Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Alimentação adequada pode estimular a memória



13/09/2011 | 00:00


Submeter a mente a várias atividades ao longo do dia é prejudicial ao cérebro e causa falhas de memória. O estresse, segundo os neurologistas, é um dos maiores agentes que interferem nela. Isso se dá porque o cortisol, hormônio liberado em situações de estresse, interferem na produção de novas células neuronais. Para testar a capacidade da memória são feitos testes. O médico pede para o paciente memorizar figuras, palavras ou histórias. Depois de 30 minutos, após as informações serem memorizadas, o médico indaga ao pacientes dados sobre o que foi exibido a ele. Até exames clínicos são realizados para confirmar se a falha de memória é ocasionada por estresse ou por algum problema clínico. Problemas na glândula tireóide, que produz hormônios que influenciam na memória, são diagnosticados através do exame de sangue. Uma vez comprovado que a carência é na sua produção, o paciente é submetido a um tratamento de hormônio indicado para a glândula. É possível melhorar a memória com a alimentação. A vitamina colina, que faz parte do complexo B e auxilia no funcionamento cerebral, é encontrada na leticina de soja. Duas colheres de sopa da leticina podem ser adicionada a sucos, sopas, salada ou frutas. Por Carolina Abranches



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alimentação adequada pode estimular a memória


13/09/2011 | 00:00


Submeter a mente a várias atividades ao longo do dia é prejudicial ao cérebro e causa falhas de memória. O estresse, segundo os neurologistas, é um dos maiores agentes que interferem nela. Isso se dá porque o cortisol, hormônio liberado em situações de estresse, interferem na produção de novas células neuronais. Para testar a capacidade da memória são feitos testes. O médico pede para o paciente memorizar figuras, palavras ou histórias. Depois de 30 minutos, após as informações serem memorizadas, o médico indaga ao pacientes dados sobre o que foi exibido a ele. Até exames clínicos são realizados para confirmar se a falha de memória é ocasionada por estresse ou por algum problema clínico. Problemas na glândula tireóide, que produz hormônios que influenciam na memória, são diagnosticados através do exame de sangue. Uma vez comprovado que a carência é na sua produção, o paciente é submetido a um tratamento de hormônio indicado para a glândula. É possível melhorar a memória com a alimentação. A vitamina colina, que faz parte do complexo B e auxilia no funcionamento cerebral, é encontrada na leticina de soja. Duas colheres de sopa da leticina podem ser adicionada a sucos, sopas, salada ou frutas. Por Carolina Abranches

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;