Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Cessão de secretárias para vereadores gera polêmica

Minhoca reclama por benefício e Cicote, presidente da Casa, alega quadro reduzido


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

15/02/2017 | 07:00


A sessão de ontem na Câmara de Santo André foi marcada por intensa discussão entre o vereador Jobert Minhoca (PSDB) e o presidente da Casa, Almir Cicote (PSB), sobre a cessão de secretárias para os parlamentares.

Segundo o tucano, 16 dos 21 vereadores possuem assistentes de gabinete cedidos pela Câmara. “As secretárias dão suporte para elaboração de requerimentos e indicações e eu fiquei sem esse suporte. Com isso, todo o processo fica atrasado”, destacou.

Na visão de Cicote, a Câmara sofre com o quadro reduzido de servidores e não tem como disponibilizar profissionais para todos os gabinetes. “Temos uma adequação a ser realizada no nosso quadro de funcionários, que teve início da gestão do ex-vereador Donizeti Pereira (PV), foi ampliada pelo parlamentar Ronaldo de Castro (PRB, ambos ex-presidentes da Câmara) e que limita o número de servidores. Além disso, a própria Prefeitura solicitou o retorno de alguns funcionários e isso agravou o quadro”, constatou.

Minhoca afirmou que conta com o apoio dos 21 parlamentares para que os gabinetes tenham condições iguais e o mesmo número de funcionários cedidos.

Outro ponto que gerou atrito foi o afastamento de uma servidora da Câmara que estava lotada no gabinete de Minhoca e que acabou afastada por determinação da presidência. A justificativa foi que a secretária encontra-se em período de férias e não poderia estar em atividade profissional na Casa.

O presidente da Câmara destacou ainda que está em negociação com a Prefeitura para o retorno de servidores para funções no Legislativo, visando amenizar o problema.

Além de Minhoca, os parlamentares Edilson Fumassa e Pedrinho Botaro (ambos do PSDB) também solicitaram assistentes de gabinete à direção da Câmara. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cessão de secretárias para vereadores gera polêmica

Minhoca reclama por benefício e Cicote, presidente da Casa, alega quadro reduzido

Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

15/02/2017 | 07:00


A sessão de ontem na Câmara de Santo André foi marcada por intensa discussão entre o vereador Jobert Minhoca (PSDB) e o presidente da Casa, Almir Cicote (PSB), sobre a cessão de secretárias para os parlamentares.

Segundo o tucano, 16 dos 21 vereadores possuem assistentes de gabinete cedidos pela Câmara. “As secretárias dão suporte para elaboração de requerimentos e indicações e eu fiquei sem esse suporte. Com isso, todo o processo fica atrasado”, destacou.

Na visão de Cicote, a Câmara sofre com o quadro reduzido de servidores e não tem como disponibilizar profissionais para todos os gabinetes. “Temos uma adequação a ser realizada no nosso quadro de funcionários, que teve início da gestão do ex-vereador Donizeti Pereira (PV), foi ampliada pelo parlamentar Ronaldo de Castro (PRB, ambos ex-presidentes da Câmara) e que limita o número de servidores. Além disso, a própria Prefeitura solicitou o retorno de alguns funcionários e isso agravou o quadro”, constatou.

Minhoca afirmou que conta com o apoio dos 21 parlamentares para que os gabinetes tenham condições iguais e o mesmo número de funcionários cedidos.

Outro ponto que gerou atrito foi o afastamento de uma servidora da Câmara que estava lotada no gabinete de Minhoca e que acabou afastada por determinação da presidência. A justificativa foi que a secretária encontra-se em período de férias e não poderia estar em atividade profissional na Casa.

O presidente da Câmara destacou ainda que está em negociação com a Prefeitura para o retorno de servidores para funções no Legislativo, visando amenizar o problema.

Além de Minhoca, os parlamentares Edilson Fumassa e Pedrinho Botaro (ambos do PSDB) também solicitaram assistentes de gabinete à direção da Câmara. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;