Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 30 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

PLR fraca motiva greve de trabalhadores na Vitopel


Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

30/03/2007 | 07:09


Os trabalhadores da Vitopel, empresa de Mauá que faz parte do Pólo Petroquímico do Grande ABC, entraram em greve quinta-feira por causa do valor de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) proposto pela empresa e mudanças nos benefícios concedidos.

Segundo o diretor do Sindicato dos Químicos do ABC, Juvenil Nunes da Costa, a empresa ofereceu o mínimo de PLR – R$ 462 – que está previsto no acordo coletivo. “Com base nos resultados de 2006, a empresa alega que teve um ano ruim e que não poderá pagar mais que isso”, explica o sindicalista.

Em assembléia realizada na manhã de quinta-feira, os mais de 250 empregados resolveram paralisar a produção de filmes plásticos nos três turnos. “Os trabalhadores não aceitaram. Acham que poderia ser melhor. E também querem cesta básica incluída nos benefícios”, diz Costa.

Outro ponto que não agradou os funcionários da Vitopel é a mudança de plano de saúde e o fim do plano odontológico concedido aos trabalhadores.

Segundo o sindicalista Fernando Álvares, que também acompanha as negociações, no final da tarde de quinta-feira a empresa melhorou a proposta, mas abaixo do que os trabalhadores esperam.

Álvares conta que a média paga nos últimos anos pela Vitopel é de 1,3 salários nominais, o que funcionários esperam. A maior oferta feita até quinta-feira foi de um salário para os que ganham menos e 0,6 salário para quem ganha mais.

“Os trabalhadores acham que há margem de manobra. E nós concordamos porque já houve duas melhoras na proposta”, afirma o sindicalista.

Nesta sexta-feira, na entrada do turno da manhã, haverá uma nova assembléia para discutir os avanços das negociações. Para os sindicalistas, a greve deve continuar.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PLR fraca motiva greve de trabalhadores na Vitopel

Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

30/03/2007 | 07:09


Os trabalhadores da Vitopel, empresa de Mauá que faz parte do Pólo Petroquímico do Grande ABC, entraram em greve quinta-feira por causa do valor de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) proposto pela empresa e mudanças nos benefícios concedidos.

Segundo o diretor do Sindicato dos Químicos do ABC, Juvenil Nunes da Costa, a empresa ofereceu o mínimo de PLR – R$ 462 – que está previsto no acordo coletivo. “Com base nos resultados de 2006, a empresa alega que teve um ano ruim e que não poderá pagar mais que isso”, explica o sindicalista.

Em assembléia realizada na manhã de quinta-feira, os mais de 250 empregados resolveram paralisar a produção de filmes plásticos nos três turnos. “Os trabalhadores não aceitaram. Acham que poderia ser melhor. E também querem cesta básica incluída nos benefícios”, diz Costa.

Outro ponto que não agradou os funcionários da Vitopel é a mudança de plano de saúde e o fim do plano odontológico concedido aos trabalhadores.

Segundo o sindicalista Fernando Álvares, que também acompanha as negociações, no final da tarde de quinta-feira a empresa melhorou a proposta, mas abaixo do que os trabalhadores esperam.

Álvares conta que a média paga nos últimos anos pela Vitopel é de 1,3 salários nominais, o que funcionários esperam. A maior oferta feita até quinta-feira foi de um salário para os que ganham menos e 0,6 salário para quem ganha mais.

“Os trabalhadores acham que há margem de manobra. E nós concordamos porque já houve duas melhoras na proposta”, afirma o sindicalista.

Nesta sexta-feira, na entrada do turno da manhã, haverá uma nova assembléia para discutir os avanços das negociações. Para os sindicalistas, a greve deve continuar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;