Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Turistas são feridos à bala em ação da polícia no CE



28/09/2007 | 07:08


Uma mulher e dois estrangeiros, um espanhol e outro italiano, foram feridos quinta-feira à noite durante uma ação desastrosa da polícia cearense.

O carro, uma Hilux preta, ocupada por dois casais que vinham do Aeroporto Internacional Pinto Martins, foi confundido quando trafegava pela Avenida Raul Barbosa, que liga o aeroporto à Aldeota, área nobre de Fortaleza, com outro veículo usado por assaltantes em fuga, que haviam roubado um caixa eletrônico.

Os policiais alegam que pediram duas vezes para o carro parar. Como não foram atendidos, abriram fogo contra a Hilux. As vítimas, no entanto, dizem que os policiais já chegaram atirando. Somente depois da abordagem, é que a polícia recebeu a informação de que o veículo dos assaltantes seria uma caminhonete S-10.

O espanhol Marcelino Ruiz Pompeu, de 38 anos, está com uma bala alojada na coluna e vai ficar paraplégico. O italiano Inozenzo Brancatio, 39, que guiava o carro, teve o antebraço fraturado por um dos disparos. A mulher dele, Denise Campos, teve escoriações no joelho direito. Na Hilux, 25 marcas de perfurações feitas com pistolas e metralhadoras, além de muito sangue.

Brancatio e Denise residem no Ceará. O casal havia se dirigido ao Aeroporto Internacional Pinto Martins para receber os dois amigos que vinham da Espanha: Pompeu e a mulher, conhecida apenas como Mar. Na volta do aeroporto, os casais foram abordados por policiais militares, que estavam numa torre instalada no cruzamento das avenidas Murilo Borges com Raul Barbosa. As imagens registradas pelas câmeras do CTA-FOR, que monitora o trânsito na capital cearense, comprovam a versão.

A abordagem aconteceu às 19h30. Um dos sete policiais ordenou que a Hilux, com vidros com revestimento escuro, parasse. O motorista não obedeceu, começando então uma perseguição pela Avenida Raul Barbosa. Trezentos metros adiante, já chegando à Avenida Pontes Vieira, após tiroteio efetuado pelos policiais, o carro pára. Desesperada, Denise, a única brasileira, desce e pede para os policiais pararem porque eles não eram assaltantes.

O carro deles foi confundido com outra caminhonete conduzida por um grupo de assaltantes, que, momentos antes, haviam roubado o caixa eletrônico do Banco do Brasil localizado no interior da Empresa Municipal de Limpeza e Urbanização (Emlurb), no bairro do Passaré.

O cerco policial começou a partir da denúncia de populares. Segundo o relato de testemunhas, uma Hilux preta teria deixado cair um caixa eletrônico ao passar em velocidade por uma lombada na Avenida Alberto Craveiro, no Bairro Castelão.

A descrição do veículo feita à PM conferia com o veículo metralhado.

Segundo o supervisor de Policiamento da Capital, major PM Ricardo Moura, a Hilux abordada era a errada, mas o procedimento adotado pelos policiais foi o correto.

O advogado dos dois casais, Leandro Vasquez, disse que eles vão processar o governo do Estado do Ceará por danos morais e materiais. "Infelizmente, não só os habitantes de Fortaleza, mas também nossos visitantes estão sendo abatidos como feras por segmento despreparado da polícia", comentou Vasquez.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;