Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 26 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA libertam 26 presos de Guantánamo


Do Diário OnLine
Com Agências

16/03/2004 | 12:26


Mais 23 afegãos e três paquistaneses foram libertados da prisão na base naval de Guantánamo, em Cuba, segundo anúncio feito pelo Pentágono. A identidade dos detentos e os motivos da libertação não foram revelados.

Por meio de uma nota, divulgada à imprensa, o Pentágono justifica as liberações dizendo que os presos se tornam "de interesse adicional do ponto de vista de inteligência para os Estados Unidos, e de ele representar ou não um perigo para os Estados Unidos".

Um dos afegãos, antes de retornar ao seu país, falaram a jornalista na base militar dos EUA em Bagram, ao norte de Cabul. “Não sabíamos qual era o nosso crime”, disse um dos ex-prisioneiros, Lall Gul. “Eles apenas nos prenderam e nos levaram para a prisão de Guantánamo”, continuou. Outro ex-preso, que não quis ser identificado, contou: “éramos tratados tão mal que não consigo achar palavras para explicar isso. A tortura psicológica era pior do que a física”, disse.

Atualmente, 610 "combatentes inimigos" estão presos em Guantánamo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA libertam 26 presos de Guantánamo

Do Diário OnLine
Com Agências

16/03/2004 | 12:26


Mais 23 afegãos e três paquistaneses foram libertados da prisão na base naval de Guantánamo, em Cuba, segundo anúncio feito pelo Pentágono. A identidade dos detentos e os motivos da libertação não foram revelados.

Por meio de uma nota, divulgada à imprensa, o Pentágono justifica as liberações dizendo que os presos se tornam "de interesse adicional do ponto de vista de inteligência para os Estados Unidos, e de ele representar ou não um perigo para os Estados Unidos".

Um dos afegãos, antes de retornar ao seu país, falaram a jornalista na base militar dos EUA em Bagram, ao norte de Cabul. “Não sabíamos qual era o nosso crime”, disse um dos ex-prisioneiros, Lall Gul. “Eles apenas nos prenderam e nos levaram para a prisão de Guantánamo”, continuou. Outro ex-preso, que não quis ser identificado, contou: “éramos tratados tão mal que não consigo achar palavras para explicar isso. A tortura psicológica era pior do que a física”, disse.

Atualmente, 610 "combatentes inimigos" estão presos em Guantánamo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;