Energia S.A.(EMAE), companhia que surgiu da cisao da Eletropaulo nao será privatizada. Será mantida em poder do Estado de Sao Paulo, que para completar o seu orçamento nestes tempos de estabilidade econômica, precisa alocar para ela, anualmente, R$ 74 mi, segundo relatório sobre a empresa em poder do Programa Estadual de Desestatizaçao. A informaçao de que a empresa nao será leiloada foi dada nesta sexta pelo secretário de Energia do Estado, Mauro Arce, que manteve encontros com a Emae nas últimas horas.

A EMAE possui três focos de atuaçao, todos eles considerados vitais pelos técnicos do governo e de importâncias inquestionáveis: a geraçao de energia em instalaçoes já existentes e estrategicamente dispostas em centros de carga (Usinas Henry Borden e Piratininga), o suprimento de água bruta para abastecimento público (reservatórios Guarapiranga e Billings) e, por último, as atividades de controle do sistema hidráulico, fundamentais para a segurança operacional e saneamento dos canais e reservatórios e para o controle de cheias na Regiao Metropolitana de Sao Paulo.

O complexo de geraçao de energia da EMAE é composto pela usina hidrelétrica Henry Borden, com capacidade de gerar até 887 megawatts; a hidrelétrica de Rasgao, com 22 megawatts de potência; a hidrelétrica de Porto Góes, com 11 megawatts; a usina termoelétrica de Piratininga, com 472 megawatts de potência. No total, as usinas da EMAE podem gerar até 1.392 megawatts, uma potência de usina de grande porte.

O sistema de controle hidráulico da EMAE é formado pelas usinas elevatórias de Pedreira, com vazao de 395 metros cúbicos por segundo e o de Traiçao, também no canal do rio Pinheiros, com capacidade de 280 metros cúbicos por segundo. Sao importantes usinas elevatórias, ajudando a Regiao Metropolitana a controlar as enchentes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Emae nao será privatizada e receberá R$ 74 mi

Do Diário do Grande ABC

02/04/1999 | 14:25


A Empresa Metropolitana de Aguas e Energia S.A.(EMAE), companhia que surgiu da cisao da Eletropaulo nao será privatizada. Será mantida em poder do Estado de Sao Paulo, que para completar o seu orçamento nestes tempos de estabilidade econômica, precisa alocar para ela, anualmente, R$ 74 mi, segundo relatório sobre a empresa em poder do Programa Estadual de Desestatizaçao. A informaçao de que a empresa nao será leiloada foi dada nesta sexta pelo secretário de Energia do Estado, Mauro Arce, que manteve encontros com a Emae nas últimas horas.

A EMAE possui três focos de atuaçao, todos eles considerados vitais pelos técnicos do governo e de importâncias inquestionáveis: a geraçao de energia em instalaçoes já existentes e estrategicamente dispostas em centros de carga (Usinas Henry Borden e Piratininga), o suprimento de água bruta para abastecimento público (reservatórios Guarapiranga e Billings) e, por último, as atividades de controle do sistema hidráulico, fundamentais para a segurança operacional e saneamento dos canais e reservatórios e para o controle de cheias na Regiao Metropolitana de Sao Paulo.

O complexo de geraçao de energia da EMAE é composto pela usina hidrelétrica Henry Borden, com capacidade de gerar até 887 megawatts; a hidrelétrica de Rasgao, com 22 megawatts de potência; a hidrelétrica de Porto Góes, com 11 megawatts; a usina termoelétrica de Piratininga, com 472 megawatts de potência. No total, as usinas da EMAE podem gerar até 1.392 megawatts, uma potência de usina de grande porte.

O sistema de controle hidráulico da EMAE é formado pelas usinas elevatórias de Pedreira, com vazao de 395 metros cúbicos por segundo e o de Traiçao, também no canal do rio Pinheiros, com capacidade de 280 metros cúbicos por segundo. Sao importantes usinas elevatórias, ajudando a Regiao Metropolitana a controlar as enchentes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;