Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 26 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Melhor calar

Não pegou nada bem no meio político e entre a população o comentário feito pelo prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB)


Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

17/02/2016 | 07:00


Não pegou nada bem no meio político e entre a população o comentário feito pelo prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB), sobre as enchentes que assolaram o Grande ABC na segunda-feira. Ao exaltar as ações de sua administração no combate às cheias, criticou a gestão da vizinha Mauá, comandada por Donisete Braga (PT). “Graças a Deus e ao nosso planejamento antecipado, Ribeirão Pires não verá imagens como essas dos alagamentos que aconteceram hoje em Mauá. A limpeza feita nos bueiros como prevenção, garante que nossa cidade não sofra com alagamentos com essa proporção. Outra ação importantíssima para evitar alagamentos foi o desassoreamento do rio ao longo da Avenida Valdírio Prisco. Também é preciso lembrar que a colaboração da população, não descartando lixo nas ruas, é de extrema importância”, disse Saulo nas redes sociais, para em seguida apagar o conteúdo. Já era tarde. O efeito negativo havia se alastrado. Imagine se Donisete resolve pagar na mesma moeda? O petista teria de falar do atraso nas obras do teleférico. Da dívida com a concessionária distribuidora de energia elétrica que quase deixou a Prefeitura sem luz ano passado. Da esdrúxula intenção de demolição do prédio histórico da Fábrica de Sal para construir um shopping center no local. Da promessa não cumprida de entrega do complexo hospitalar. Das supostas irregularidades na Saúde, com pedido de CPI em trâmite na Câmara. E até da falta de papel higiênico no Paço. Mas o prefeito de Mauá não vai fazer isso. “Quando as palavras não são tão dignas quanto o silêncio, é melhor calar e esperar”, ensinou o escritor uruguaio Eduardo Galeano.

Causa animal – 1
O deputado estadual Atila Jacomussi (PCdoB) já sente as consequências da atitude do assessor João de Mauá (PRP), que gravou vídeo de um cachorro agonizando para criticar a Prefeitura e foi acusado de negligência por ativistas. Recentemente, o parlamentar publicou nas redes sociais foto de um cãozinho, já que se diz defensor da causa animal. E os comentários não foram nada favoráveis ao comunista. “Não aguentamos mais pessoas despreparadas no poder , aguardamos ainda uma atitude enérgica de sua parte”, cobrou uma internauta. “Como pode defender mudanças se pessoas de seu quadro filmam animal agonizando até a morte?”, frisou outra. “Se pretende mesmo fazer uma campanha séria, não a faça nem utilize os animais como pretexto”, sugeriu uma moradora.

Causa animal – 2
Atila Jacomussi ainda não se pronunciou publicamente sobre o caso. O presidente do PRP de Mauá, Admir Jacomussi, também não. João de Mauá, que vai ser candidato a vereador, tem dito que as críticas que recebe são para atingir o deputado. Ainda não se deu conta do que fez.

Novo presidente?
Fontes da Câmara de Mauá garantem que o ex-prefeito Diniz Lopes (de saída do PR) está prestes a assumir a presidência do PP. O diretório municipal do partido, hoje comandado por Ronaldo Luiz Pedrosa, aliado do vereador Adelto Cachorrão (PP), insiste em apoiar o projeto de reeleição do prefeito Donisete Braga (PT), mas a cúpula estadual da legenda quer o partido longe dos petistas no pleito de outubro. Cachorrão tenta conversa há meses com o presidente do PP paulista, deputado federal Guilherme Mussi, mas tem sido tratado a ‘banho-maria’ pelo parlamentar.

Bola da vez
O PT de São Caetano se reúne hoje para definir questões referentes à eleição de outubro. A expectativa é bater martelo sobre chapa proporcional que disputará vagas na Câmara. E chancelar o nome do presidente municipal da legenda, Márcio Della Bella, como candidato ao Palácio da Cerâmica. O assessor de gabinete de São Bernardo terá missão difícil. Sabe aquele time que entra no campeonato para não ser rebaixado? É mais ou menos por aí. O principal objetivo ao representar a sigla será superar o pior desempenho do petismo na corrida pelo Paço, para não entrar para a história negativamente. O feito, por enquanto, recai sobre Vera Severiano, que conquistou 10,6% dos votos em 1996. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Melhor calar

