Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Mais de 150 curdos mortos no Iraque em 16 de dezembro


Da AFP

25/12/2007 | 18:01


O Exército turco anunciou nesta terça-feira que entre 150 e 175 rebeldes curdos morreram em 16 de dezembro num ataque da aviação turca no norte do Iraque.

"Entre 150 e 175 terroristas foram neutralizados neste ataque aéreo", afirmou o Estado-maior do Exército em um comunicado publicado em seu site. "Este dado não leva em conta os terroristas que morreram no desabamento do abrigo onde estavam escondidos, na hora dos ataques", acrescentou.

"Inúmeros terroristas foram levados a hospitais de Erbil, Raniyeh, Kaladiza e Choman, no norte do Iraque", segundo o comunicado militar.

No Curdistão iraquiano, um responsável curdo "próximo ao PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão, separatista)", desmentiu este balanço divulgado pelo Exército curdo, afirmando que apenas "cinco combatentes morreram em 16 de dezembro, conforme o próprio PKK havia anunciado logo após o ataque".

Os ataques começaram quando o Parlamento turco aprovou um plano de operações militares contra os separatistas no norte do Iraque.

Em 16 de dezembro, os ataques atingiram o maciço de Qandil, uma região montanhosa do Curdistão iraquiano, onde fica o quartel general de cerca de 3.500 rebeldes do PKK. Eles utilizam a região como base para suas ações na Turquia.

Em uma segunda série de ataques, dia 22 de dezembro, os militares atingiram "esconderijos e baterias antiaéreas", segundo comunicado do Estado-maior.

Desde então, os serviços de segurança no norte do Iraque divulgaram vários ataques, entre eles um nesta terça-feira que não foi confirmado pelo Exército turco.

Os ataques de 16 de dezembro, os mais intensos da série, apoiados por disparos de artilharia, destruíram todos os seus alvos, entre os quais 16 bases de comando, treinamento e logística, 82 refúgios para rebeldes, dez baterias antiaéreas, assim como 14 depósitos de munições do PKK, acrescentou o Estado-maior turco.

O Exército turco vem realizando desde o início do mês várias operações contra posições, no norte do Iraque, de rebeldes do PKK, na luta contra o poder central de Ancara desde 1984.

O PKK é considerado grupo terrorista por Turquia, Estados Unidos e UE (União Européia).


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mais de 150 curdos mortos no Iraque em 16 de dezembro

Da AFP

25/12/2007 | 18:01


O Exército turco anunciou nesta terça-feira que entre 150 e 175 rebeldes curdos morreram em 16 de dezembro num ataque da aviação turca no norte do Iraque.

"Entre 150 e 175 terroristas foram neutralizados neste ataque aéreo", afirmou o Estado-maior do Exército em um comunicado publicado em seu site. "Este dado não leva em conta os terroristas que morreram no desabamento do abrigo onde estavam escondidos, na hora dos ataques", acrescentou.

"Inúmeros terroristas foram levados a hospitais de Erbil, Raniyeh, Kaladiza e Choman, no norte do Iraque", segundo o comunicado militar.

No Curdistão iraquiano, um responsável curdo "próximo ao PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão, separatista)", desmentiu este balanço divulgado pelo Exército curdo, afirmando que apenas "cinco combatentes morreram em 16 de dezembro, conforme o próprio PKK havia anunciado logo após o ataque".

Os ataques começaram quando o Parlamento turco aprovou um plano de operações militares contra os separatistas no norte do Iraque.

Em 16 de dezembro, os ataques atingiram o maciço de Qandil, uma região montanhosa do Curdistão iraquiano, onde fica o quartel general de cerca de 3.500 rebeldes do PKK. Eles utilizam a região como base para suas ações na Turquia.

Em uma segunda série de ataques, dia 22 de dezembro, os militares atingiram "esconderijos e baterias antiaéreas", segundo comunicado do Estado-maior.

Desde então, os serviços de segurança no norte do Iraque divulgaram vários ataques, entre eles um nesta terça-feira que não foi confirmado pelo Exército turco.

Os ataques de 16 de dezembro, os mais intensos da série, apoiados por disparos de artilharia, destruíram todos os seus alvos, entre os quais 16 bases de comando, treinamento e logística, 82 refúgios para rebeldes, dez baterias antiaéreas, assim como 14 depósitos de munições do PKK, acrescentou o Estado-maior turco.

O Exército turco vem realizando desde o início do mês várias operações contra posições, no norte do Iraque, de rebeldes do PKK, na luta contra o poder central de Ancara desde 1984.

O PKK é considerado grupo terrorista por Turquia, Estados Unidos e UE (União Européia).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;