Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Reduçao de alíquotas é alerta contra alta de preços


Do Diário do Grande ABC

02/04/1999 | 14:09


A reduçao de alíquotas de importaçao para 89 produtos, anunciada quinta-feira pelo governo, serve como um alerta para quem deseja aumentar os preços de seus produtos, segundo avalia o membro do Conselho da Associaçao Brasileira dos Fabricantes de Eletrodomésticos (Eletros), Lourival Kiçula. Ele lembra que "a decisao do governo serve como um aviso: olha, estou aqui e vou fazer algo se você aumentar exageradamente o preço do seu produto".

Kiçula salientou que uma reduçao média de 4% nao traz um grande impacto, mas também serve para ajustar as alíquotas a nova realidade cambial do país. Alguns produtos, cujas alíquotas sofreram reduçao, como o caso de liquidificadores e outros produtos eletrodomésticos, nao traz implicaçoes sérias, pois os produtos nacionais sao competitivos internacionalmente. "Veja, por exemplo, o caso do liquidificador. O nosso produto é muito competitivo com os preços praticados no mercado internacional", afirmou.

O economista e diretor do BICBanco, Paulo Mallmann, diz que a medida de reduçao de alíquotas foi adotada por causa da necessidade que o governo tinha em reduzir para zero alíquotas de produtos importados da área de saúde. "Foi uma medida certa", disse Mallmann.

O presidente do Conselho Federal de Economia, Antonio Corrêa de Lacerda, afirmou que a medida, antes de tudo, foi uma adequaçao das alíquotas de importaçao à nova realidade cambial do país. "Antes, com a sobrevalorizaçao do real, as alíquotas se mantinham lá em cima. Agora foram reduzidas. O importante é que a competiçao entre produtos nacionais e importados está mantida. Continuamos tendo uma economia aberta", afirmou.

Lacerda também entende que "o governo, com a reduçao das alíquotas de 89 produtos importados, busca mostrar que está atento ao mercado e que nao deseja a volta da inflaçao. Mostrou que tem flexibilidade para agir".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reduçao de alíquotas é alerta contra alta de preços

Do Diário do Grande ABC

02/04/1999 | 14:09


A reduçao de alíquotas de importaçao para 89 produtos, anunciada quinta-feira pelo governo, serve como um alerta para quem deseja aumentar os preços de seus produtos, segundo avalia o membro do Conselho da Associaçao Brasileira dos Fabricantes de Eletrodomésticos (Eletros), Lourival Kiçula. Ele lembra que "a decisao do governo serve como um aviso: olha, estou aqui e vou fazer algo se você aumentar exageradamente o preço do seu produto".

Kiçula salientou que uma reduçao média de 4% nao traz um grande impacto, mas também serve para ajustar as alíquotas a nova realidade cambial do país. Alguns produtos, cujas alíquotas sofreram reduçao, como o caso de liquidificadores e outros produtos eletrodomésticos, nao traz implicaçoes sérias, pois os produtos nacionais sao competitivos internacionalmente. "Veja, por exemplo, o caso do liquidificador. O nosso produto é muito competitivo com os preços praticados no mercado internacional", afirmou.

O economista e diretor do BICBanco, Paulo Mallmann, diz que a medida de reduçao de alíquotas foi adotada por causa da necessidade que o governo tinha em reduzir para zero alíquotas de produtos importados da área de saúde. "Foi uma medida certa", disse Mallmann.

O presidente do Conselho Federal de Economia, Antonio Corrêa de Lacerda, afirmou que a medida, antes de tudo, foi uma adequaçao das alíquotas de importaçao à nova realidade cambial do país. "Antes, com a sobrevalorizaçao do real, as alíquotas se mantinham lá em cima. Agora foram reduzidas. O importante é que a competiçao entre produtos nacionais e importados está mantida. Continuamos tendo uma economia aberta", afirmou.

Lacerda também entende que "o governo, com a reduçao das alíquotas de 89 produtos importados, busca mostrar que está atento ao mercado e que nao deseja a volta da inflaçao. Mostrou que tem flexibilidade para agir".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;