Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Memória do Grande ABC comemora 25 anos

Coluna do jornalista e memorialista Ademir Medici foi publicada pela primeira vez em 1987


Camila Galvez
Do Diário do Grande ABC

02/09/2012 | 07:00


Há exatos 25 anos, uma foto de 1948 inaugurava oficialmente no Diário a coluna Grande ABC Memória, hoje apenas Memória, de Ademir Medici. A imagem do prefeito Antonio (Tonico) Flaquer em visita aos funcionários do Serviço de Assistência Médico Hospitalar e Departamento de Assistência Social de Santo André, datada de 1948, oficializou o projeto de resgate da história da região que começou em 1976. E durante todos esses anos, ajudou a construir a memória das sete cidades e de seu povo.

Em 1976, Medici era editor do caderno Geral, que viria a se transformar em Setecidades. Começou a publicar série de reportagens especiais sobre os bairros do Grande ABC, com detalhes de como eles se formaram. "Cada texto deveria ser escrito por um repórter. Acabei escrevendo todos, até 1979."

Publicadas sempre aos domingos, as reportagens tinham grande repercussão entre os leitores, que enviavam fotos antigas de seus bairros. "As imagens foram se acumulando na minha gaveta e não sabia o que fazer. Então, decidi publicá-las, uma por dia. Foi assim que nasceu a ideia da coluna."

Nasceu assim também a reportagem sobre a instalação das indústrias na região sem qualquer planejamento dos governos, causando sérios problemas sociais, ambientais e viários. Com ela, Medici ganharia o Prêmio Esso de melhor reportagem regional, em 1976.

NOSSA GENTE
Falar com o sorridente Medici, ou seu Ademir, como é conhecido, sobre a história da região é fácil. Com 32 livros publicados sobre a história do Grande ABC, ele nunca perdeu o lado jornalista. "Sempre pesquisei a memória sem cair para o acadêmico, mantive o jeito jornalístico de narrar o que ouço."

O texto descontraído da coluna cumpre o seu papel: dar vida, por meio das páginas do jornal, ao morador da região, tantas vezes anônimo, mas que ajudou a construir e formar o Grande ABC.

Aliás, desse morador Medici entende bem: reúne em seu acervo cerca de 4.000 horas de depoimentos de diversas pessoas. Orgulha-se de ter acompanhado, por meio da coluna, os 12 Congressos de História realizados no Grande ABC, ininterruptamente. "No primeiro, tínhamos apenas teses sobre Paranapiacaba e o movimento sindical, como se a história da região se resumisse a isso. O evento ajudou a abrir a mente dos pesquisadores para a riqueza da nossa gente."

Gente que acompanha a coluna diariamente, envia fotos, textos, opina, discute e participa ativamente do processo de produção. "Sem os pesquisadores do dia-a-dia, esses senhores e senhoras que tanto ajudam com suas lembranças, não seria possível fazer Memória", garante Medici. É a eles que o Diário agradece hoje pelos 25 anos de colaboração na construção da história do Grande ABC.


Homenagens de quem entende

Historiadores são unânimes em afirmar que a coluna Memória e seu autor, o jornalista e memorialista Ademir Medici, foram os grandes responsáveis pela construção da história do povo do Grande ABC. "E não estamos falando apenas da Grande História, mas da história cotidiana, o dia-a-dia daqueles que vivem aqui. Esse é o grande valor dos textos de Ademir Medici: reconstruir a vida da nossa gente", destaca o historiador do Centro de Memória de Diadema, Absolon de Oliveira.

Quem se lembra com carinho da ajuda de Medici é a historiadora de Rio Grande da Serra Gisela Leonor Saar. Pelos idos de 1979, quando a Capela de Santa Cruz, a mais antiga da região, começou a ruir, um homem de capote comprido e preto apareceu em sua casa em uma noite chuvosa. "Levei um susto, não sabia quem era. Descobri ali uma pessoa que ajudaria a reconstruir a memória da minha cidade. Ademir é o historiador número 1 de Rio Grande da Serra", garantiu.

Quem não podia ficar de fora das homenagens é o primeiro presidente da Fundação Pró-Memória de São Caetano, Oscar Garbelotto. "Ademir e sua coluna incentivaram diversos movimentos históricos na região, antes mesmo dos Congressos de História acontecerem por aqui. Ele é, inclusive, um dos grandes incentivadores e colaboradores na criação da Fundação Pró-Memória", destacou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;