Não pegou nada bem no meio político e entre a população o comentário feito pelo prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB)

Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

17/02/2016 | 07:00


Não pegou nada bem no meio político e entre a população o comentário feito pelo prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB), sobre as enchentes que assolaram o Grande ABC na segunda-feira. Ao exaltar as ações de sua administração no combate às cheias, criticou a gestão da vizinha Mauá, comandada por Donisete Braga (PT). “Graças a Deus e ao nosso planejamento antecipado, Ribeirão Pires não verá imagens como essas dos alagamentos que aconteceram hoje em Mauá. A limpeza feita nos bueiros como prevenção, garante que nossa cidade não sofra com alagamentos com essa proporção. Outra ação importantíssima para evitar alagamentos foi o desassoreamento do rio ao longo da Avenida Valdírio Prisco. Também é preciso lembrar que a colaboração da população, não descartando lixo nas ruas, é de extrema importância”, disse Saulo nas redes sociais, para em seguida apagar o conteúdo. Já era tarde. O efeito negativo havia se alastrado. Imagine se Donisete resolve pagar na mesma moeda? O petista teria de falar do atraso nas obras do teleférico. Da dívida com a concessionária distribuidora de energia elétrica que quase deixou a Prefeitura sem luz ano passado. Da esdrúxula intenção de demolição do prédio histórico da Fábrica de Sal para construir um shopping center no local. Da promessa não cumprida de entrega do complexo hospitalar. Das supostas irregularidades na Saúde, com pedido de CPI em trâmite na Câmara. E até da falta de papel higiênico no Paço. Mas o prefeito de Mauá não vai fazer isso. “Quando as palavras não são tão dignas quanto o silêncio, é melhor calar e esperar”, ensinou o escritor uruguaio Eduardo Galeano.

Causa animal – 1
O deputado estadual Atila Jacomussi (PCdoB) já sente as consequências da atitude do assessor João de Mauá (PRP), que gravou vídeo de um cachorro agonizando para criticar a Prefeitura e foi acusado de negligência por ativistas. Recentemente, o parlamentar publicou nas redes sociais foto de um cãozinho, já que se diz defensor da causa animal. E os comentários não foram nada favoráveis ao comunista. “Não aguentamos mais pessoas despreparadas no poder , aguardamos ainda uma atitude enérgica de sua parte”, cobrou uma internauta. “Como pode defender mudanças se pessoas de seu quadro filmam animal agonizando até a morte?”, frisou outra. “Se pretende mesmo fazer uma campanha séria, não a faça nem utilize os animais como pretexto”, sugeriu uma moradora.

Causa animal – 2
Atila Jacomussi ainda não se pronunciou publicamente sobre o caso. O presidente do PRP de Mauá, Admir Jacomussi, também não. João de Mauá, que vai ser candidato a vereador, tem dito que as críticas que recebe são para atingir o deputado. Ainda não se deu conta do que fez.

Novo presidente?
Fontes da Câmara de Mauá garantem que o ex-prefeito Diniz Lopes (de saída do PR) está prestes a assumir a presidência do PP. O diretório municipal do partido, hoje comandado por Ronaldo Luiz Pedrosa, aliado do vereador Adelto Cachorrão (PP), insiste em apoiar o projeto de reeleição do prefeito Donisete Braga (PT), mas a cúpula estadual da legenda quer o partido longe dos petistas no pleito de outubro. Cachorrão tenta conversa há meses com o presidente do PP paulista, deputado federal Guilherme Mussi, mas tem sido tratado a ‘banho-maria’ pelo parlamentar.

Bola da vez
O PT de São Caetano se reúne hoje para definir questões referentes à eleição de outubro. A expectativa é bater martelo sobre chapa proporcional que disputará vagas na Câmara. E chancelar o nome do presidente municipal da legenda, Márcio Della Bella, como candidato ao Palácio da Cerâmica. O assessor de gabinete de São Bernardo terá missão difícil. Sabe aquele time que entra no campeonato para não ser rebaixado? É mais ou menos por aí. O principal objetivo ao representar a sigla será superar o pior desempenho do petismo na corrida pelo Paço, para não entrar para a história negativamente. O feito, por enquanto, recai sobre Vera Severiano, que conquistou 10,6% dos votos em 1996. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;