Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Cinema 3D ressurge com uma surpresa a cada instante


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

16/02/2009 | 06:00


O cinema 3D, que no passado encantou o público com filmes que exigiam o uso de um simples óculos com ‘lentes' de celofane azul e vermelho, parece ressurgir com força a uma nova geração de espectadores que nunca estiveram tão ligados à tecnologia. Bastaram algumas sessões ‘experimentais' com o novo sistema para que novas produções começassem a pipocar aqui e ali, na programação dos cinemas.

Uma das estreias desta semana é Coraline e o Mundo Secreto. Primeira animação em stop motion a ser filmada para terceira dimensão, é uma ótima opção para quem busca novidade e, principalmente, diversão.

O Diário assistiu à animação no Multiplex Mauá Plaza Shopping, um dos dois complexos do Grande ABC com tecnologia de transmissão em 3D - o Multiplex Playarte ABC também contém.

Logo de cara a experiência já é diferente, pois cada espectador recebe por empréstimo óculos especiais, que podem ser inclusive colocados por cima dos óculos convencionais, sem que isso interfira na qualidade da visualização ou no conforto.

Os créditos iniciais já demonstram as diferenças entre a produção 3D e a convencional, dada a profundidade das imagens que se sucedem.

As idas e vindas da garotinha Coraline são tão envolventes e chamativas que a sensação é a de que o público também transita junto com ela pelas duas diferentes realidades que a história revela. Enquanto o diretor Henry Selick chama a atenção para coisas comuns (como gotas de chuva) no mundo real, elementos fantásticos e cheios de vida são a atração no mundo secreto.

Ao longo de pouco mais de 100 minutos, se tem a sensação de estar em um local mágico, além de secreto para Coraline. A cada instante, algo novo parece ‘pular' da tela e seguir na direção de quem assiste ao longa - seja um lápis atravessando um papel, insetos voando em um jardim, mãos eletrônicas que saem de um piano ou mesmo o portal que interliga as realidades pelas quais transita a protagonista criada por Neil Gaiman.

Coraline e o Mundo Secreto segue uma nova tendência dos cinemas, com animações distribuídas em cópias normais e em terceira dimensão. O filme Bolt - Supercão, também em cartaz na região, é outro que possui a versão 3D. O preço do ingresso - mais caro do que para uma sessão convencional - pode assustar, mas para fugir das mesmice, vale o ‘sacrifício'.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cinema 3D ressurge com uma surpresa a cada instante

Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

16/02/2009 | 06:00


O cinema 3D, que no passado encantou o público com filmes que exigiam o uso de um simples óculos com ‘lentes' de celofane azul e vermelho, parece ressurgir com força a uma nova geração de espectadores que nunca estiveram tão ligados à tecnologia. Bastaram algumas sessões ‘experimentais' com o novo sistema para que novas produções começassem a pipocar aqui e ali, na programação dos cinemas.

Uma das estreias desta semana é Coraline e o Mundo Secreto. Primeira animação em stop motion a ser filmada para terceira dimensão, é uma ótima opção para quem busca novidade e, principalmente, diversão.

O Diário assistiu à animação no Multiplex Mauá Plaza Shopping, um dos dois complexos do Grande ABC com tecnologia de transmissão em 3D - o Multiplex Playarte ABC também contém.

Logo de cara a experiência já é diferente, pois cada espectador recebe por empréstimo óculos especiais, que podem ser inclusive colocados por cima dos óculos convencionais, sem que isso interfira na qualidade da visualização ou no conforto.

Os créditos iniciais já demonstram as diferenças entre a produção 3D e a convencional, dada a profundidade das imagens que se sucedem.

As idas e vindas da garotinha Coraline são tão envolventes e chamativas que a sensação é a de que o público também transita junto com ela pelas duas diferentes realidades que a história revela. Enquanto o diretor Henry Selick chama a atenção para coisas comuns (como gotas de chuva) no mundo real, elementos fantásticos e cheios de vida são a atração no mundo secreto.

Ao longo de pouco mais de 100 minutos, se tem a sensação de estar em um local mágico, além de secreto para Coraline. A cada instante, algo novo parece ‘pular' da tela e seguir na direção de quem assiste ao longa - seja um lápis atravessando um papel, insetos voando em um jardim, mãos eletrônicas que saem de um piano ou mesmo o portal que interliga as realidades pelas quais transita a protagonista criada por Neil Gaiman.

Coraline e o Mundo Secreto segue uma nova tendência dos cinemas, com animações distribuídas em cópias normais e em terceira dimensão. O filme Bolt - Supercão, também em cartaz na região, é outro que possui a versão 3D. O preço do ingresso - mais caro do que para uma sessão convencional - pode assustar, mas para fugir das mesmice, vale o ‘sacrifício'.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;